R.B. 29/JUN/16 "Mais um sinal de covardia"



"Mais um sinal de covardia"

São Paulo, 29 de junho de 2016 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, ainda acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e também das commodities, porem deve-se ressaltar que a continuação da deterioração das contas publicas tupiniquins deve entrar cada dia mais no radar dos investidores e (2) o DÓLAR pode subir, após fechar o pregão anterior no menor patamar em quase 11 meses, em um movimento de ajuste de posições vendidas.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,6%, para fechar o dia acima dos 50.000pts, em uma recuperação de perdas recentes, que seguiu o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e também foi impulsionada pela alta do petróleo (3,3%) e pela valorização das ações dos bancos, como Itaú (3,5%) e Bradesco (2,5%) e (2) o DÓLAR caiu -2,6% à R$ 3,30, retomando sua trajetória de queda após 2 pregões consecutivos de alta, acompanhando a esperada melhora do “humor” na bolsa brasileira e influenciado pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1% e China 0,6%, recuperando timidamente perdas recentes, porem com baixo volume de negócios já que os investidores aguardam as consequências políticas e econômicas da decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia, (2) da EUROPA, após 2 pregões de fortes perdas, Inglaterra 2,6%, França 2,6% e Alemanha 1,9%, com os investidores aproveitando os preços relativamente baixos das ações para procurar barganhas, principalmente em ações de bancos, como Lloyds (7,4%) e BNP (3,9%) e (3) dos EUA, próximas das máximas do dia, S&P 1,8%, DJ 1,6% e NASDAQ 2,1%, com destaques de alta para as ações das empresas de energia, beneficiadas pela valorização do petróleo (3,3%).

Estimulado principalmente pelas exportações de bens e serviços, o PIB dos EUA, principal motor econômico do mundo, cresceu a uma taxa anualizada de 1,1% no primeiro semestre deste ano, patamar superior às projeções do “mercado” (0,8%).

Apesar de não conseguir entregar nem o que o governo Dilma prometia, que é uma inflação de 4,5% ao ano, a equipe econômica do governo Temer quer reduzir a meta de inflação para 4% em 2018, o que supostamente teria um efeito positivo de mostrar o seu compromisso em buscar uma inflação mais baixa.

Ilan Goldfajn, presidente do BC tupiniquim, (1) afirmou que o governo está criando as condições para que seja possível reduzir a taxa básica de juros e (2) prometeu reduzir a exposição da entidade em swaps cambiais quando encontrar a janela de oportunidade para continuar baixando o estoque, ressaltando também que poderá utilizar todas as ferramentas disponíveis, mas sempre com “parcimônia” e sem interferir no regime de câmbio flutuante.

Fruto de uma verdadeira “herança maldita” recebida do governo Dilma e prejudicado principalmente pelo rombo da Previdência, em MAI/16 o governo central, que inclui União, Banco Central e Previdência Social, registrou déficit de R$ -15,5 bilhões, ampliando o saldo negativo acumulado nos últimos 12 meses para R$ -145bi, o que representa o pior resultado desde o início da série histórica, em 1997.

Após um jantar “boca livre” realizado na casa de Renan Calheiros, o jagunço enrolado com a Lava à Jato e que é presidente do Senado, para Meirelles, que comenda o ministério da Fazenda, a maior parte dos 45 senadores presentes classificou o encontro como "frustrante", ressaltando que o referido ministro não deu indicações claras sobre quais são as prioridades para a área econômica no Congresso e "lavou as mãos" do governo em relação aos reajustes para diversas categorias do funcionalismo público.

Como frutos ruins da instabilidade política e da crise econômica que assolam o país, nos 5 primeiros meses deste ano a quantidade de fusões e aquisições no Brasil caiu -27% em relação ao mesmo período de 2015, atingindo o menor patamar desde 2009, quando a crise financeira dos EUA estava no ápice.

Podendo ajudar um pouco na redução da inflação, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou ontem uma redução média de -8,1% nas tarifas da distribuidora de eletricidade AES Eletropaulo, da norte-americana AES, que fornece energia em 24 municípios da região metropolitana de SP, incluindo a capital.

Política:

“Agraciando e agradando” aqueles que serão, e na maioria das vezes já são, responsáveis por julgar os crimes que eles comentem, ontem, na tentativa de acelerar a aprovação de um projeto que aumenta em 41,5% os vencimentos dos servidores do Judiciário, os senadores tanto da base aliada quanto da oposição decidiram antecipar para hoje a ida do ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, ao Senado para que ele explique os projetos de reajuste do Judiciário e dos servidores do Ministério Público da União, que terá um impacto negativo de R$ -11,5bi nos cofres públicos até 2019.

Finalmente fazendo algo útil para estimular a geração de empregos e a formalização da mão de obra no país, ontem Senado concluiu a votação do projeto de lei que atualiza as regras do Simples Nacional para micro e pequenas empresas, ampliando o limite de faturamento do microempreendedor individual, dos atuais R$ 60 mil para R$ 81 mil, e da renda para que uma empresa seja inserida no supersimples, de R$ 3,6 milhões para R$ 4,8 milhões.

Como não tem coragem para mexer em vespeiro e arrumar confusão antes da votação final do impeachment da ex-presidenta Dilma, o governo Temer, sem encontrar consenso em mais uma rodada de conversas com as centrais sindicais, decidiu formar um novo grupo de trabalho para discutir a reforma de Previdência e deixou de se comprometer com um prazo para apresentar uma proposta ao Congresso, falando apenas em aprovação ainda este ano.

Também com o objetivo de ganhar mais apoio popular antes da votação final do impeachment da ex-presidenta Dilma, Temer decidiu que neste ano vai pagar já em 25/AGO/16 a primeira parcela do 13º dos aposentados, o que pela lei poderia ser feito até o último mês do ano.

Mostrando ingratidão e sinais claros de descolamento da realidade, ontem a ex-presidenta Dilma afirmou que (1) a aliança com o PMDB, de Temer, foi o maior erro cometido por ela em sua gestão e (2) está segura de que retornará à presidência do Brasil após a votação do processo de impeachment no Senado em AGO/16.

Torrando dinheiro público e legislando, pela enésima vez, em causa própria, quase toda a cúpula da Câmara já assinou um projeto de lei que pretende permitir o uso gratuito do serviço médico do Congresso Nacional por cônjuges, pais, filhos e outros dependentes de ex-deputados.

Batendo em 2 cachorros mortos, em sua delação premiada, o ex-vice da Caixa Econômica Federal Fábio Cleto relatou que uma empresa de Eike Batista pagou propina a ele próprio e ao deputado afastado Eduardo Cunha para obter recursos do fundo de investimentos do FGTS.

Em “mais um sinal de covardia”, o governo Temer decidiu adiar a sanção do projeto de Lei de Responsabilidade das Estatais diante da pressão de deputados que defendem o veto à quarentena de 36 meses para dirigentes de partidos e pessoas que tenham atuado em campanhas eleitorais assumirem postos de direção e de conselho de administração de estatais.

Crítica:

Fazendo as leis e muitas vezes atuando acima delas, o Grupo Globo foi autorizado, por decreto presidencial publicado ontem no "Diário Oficial da União", a realizar, sem custo ou imposto algum, a "transferência indireta da concessão" de seus canais nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Brasília da segunda para a terceira geração da família Marinho.

Já está em discussão avançada no Congresso Nacional a lei que vai permitir a exploração de Cassinos e jogos de azar no Brasil, porem o ponto mais absurdo proposto é a extinção dos processos judiciais em tramitação e a anistia completa e irrestrita de multas e de todos os crimes cometidos pelos acusados da prática de exploração ilegal de jogos de azar.

Ontem, com o objetivo de passar a limpo a nefasta lei Rouanet, a Polícia Federal deflagrou uma nova operação, batizada de Boca Livre, que levou a 14 mandados de prisão temporária e 27 de busca e apreensão de apenas um grupo criminoso que atuou por quase 20 anos no Ministério da Cultura contando com a leniência do órgão para aprovação de projetos de R$ 170mi.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário