R.B. 22/ABR/16 "Podendo surpreender positivamente"


"Podendo surpreender positivamente"

 

São Paulo, 22 de abril de 2016 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, se ajustando e acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais, que recuaram ontem e seguem em baixa hoje, e também diante das expectativas negativas para os resultados corporativos de empresas brasileiras que serão divulgados nas próximas semanas e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e seguindo a esperada priora do "humor" na bolsa brasileira.

 

Quarta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,1%, em um movimento de cautela antes do feriado, com pouca volatilidade, bom volume de negócios (R$ 7,5bi) e pressionada principalmente pela realização de lucros nas ações da Petrobrás (1,5-%) e dos bancos, como Itaú (-1,9%) e Banco do Brasil (-0,7%) e (2) o DÓLAR subiu 0,1% à R$ 3,54, influenciado por um "tímido" leilão de compra do BC, o que confirma a tese de que o "piso" tolerado pela autoridade monetária tupiniquim é R$ 3,50.

 

Ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 2,7%, impulsionada pela valorização das exportadoras, que são beneficiadas pela valorização do dólar frente a moeda local (o iene) e China –0,7%, realizando lucros recentes e com os investidores ainda preocupados com a perspectiva de novas ofertas públicas iniciais (IPO, na sigla em inglês) de ações, (2) da EUROPA, em queda nesta quinta-feira, mas longe das mínimas da sessão, Inglaterra –0,4%, França –0,2% e Alemanha –0,1%, em dia marcado pela decisão do BC Europeu de manter os juros em níveis históricos de baixa e de não anunciar novos estímulos econômicos e (3) dos EUA, interrompendo uma sequência de 3 pregões seguidos de alta, S&P –0,5%, DJ –0,6% e NASDAQ –0,1%, prejudicadas pela queda das ações de empresas de setores considerados defensivos, como consumo básico, telecomunicações e serviços públicos.

 

Como fruto de um governo sério e competente, nos EUA o número de pedidos de auxílio-desemprego caiu inesperadamente na semana passada, surpreendendo o "mercado", que esperava uma elevação, já que atingiu o seu nível mais baixo desde 1973.

 

Ao lado do ex-ministro Delfim Netto, que rapidamente já mudou de lado, o vice-presidente Michel Temer afirmou, com uma enorme dose de razão, que, neste momento do país, não faltam nem talentos nem bons programas para solucionar a atual crise econômica, ressaltando que o que falta é um governo para executar a melhor saída.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) subindo mais rápido do que pavio em chamas, no trimestre encerrado em FEV/16 a taxa de desemprego no Brasil atingiu 10,2%, chegando assim ao patamar de dois dígitos pela primeira vez desde o início da série histórica da pesquisa do IBGE, iniciada no primeiro trimestre de 2012, (2) em FEV/16 as vendas de gás natural no país foram –10,5% menores que em FEV/15 e (3) nos 3 primeiros meses deste ano os gastos dos brasileiros em caíram -43% na comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Cada vez mais no radar do "mercado", a questão do recálculo dos juros da dívida dos Estados com a União, que pode passar de juros compostos para juros simples, causar um rombo de quase US$ -400bi nas contas publicas e assim agravar ainda mais a situação fiscal do País.

 

-    Pressionado pelos alimentos e superando ligeiramente as "apostas do mercado" (0,48%), o IPCA-15 de ABR/16 ficou em 0,51%, patamar acima dos 0,43% registrados em MAR/16, porem bem abaixo do auferido em ABR/15 (1,07%).

 

Com um enorme atraso em relação ao cronograma original, que apontava para o início da geração no começo de 2015, a hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, começou na quarta-feira passada a operação comercial de sua primeira turbina, exatos 6 anos após a licitação em que teve sua concessão arrematada.

 

Atolada em dívidas, a Petrobrás, que ainda pode ser considerada a principal indutora de crescimento da indústria nacional, pisou forte no freio neste início de 2016, já que o investimento da estatal no primeiro bimestre ficou em R$ 9,137bi, o que representa o menor patamar desde 2008 e equivale a pouco mais da metade dos R$ 17,7bi investidos nos 2 primeiros meses de 2010.

 

-    A Vale subiu 5,3%, em alta pelo terceiro pregão seguido, beneficiada pela recuperação dos preços do minério de ferro entregue na China e pelas expectativas de recorde de produção no primeiro trimestre deste ano.


Política:
 
Defendendo novas eleições, gerais e irrestritas, a revista britânica "The Economist", que adora "meter o bedelho" no Brasil, dedicou um texto de sua edição impressa desta semana para o que classificou como a "grande traição" que o país sofreu, tanto pela presidenta Dilma quanto pela classe política.

 

Fazendo política em nome da chefa, que dopada por remédios é cada dia mais incapaz de pensar logicamente, ontem José Eduardo Cardozo, ministro da Advocacia-Geral da União, e Nelson Barbosa, ministro da Fazenda, reuniram-se com um grupo de senadores petistas para apresentar elementos de defesa contra o impeachment da presidenta Dilma.

 

"Podendo surpreender positivamente" a população e também o "mercado", Temer quer anunciar uma redução drástica no número de ministérios assim que a abertura do impeachment for aprovada no Senado, sinalizando assim que está empenhado em reduzir os gastos e também o tamanho do governo.

 

Quiçá fazendo o Brasil passar um pouco menos de vergonha internacionalmente, ganhou força nas ultimas horas entre auxiliares de Dilma a ideia de que a presidenta faça hoje um "discurso protocolar" na ONU e apenas depois convoque uma coletiva de imprensa em NY para repetir sua ladainha de que está sendo vítima de um golpe.

 

Segundo o senador Romero Jucá, presidente interino do PMDB, um eventual governo Michel Temer buscará na Câmara uma base que permita aprovar "rapidamente" até emendas à Constituição, que exigem a maioria qualificada do voto de 3/5 dos deputados, patamar inferior os 2/3 exigidos para a recente aprovação do impeachment.

 

Jogando para a plateia, o PSDB marcou para o dia 3/MAI/16 uma reunião de sua Executiva Nacional na qual deve decidir se vai participar ou não do cada vez mais provável governo Temer, porem Serra já indicou que quer ser ministro do referido peemedebista.


Crítica:
 
Subindo para um nível inimaginável na história tupiniquim, ontem a Justiça Federal aceitou denúncia do Ministério Público contra o acionista majoritário do grupo Safra, Joseph Safra, acusado, na Operação Zelotes, que investiga o pagamento de propina para influenciar os julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais.

 

Ontem foi feriado de Tiradentes no Brasil e é sempre interessante lembrar que o referido auferes foi enforcado pois queria independência do Brasil por conta do ''elevado'' imposto que Portugal cobrava, que na época era de 1/5 dos rendimentos, daí a expressão ''quinto dos infernos'', porem atualmente no Brasil, que já é independente, pagamos, já na fonte, mais de 1/4 dos rendimentos (27,5%), fora os impostos que pagamos em tudo que compramos.

 

Dilma vai perder o emprego, por incompetência e/ou bandidagem, é isto só pode ser considerado triste por ser ela a primeira mulher na presidência do Brasil, porem o lado bom da queda da presidenta é que ela acabará com as "boquinhas" de milhares de "companheiros", desqualificados e inescrupulosos, atualmente em cargos de ministro, diretor de estatal, jornalista de aluguel e assessor.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário