R.B. 18/MAI/16 "Testando o apetite e o humor do mercado"



"Testando o apetite e o humor do mercado"

Rio de Janeiro, 18 de maio de 2016 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, com os investidores animados com a alta demanda aos títulos da dívida (bonds) que a Petrobrás lançou ontem no mercado internacional, o que indica que com um governo mais alinhado com o ‘’mercado’’ o Brasil voltará ao radar dos investidores globais e (2) o DÓLAR pode cair, acompanhando a esperada melhora do ‘’humor’’ na bolsa, influenciado pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos e também testando os limites do BC.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,9%, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, diante do aumento das ‘’apostas’’ de alta dos juros nos EUA, e com destaques negativos para as ações dos bancos, como Banco do Brasil (-4,8%), Itaú (-2,1%) e Bradesco (-3,2%) e (2) o DÓLAR caiu -3% à R$ 3,49, rompendo o ‘’suporte’’ dos R$ 3,50, após uma sessão volátil, na qual foi influenciado pelo avanço dos preços do petróleo no mercado internacional e pela ausência do BC, pelo terceiro pregão seguido, na ponta compradora.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,1% e China 0,3%, reagindo positivamente ao bom desempenho do petróleo, que no dia anterior superou os maiores níveis em 6 meses, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra 0,3%, sustentada pelo desempenho positivo das mineradoras, como Rio Tinto (1,1%) e Anglo American (3,1%), porem França -0,3% e Alemanha -0,6%, pressionadas pelas ações das fabricantes de automóveis, como Volkswagen (-2,7%) e BMW (-3,0%), que sofreram com o rebaixamento de recomendações por parte de bancos e (3) dos EUA, S&P -0,9%, DJ -1,0% e NASDAQ -1,2%, com os investidores aumentando suas ‘’apostas’’ de que o FED (‘’BC’’ local) elevará as taxas de juros antes do esperado, diante dos sinais de aceleração da inflação, e decepcionados com o resultado abaixo do esperado da Home Depot.

Dando 2 boas notícias no mesmo dia, ontem Meirelles, Ministro da Fazenda, (1) anunciou que o prestigiado economista Ilan Goldfajn será o presidente do BC e (2) "avisou" que está pronta para envio ao Congresso Nacional a Proposta de Emenda Constitucional que dará autonomia técnica e decisória do BC.

Direto de NY, falando para uma plateia de empresários e investidores norte-americanos e brasileiros, Armínio Fraga, o ex-presidente do BC, classificou a situação brasileira como um "pesadelo", ressaltando que Temer pega "uma engrenagem de crescimento quebrada" e montou uma equipe competente para enfrentar os desafios de forma realista e aberta.

Ressaltando que se o Brasil não controlar o crescimento do gasto publico precisará de uma carga tributária crescente, Mansueto de Almeida Jr, novo secretário de Acompanhamento Econômico do BC, afirmou que o governo Temer precisa aprovar no Congresso medidas de ajuste fiscal para iniciar a recuperação da economia, ressaltando que a solução para essa equação passa por reformas pouco populares.

Apresentando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) nos 3 primeiros meses deste ano as vendas de aparelhos de televisão caíram -28% na comparação com o mesmo período de 2015, (2) entre MAR/15 a MAR/16 a construção civil perdeu 473,8 mil postos de trabalho em todo o país e (3) em MAR/16 as vendas de imóveis caíram -14,8% na comparação com MAR/15 e os distratos (desistência de compra de imóvel) aumentaram 14% na mesma base de comparação.

Indicando que o Mickey vai ficar cada dia com mais saudades dos brasileiros, mesmo com o recuo do dólar, nos 3 primeiros meses deste ano, por conta da crise econômica tupiniquim, o volume de compra de moedas estrangeiras pelos brasileiros caiu -20,9% na comparação com o mesmo período de 2015.

Caminhando para acabar com a era TQQ na maior estatal do país, que aliás passa pela pior crise da sua história, o presidente Temer está sondando Pedro Parente, ex-ministro da Casa Civil do governo FHC e que é considerado um especialista na recuperação de empresas e na reorganização de estruturas, para ser o novo presidente da Petrobras.

"Testando o apetite e o humor do mercado" com o novo governo e com o objetivo de alongar o prazo de sua dívida, a Petrobras anunciou ontem uma captação de recursos no mercado internacional que, superando as expectativas iniciais (US$ 5bi), atingiu US$ 6,7bi e teve uma demanda superior a US$ 20bi.

Política:

Presidido por Rui Falcão, um político e uma pessoa muito abaixo da linha da mediocridade, o PT, alem de sofrer com o fim da reputação de Lula, agora enfrente uma guerra interna para a definição sobre a política de alianças que o partido vai adotar nas eleições municipais deste ano, já que a ‘’ordem’’ é priorizar os partidos que apoiaram Dilma no processo de impeachment, o que obviamente restringe bastante o leque de possibilidades.

Ainda sem saber o tamanho do ‘’abacaxi’’ que terá que destacar para acertar as contas públicas, Meirelles, ministro da Fazenda, já trabalha com um plano B caso seja inevitável uma fonte extra de arrecadação e, em vez da controvertida CPMF, aumentar a alíquota da Cide, que é a contribuição sobre os combustíveis.

-        Primeiro nome da cúpula do PSDB a defender publicamente o ingresso do partido em um governo Temer, Serra, que estava asfixiado por Aécio e Alckmin, certamente é o tucano que mais se beneficiou até agora com a queda da presidenta Dilma.
-        Com do deputado Valdir maranhão insistindo em permanecer na presidência da Casa, desde o dia 4/MAR/16 que a Câmara não aprova e/ou vota nenhuma matéria.
-        Fazendo o que Dilma deveria ter feito, mas não teve capacidade nem técnica e nem política para fazer, Eduardo Cunha mandou avisar que irá se defender pessoalmente no Conselho de Ética na sessão que ocorrerá n quinta-feira desta semana.
-        Os partidos que reúnem mais de 350 das 513 cadeiras da Câmara decidiram, em reunião realizada ontem, sugerir ao presidente Temer a indicação do deputado André Moura, do PSC, como o novo líder do governo na Casa.
-        Com muita vontade de colocar mais lenha na fogueira, Delcídio do Amaral vai fazer ajustes na delação premiada, completando com novas informações a peça que foi tomada antes da cassação de seu mandato pelo Senado.
-        Visando dar celeridade à ação do impeachment, a comissão no Senado prefere não apresentar suas próprias testemunhas, possibilidade que será ser tratada com Ricardo Lewandowski.
-        Como já era de se esperar, o governo Temer sinaliza que vai encampar propostas e ações do PSDB, principalmente do diretório paulista do partido, em diversos setores, como segurança, educação e economia.

Crítica:

Em busca de novas fontes de recursos para cobrir o rombo das contas publicas, os Ministros do governo Michel Temer querem propor a legalização dos jogos de azar, o que contraria a opinião do Ministério Público Federal, que se opõe à ideia e vê risco de incentivo à lavagem de dinheiro e à corrupção.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário