R.B. 14/MAR/16 "Dia 13/MAR/16 um importante marco histórico para o Brasil"


"Dia 13/MAR/16 um importante marco histórico para o Brasil"

 

São Paulo, 14 de março de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, para fechar o dia acima dos 50.000pts, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e comemorando o sucesso das manifestações populares contra o governo Dilma e à favor da prisão de Lula e (2) o DÓLAR pode subir, em um "ajuste técnico" após as fortes baixas registradas nos últimos pregões e aguardando qual será o cenário político dos próximos dias.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,1%, mais uma vez com bom volume de negócios (R$ 9,8bi), porem desta vez dividida entre aqueles que queriam realizar lucros recentes, já que a bolsa acumula alta de 16% nas 2 últimas semana, e os que tem certeza de que a presidente Dilma cairá em breve e (2) o DÓLAR caiu –0,7% à R$ 3,59, para fechar o dia registrando uma baixa de 12,8% desde a máxima atingida em 21/JAN/16 (R$ 4,14) e no menor patamar desde 28/AGO/15, conduzido principalmente pelo cenário político, com investidores na expectativa por grandes manifestações no fim de semana.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,5% e China 0,2%, em alta pelo 2º dia seguido, reagindo positivamente ao agressivo pacote de estímulos monetários anunciado no dia anterior pelo BC Europeu, (2) da EUROPA, Inglaterra 1,7%, França 3,3% e Alemanha 3,5%, beneficiadas pelo avanço do petróleo, com investidores digerindo melhor as últimas medidas de estímulo do BC Europeu e com destaques de alta para as ações do setor financeiro, como Unicredit (9,5%), Banco Popular (12,8%) e Société Générale (5,7%) e (3) dos EUA, registrando a quarta semana seguida de ganhos e atingindo os maiores patamares do ano, S&P 1,6%, DJ 1,3% e NASDAQ 1,8%, desta vez com o avanço dos preços do petróleo (2,0%) dando apoio às companhias de energia.

 

Segundo Larry Fink, principal executivo da maior gestora de investimentos do mundo, a norte-americana BlackRock, o espectro do protecionismo, atiçado pela retórica eleitoral do pré-candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, e as taxas de juros negativas, praticadas atualmente na zona do euro, representam sérios riscos à economia global.

 

Diante da percepção de que uma solução para a crise política pode estar próxima, ganha força a cada dia um movimento recente de compra de ativos brasileiros, como ações, títulos públicos e moeda local, por investidores estrangeiros, já que, embora não haja expectativa de retomada econômica e o país tenha perdido o selo de bom pagador pelas 3 principais agências de classificação de risco, o diagnóstico é que, aos preços atuais, o Brasil está muito barato.

 

Independentemente da alta ou baixa do dólar, segundo especialistas diversificar os investimentos com ativos estrangeiros, como ações e títulos da dívida de empresas, é sempre uma boa opção para o longo prazo, que vale como proteção para qualquer portfólio e que deve começar em 20% do patrimônio para os mais conservadores.

 

Como fruto da forte queda do dólar registrada nas últimas semanas, o ritmo de trabalho nas corretoras e casas de câmbio tem sido muito intenso e a demanda para remessas financeiras para o exterior e de câmbio turismo chegou a subir mais de 300% em algumas empresas, chegando inclusive a faltar papel moeda em alguns locais no dia em que Lula foi levado para depor.

 

Considerado lunático, na mais positiva avaliação, o PT divulgou um documento intitulado "O futuro está na retomada das mudanças", com a sua interpretação da conjuntura econômica e com propostas de enfrentamento da atual crise que, além de retomar diversas políticas da nova matriz econômica, aquela que nos colocou no atoleiro que nos encontramos hoje, defende maluquices, como o uso das reservas internacionais para financiar obras de infraestrutura e o aumento do crédito de forma artificial.

 

Segundo critérios técnicos usados pela FGV, salvo uma inesperada retomada da economia, a atual recessão tupiniquim caminha para se tornar, até o fim do ano, a pior já medida com precisão no país e, ao fim desse período, segundo as projeções mais consensuais dos analistas de mercado, o PIB terá acumulado uma queda de ao menos -8,7%.

 

Por conta de falta de eficiência operacional, dos elevados custos tributários e da burocracia, em 2015, mesmo com a forte a valorização do dólar frente ao real, as exportações dos calçados brasileiros foram –9,4% menores do que em 2014.

 

Com o país exportando seus problemas, diante da desvalorização do real e da crise brasileira (1) Ciudad del Este, que fica no Paraguai e que é um dos maiores centros comerciais de importados do Mercosul, fechou mais de 1.000 pontos de venda no ano passado e demitiu 10 mil trabalhadores, a maioria deles brasileiros e (2) nos 2 primeiros meses deste ano as exportações da Argentina para o Brasil caíram –31% na comparação com o mesmo período de 2015, tornando-se uma das maiores preocupações dos empresários do país vizinho.

 

Ajudando a Petrobrás, na sexta-feira passada a Agência Internacional da Energia divulgou um relatório no qual afirmou que há sinais de que a queda dos preços do petróleo chegou ao "fundo do poço", que a produção parece estar diminuindo e que as perspectivas de redução da demanda não estão crescendo.

 

-    Símbolo das ascensão das classes menos abastadas da sociedade, o consumo de iogurte caiu –9,2% em 2015 na comparação com 2014, já que a crise levou os clientes a cortarem os produtos considerados supérfluos.

-    A varejista Lojas Americanas encerrou o quarto trimestre de 2015 com lucro líquido de R$ 204,2mi, o que representa uma queda de -31,1% ante mesmo período do ano anterior.


Política:
 
Dando um basta à corrupção e tornando o "dia 13/MAR/16 um importante marco histórico para o Brasil", ontem mais de 5 milhões de brasileiros saíram às ruas para, no maior ato publico da história brasileira, pedirem a queda da presidenta Dilma e a prisão do ex-presidente Lula e para defenderem o juiz Sergio Mouro e as investigações da Lava-Jato.

 

Colocando 1 pé para fora da canoa furada do governo Dilma, o PMDB decidiu, na sua convenção que ocorreu no sábado passado, ou seja antes das manifestações de domingo, que o partido terá 30 dias para entregar todos os cargos e passar definitivamente para a oposição.

 

Mostrando que as passeatas que ontem orgulharam o Brasil eram independentes, sem ligação com nenhum partido político e, apesar do foco na queda da Dilma e na prisão do Lula, eram também contra todos os corruptos, os tucanos Aécio e Alckmin foram vaiados e praticamente expulsos da Av. Paulista menos de 15 minutos após chegarem ao local.

 

Sem força política para nada, a presidenta Dilma, mais preocupada em garantir seu emprego, reconheceu nesta sexta-feira que deve adiar para o segundo semestre deste ano o envio ao Congresso Nacional da proposta de reforma previdenciária, que foi duramente criticada pelo PT.

 

Surpresa com as enormes mobilizações de ontem, a presidenta Dilma, que vive cercada de lacaios e bajuladores que dizem amem a todas as loucuras que ela pensa e fala, avalia agora, sem a ajuda de seu marqueteiro que está preso, que precisa agir rápido para evitar a abertura de processo de impeachment contra ela no Congresso Nacional.

 

Certamente contando com a ajuda da Friboi, que preparou um enorme carregamento de mortadela, o PT aposta todas as suas fichas no ato já planejado para o dia 18/MAR/16, que terá a presença de Lula, para mostrar resistência, o que obviamente será um enorme fracasso.

 

Considerado o último obstáculo ao desligamento completo do PMDB do governo Dilma, o peemedebista Renan Calheiros, presidente do Senado, disse a aliados que considera o impeachment a "saída mais traumática" para a crise, mas prega que qualquer outra alternativa passa obrigatoriamente pela diminuição dos poderes da petista no Planalto.


Crítica:
 
Cobertos de razão, pichadores escreveram no muro da sede paulista da União Nacional dos Estudantes, localizada na Vila Mariana, "Lula na cadeia", "vendidos" e "mortadelas estudantes" nas paredes externas do imóvel, que já foi um símbolo da luta pela democracia e que hoje é um reduto de vagabundos comprados pelos bandidos que governam o país.

 

-        Se Lula é a jararaca, é importante lembra-lo que o animal mais forte da selva é o Leão, que por sua vez é o símbolo da Receita Federal do Brasil, que é o órgão que entregar para a Polícia Federal as provas para coloca-lo na cadeia.

 

Bandido "malandro", como o Lula, deixa seu roubo no Banco do Brasil, onde ele controla tudo, escolhendo do caixa ao presidente da instituição, já bandido "otário", como o Eduardo Cunha, manda a grana para a Suíça, onde a coisa é séria e eles respeitam a lei contra terrorismo e lavagem de dinheiro.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário