R.B. 4/JAN/16 "Um quadro ainda mais tenebroso"


R.B.

"Um quadro ainda mais tenebroso"

 

São Paulo, 4 de janeiro de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, rumo aos 40.000pts, para fechar em território negativo pelo quarto pregão consecutivo, desta vez seguindo a forte baixa registrada na bolsa da China, que é o principal destino das exportações tupiniquins e que recuou –7,0% após anunciar contração, pelo quinto mês consecutivo, da sua atividade manufatureira em DEZ/15 e (2) o DÓLAR pode subir, para já começar o primeiro dia útil do ano acima dos R$ 4,00, acompanhando a esperada piora do "humor" na bolsa brasileira e a valorização internacional da moeda norte-americana.

 

Quarta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,7%, para fechar o ano de 2015 registrando uma baixa de –13,3%, pressionada pelo recuo das commodities e pela crescente piora das perspectivas para o futuro do país e (2) o DÓLAR subiu 1,9% à R$ 3,96 (48,9% no ano), acompanhando o "humor negativo" na bolsa brasileira e com os comprados vencendo a "briga" para a definição da última Ptax (preço de fechamento) de 2015.

 

Quinta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão não funcionou devido a feriado de ano novo, porem registrou alta de 9,1% no ano e CHINA –0,9%, prejudicada pelo recuo das commodities, porem acumulando uma valorização de 9,4% no ano, (2) da EUROPA, com baixo volume de negócios já que as principais bolsas da região ou estavam fechadas, como a da Alemanha (9,6% no ano), ou funcionaram apenas por meia sessão, Inglaterra –0,5% (-4,2% ano) e França –0,7% (10,2% no ano), com destaques de queda para as ações das petrolíferas e (3) dos EUA, também com poucos negócios, S&P –1,1% (-0,8% no ano), DJ -1,0% (-2,1% no ano) e NASDAQ –1,1% (6,0% no ano), em um ano marcado pelo inicio do ciclo de alta dos juros da maior economia do planeta.

 

Alertando os investidores globais, na matéria de capa desta semana, a primeira do ano, a prestigiada revista britânica The Economist ressalta que, com Dilma na presidência, o Brasil terá um ano desastroso pela frente e, em um texto repleto de críticas, destaca (1) a redução da nota de crédito do país, (2) o retorno do descontrole inflacionário, (3) os escândalos de corrupção, (4) a incapacidade de se fazer reformas, (5) a queda global nos preços das commodities, (6) os gastos extravagantes e imprudentes com aposentadorias e (7) as reduções de impostos para indústrias favorecidas e (8) a disparada da dívida pública.

 

Contribuindo com a redução da competitividade do país, os direitos relacionados às férias no Brasil, que dá 30 dias anuais de descanso aos seus trabalhadores, são bem mais generosos do que todos os vizinhos latino-americanos, como chilenos e bolivianos que contam com 15 dias úteis de férias, argentinos com 10 e os mexicanos com apenas 6, e também superam Alemanha, Itália e Rússia, que garantem 20 dias úteis, Japão com 15 dias corridos e EUA, onde não há um mínimo obrigatório de férias.

 

Desdenhando perigosamente da crise, que deve se aprofundar este ano, (1) o grupo mineiro Tenco planeja investir R$ 540mi neste ano de 2016 para construir 4 shopping centers em 3 Estados brasileiros e (2) a Vitacon planeja investir R$ 400mi em novos projetos, sobretudo em empreendimentos para locação.

 

Projetando um recuo de –3,0% no PIB brasileiro em 2016, sem a retomada da economia e com a inflação corroendo o poder de compra das famílias, na opinião de especialistas em mercado de trabalho o país deve perder até 2,2 milhões de vagas com carteira assinada neste ano que começa e o emprego só deve começar a reagir em 2018.

 

Afetando diretamente a economia brasileira, logo no primeiro dia útil e 2016 a indústria da China voltou a mostrar contração, já que em DEZ/15 o PMI, que é o índice geral de compras e que quando marca acima de 50pts mostra expansão, ficou em 49,7pts, registrando assim o quinto mês consecutivo de retração.

 

Após ajudar a economia tupiniquim a surfar em boas ondas, o agronegócio deve passar por turbulências neste ano, pois o cenário mudou radicalmente para o setor que, além das incertezas políticas e econômicas que afetam o país, também será prejudicado pela trajetória internacional de queda dos preços das principais commodities, diante da reposição de estoques mundiais de grãos, do aumento das taxas de juros nos EUA e da valorização do dólar.

 

Como fruto da desvalorização do real e da retração na demanda, as filiais brasileiras perderem relevância no balanço das principais multinacionais e, sem perspectivas de melhoras no curto prazo, o país deixou de ser o queridinho nas matrizes e passa a ser visto, com preocupação, como ovelha negra.

 

Depois de despejar R$ 362bi  até 2014 em empréstimos subsidiados do BNDES para a compra de máquinas e equipamentos, projeto que ficou conhecido como "bolsa empresário" e que certamente garantiu doações generosas para a campanha à reeleição a presidenta Dilma, o governo encerrou o Programa de Sustentação de Investimentos no final de 2015 com uma conta para pagar de pelo menos R$ 214bi.

 

Ajudando a reduzir a competitividade de indústria nacional e pressionando a inflação, a presidenta Dilma sancionou, com vetos, a Medida Provisória 690, que aumenta a tributação sobre bebidas alcoólicas e itens de informática como smartphones, tablets e notebooks.

 

Contribuindo para a redução do preço do barril, que fechou 2015 no menor patamar em 11 anos e já recuou –70% nos últimos 18 meses, a produção de petróleo na Rússia, um dos maiores fornecedores do mundo, atingiu sua capacidade máxima no mês passado e no ano de 2015, impulsionada pela produção das pequenas e médias empresas.

 

Apesar de o setor de infraestrutura ser o principal gargalo para o aumento da competitividade e para o crescimento econômico do país, no primeiro semestre do ano passado o governo federal investiu apenas 0,33% do PIB na realização de grandes obras de transporte, energia, saneamento e telecomunicações.

 

Depois de um 2015 péssimo, para 2016 a perspectiva é de "um quadro ainda mais tenebroso" para quem insiste em manter seus investimentos em real, já que com a inflação superando os 10% e com a taxa de juros segurada artificialmente e ideologicamente pelo governo, até quem aplica em renda fixa terá retornos baixos.


Política:
 
Revelando mais uma pilantragem petista, a Polícia Federal descobriu um rombo de R$ -5bi no Postalis, que é o Instituto de Seguridade dos Correios, comandado pelo PMDB, ressaltando que ocorreu mau uso das contribuições dos servidores e responsabilizando 28 pessoas, entre diretores e ex-diretores, além de empresários e executivos do mercado financeiro.
 
Fora dos holofotes, os processos que pedem a cassação de 13 governadores eleitos em 2014, como o petista Fernando Pimentel em MG e o tucano Beto Richa no PR, com acusações que vão de uso da máquina pública a abuso de poder e captação ilegal de recursos, pouco avançaram depois de um ano de mandato.

 

O mandato de Dilma começa 2016 correndo risco em duas frentes (1) no Congresso, com o andamento do processo de impeachment e (2) no TSE, com quatro ações movidas pelo PSDB, que acusa a campanha petista de praticar crimes eleitorais e receber dinheiro de propina da Petrobras.

 

Tentando manter a racionalidade, o que certamente não deverá durar muito, a área econômica do governo Dilma avisou que não cederá às pressões do PT pelo uso das reservas internacionais para financiar obras e investimentos como defende publicamente o ministro Ricardo Berzoini.

 

Torrando dinheiro publico, em 2015, segundo dados oficiais, a Força Aérea Brasileira realizou 2.734 voos para transportar ministros de Estado e os presidentes da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal e o recordista foi Eduardo Cunha, o presidente da Câmara, que viajou 144 vezes.

 

Peemedebistas ligados a Eduardo Cunha, presidente da Câmara, pressionam a bancada mineira do partido a apresentar já no início de JAN/16 um nome que tenha apoio de todos os deputados do Estado para disputar a liderança da sigla e o nome de Newton Cardoso Jr. ganhou força.

 

Acusando, com toda a razão, o governo Dilma de ser "discriminatório e descortês", Floriano Pesaro, judeu e secretário de Desenvolvimento Social do governo Alckmin, enviou uma carta ao Itamaraty pedindo a imediata aceitação de Dani Dayan, embaixador indicado por Israel para o país.

 

Unidos nacionalmente contra o impeachment de Dilma, PDT e PC do B começam a ter ruídos na relação em alguns Estados, como em SP, onde comunistas e trabalhistas brigam pelo mandato do vereador Netinho de Paula, que trocou o PC do B pelo PDT.


Crítica:
 
Exemplos que deveriam ser seguidos pelo Brasil, (1) o Chile, com uma população educada e culta, já é o quarto exportador mundial de vinho engarrafado e o primeiro do Novo Mundo, com isto cerca de 1,8 bilhão de pessoas no mundo consomem ao menos uma garrafa de vinho chileno por ano e (2) logo depois de sua posse na Argentina, o governo do presidente Maurício Macri começou a tomar decisões importantes como a liberação das exportações e do câmbio e a eliminação de restrições à imprensa.

 

Sustentando uma maquina publica ineficiente, ignorante e corrupta, a carga tributária brasileira atingiu R$ 2,1tri no ano passado, o que representa aumento nominal de 7,2% em relação ao R$ 1,95tri arrecadado em todo o país em 2014 e um recorde histórico em valor absoluto.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário