R.B. 24/ABR/15 "Metendo a mão no bolso do trabalhador"


R.B.

"Metendo a mão no bolso do trabalhador"

 

São Paulo, 24 de abril de 2015 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando o desempenho positivo das principais bolsas mundiais, seguindo a recuperação dos preços das commodities e também influenciada pela melhora das perspectivas futuras para a Petrobrás e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, para fechar em território negativo pelo quarto pregão consecutivo, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, porem deve-se ressaltar que o patamar é bastante interessante para compra, já que é praticamente inevitável a alta dos juros dos EUA.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,9%, para fechar o dia no maior patamar desde 24/NOV/14 (aos 55.684pts), com ótimo volume de negócios (R$ 9,4bi), acompanhando a valorização das bolsas de NY, novamente impulsionada pelo bom desempenho das ações da Vale (6,6%) e com o avanço das ações ON da Petrobrás (5,6%) compensando as perdas das sua ações PN (-1,5%) e (2) o DÓLAR caiu –1,1% à R$ 2,98, desdenhando do "suposto suporte" dos R$ 3,00, para fechar o dia no menor patamar desde 3/MAR/15, embalado pelo comportamento externo da moeda norte-americana e influenciado pela redução das tensões políticas no Brasil.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,3%, com destaques de alta para as ações das empresas do setor financeiro, como Nomura Holdings (2,9%) e Daiwa Securities (2,5%), em meio à especulação de que o BC do Japão aprofundará sua política de relaxamento monetário e China 0,4%, já que dados fracos de manufatura do país reforçaram a percepção de que Pequim continuará adotando medidas de estímulo para conter a desaceleração do gigante asiático, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra 0,4%, sustentada pelo bom desempenho das mineradoras, como Anglo American (4,7%), BHP Billiton (3,3%) e Rio Tinto (3,3%), porem França –0,6% e Alemanha –1,2%, pressionadas por dados regionais ruins e por tensões em torno da crise de liquidez da Grécia e (3) dos EUA, com a NASDAQ fechando o dia no maior patamar desde 10/MAR/00, S&P 0,2%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,4%, com destaque de alta para as ações da AT&T (4,2%), que anunciou uma receita acima das expectativas, e influenciadas positivamente pela divulgação de indicadores fracos da economia, como o inesperado aumento dos pedidos de auxílio-desemprego, que reduzem a possibilidade de aumento dos juros do país no curto prazo.

 

Segundo a agencia de classificação de risco Moody´s, que aliás trabalha com um cenário de retração de -1% do PIB brasileiro em 2015, o enfraquecimento das perspectivas de recuperação da economia deve levar a uma deterioração da qualidade dos empréstimos dos bancos tupiniquins, porem a maioria dos 42 bancos avaliados pela agência tem recursos suficientes para lidar com os custos para provisões adicionais para cobrir eventuais calotes.

 

Com a economia brasileira finalmente apresentando um sinal positivo, em MAR/15 o país abriu 19.282 vagas formais de trabalho, resultado muito acima das expectativas (-25.000), que foi impulsionado principalmente pelas contratações no setor de serviços e que interrompeu 3 meses consecutivos de declínio.

 

Mais uma vez "metendo a mão no bolso do trabalhador", o governo Dilma, que está sem espaço para fazer repasses ao BNDES num ano em que precisa conter custos, anunciou que pretende usar recursos do FGTS para capitalizar o referido banco de fomento, que aliás recentemente, mesmo reclamando da falta de recursos, financiou obras em Cuba e na Venezuela.

 

Ajudando a pressionar ainda mais a inflação, ontem os líderes de caminhoneiros autônomos informaram que fizeram 102 pontos de manifestações, alguns deles com fechamento de pistas, ao longo do dia em pelo menos seis estados e que a partir desta sexta-feira haverá novas adesões ao movimento que reivindica que o governo faça uma tabela de frete mínimo para a categoria.

 

Tentando convencer os investidores que a Petrobrás será menos usada politicamente, após Joaquim Levy afirmar que o governo indicará conselheiros técnicos para a empresa, Aldemir Bendine, presidente da Estatal, "garantiu" que os preços dos combustíveis seguirão a paridade externa.

 

Mostrando os efeitos negativos da enorme intervenção publica na economia, ontem, por conta da decisão do governo federal de mudar as regras para concessão de financiamentos ao ensino superior por meio do programa Fies, impondo notas mínimas em exames prévios e limitando o total de novas vagas financiadas, a Anima Educação anunciou que decidiu desfazer o contrato para unir suas operações com as da norte-americana Whitney University System, o que vai gerar uma multa de R$ 46mi para a empresa brasileira.


Política:
 
Enquanto corta direitos trabalhistas e reduz investimentos para tentar colocar as contas publicas em ordem, o governo Dilma, com o objetivo claro que comprar apoio da base aliada, publicou ontem um decreto ampliando em R$ 3,4bi a autorização de gastos dos principais ministérios.
 
Dando sequencia ao "cabo de guerra", ontem Eduardo Cunha, presidente da Câmara, afirmou que, caso seu par no Senado, Renan Calheiros, atrase a votação do projeto que regulamenta a terceirização, propostas de senadores também podem ter o mesmo tratamento na Câmara dos Deputados.
 
Atuando como primeiro ministro, já que além de cuidar da economia também trata de política, ontem Joaquim Levy, ministro da Fazenda, teve uma série de encontros com governadores, que temem a descontinuação de projetos, parcerias e repasses de dinheiro por conta do ajuste fiscal e dos cortes no Orçamento, e pediu a eles empenho para aprovar a reforma do ICMS, garantindo que haverá recursos para compor um fundo de compensação.
 
-    Fazendo uma piada sem graça, ontem o Tribunal Superior Eleitoral multou em "míseros" R$ 30 mil a coligação da campanha de reeleição da presidenta Dilma por propaganda irregular no site Muda Mais, durante as eleições de 2014.

-    Para evitar mais um panelaço, a presidenta Dilma, cada dia mais reclusa, analisa com bastante atenção o conselho que recebeu do ex-presidente Lula para cancelar o seu tradicional pronunciamento no 1º de maio, Dia do Trabalho.

-    O Planalto considera que a nova subida de tom do peemedebista Renan Calheiros contra o governo pode travar a aprovação de projetos de interesse de Dilma no Senado, entre eles a indicação de Luiz Edson Fachin para o STF.

-    Um dia depois de receberem contracheques com descontos de até R$ 10 mil por faltas, deputados saíram em disparada pelos corredores da Câmara para votar na última sessão do dia.


Crítica:

 

Mostrando como "o Brasil ainda precisa rebolar bastante" para chegar próximo aos EUA, segundo Antonio Carlos Soares, CEO da Runrun.it, que por sua vez é uma plataforma de gestão de equipes, tempo e desempenho, usada por mais de 50 mil empresas em 74 países, a produtividade do profissional brasileiro equivale a 20% da produtividade do trabalhador norte-americano.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário