R.B. 3/NOV/14 "Bolsa família dos ricos"


R.B.

"Bolsa família dos ricos"

 

São Paulo, 3 de novembro de 2014 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, realizando lucros recentes, influenciada negativamente pelo desempenho vergonhoso das contas publicas brasileiras em SET/14 e pelo adiamento do anuncio de alta dos combustíveis pela Petrobras e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e a esperada piora do "humor" na Bovespa.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 4,4%, seguindo o bom desempenho das principais bolsas mundiais, influenciada positivamente pela divulgação de bons resultados corporativos de empresas brasileiras e com destaque de alta para as ações da Petrobrás (6,3%), diante de "rumores" de que seria divulgado o aumento dos combustíveis e (2) o DÓLAR subiu 2,7% à R$ 2,47, influenciado pela "briga" para a formação da cotação de fechamento do mês e principalmente pelo péssimo desempenho das contas publicas brasileiras, que apresentou déficit maior do que o mercado esperava.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 4,8% e China 1,2%, impulsionadas pelo inesperado anuncio do BC japonês que aumentou os estímulos monetários para US$ 90,4bi com o objetivo de impulsionar o crescimento e diminuir a redução de preços, (2) da EUROPA, Inglaterra 1,3%, França 2,2% e Alemanha 2,3%, impulsionadas pela expectativa de que o BC europeu seguirá os passos do BC japonês e lançar um pacote de estímulos econômicos e (3) dos EUA, com o S&P fechando em nível recorde pela 35ª vez no ano, S&P 1,2%, DJ 1,1% e NASDAQ 1,4%, com os investidores reagindo de forma positiva à divulgação de bons resultados corporativos e à decisão do BC do Japão de ampliar seu programa de compras de ativos.

 

Além do programa de estímulos econômicos, o que estimulou bastante as principais bolsas mundiais na última sexta-feira foi divulgação de que o fundo de investimento de pensões do governo japonês, que é o maior fundo público de pensões do mundo, vai dobrar alocações em ações nacionais e estrangeiras, para 25%, ante à taxa de 12%, e ao mesmo tempo, reduzir a alocação em bônus domésticos para 35%, de 60%.

 

Diante da incompetência administrativa de Dilma, o setor público brasileiro registrou um déficit primário recorde de R$ -25,5bi em SET/14, empurrando a conta para o vermelho também no acumulado do ano, o que já levou o governo a admitir que vai reduzir a meta de economia deste ano.

 

Como pagam uma porcentagem do CDI, são isentos de IR e tem garantia do FGC para investimentos até R$ 250mil, as LCAs e LCIs, já apelidadas de "bolsa família dos ricos" , são os ativos mais atraentes aos investidores pessoas físicas que querem aproveitar a inesperada decisão do Copom de elevar a taxa básica de juros, a Selic, na semana passada.

 

Desaprovado pelo mercado financeiro e pelo próprio PT, partido ao qual é filiado, Arno Augustin deve assumir, a partir do próximo ano, o cargo de assessor especial da Presidência, com direito a sala ao lado do gabinete presidencial no Planalto e se tornando assim uma espécie de "grilo falante", dando ideias à presidenta não só na agenda macroeconômica, mas também na micro.

 

Segundo José Roberto Mendonça de Barros, sócio da MB Associados, ex-secretário de política econômica do governo FHC e um dos conselheiros de Aécio, a presidenta Dilma está presa em um dilema, já que se quiser recuperar a credibilidade de seu governo, será obrigada a um forte ajuste fiscal, com grandes chances de provocar uma recessão, o que é exatamente o contrário do discurso eleitoral que dizia que o ajuste recessivo seria feito pela oposição.

 

Ressaltando que o governo precisa reconhecer que destruiu o setor industrial e anunciar um conjunto de medidas coerentes para reconstruí-lo, Delfim Netto, um dos economistas mais respeitados do país, afirmou que outra medida urgente é arrumar as contas públicas para evitar que o Brasil perca o grau de investimento, o que, segundo ele, seria uma tragédia.

 

Com juros entre os mais altos do mundo, o Brasil tem dificuldade para viabilizar investimentos de longo prazo de maturação e de baixo retorno, como habitação, saneamento e infraestrutura, com isto os poucos projetos que saem do papel recorrem aos juros subsidiados do BNDES.

 

Abrindo uma nova fronteira para as exportações tupiniquins, um navio carregado de milho partiu em meados de SET/14 do Brasil e deve chegar nos próximos dias à China, o que foi o primeiro embarque desde que o mercado chinês foi oficialmente reaberto ao cereal brasileiro, no fim de MAR/14.

 

Mesmo diante de uma das maiores crises do setor sucroalcooleiro, o Brasil entrou num seleto grupo de países que já produzem em escala comercial o chamado etanol de segunda geração (2G), feito a partir da palha e do bagaço da cana-de-açúcar.


Política:
 
Mostrando que a relação de Dilma com o Congresso será muito difícil, o deputado peemedebista Eduardo Cunha, que está de olho na presidência da Câmara dos Deputados em 2015, convocou, para amanhã, uma reunião de líderes do chamado "blocão", visando articular apoio à sua candidatura e o isolamento o PT.
 
Por carecerem de uma militância ativa, a maioria dos partidos que lançou candidatos a deputado federal neste ano conquistou, em ao menos um Estado do país, menos votos do que o número de filiados registrados na Justiça Eleitoral e a lista é composta principalmente por siglas nanicas, como o PMN e o PRTB, mas inclui também partidos com bancadas representativas no Congresso, como PDT, PC do B, PP e DEM.

 

-    Com o objetivo claro e legitimo de ser o candidato tucano à presidente em 2018, Alckmin, o governador de SP, já sinalizou que vai priorizar a redução do número atual de secretarias e a criação de uma marca social forte à sua gestão.

-    Critico do governo Dilma, o grupo que edita a revista "The Economist" anunciou que abrirá nos próximos meses um escritório em SP que vai abrigar uma equipe comercial e outra de análise.

-    Segundo Ronaldo Caiado, senador reeleito pelo DEM de Goiás, o que a presidenta Dilma está querendo não é uma reforma política e sim  diminuir a força do Legislativo, assim como queria no decreto dos conselhos populares.

-    Coberto de razão, FHC afirmou, em sua primeira análise após as eleições, que a oposição deve retornar "logo a ofensiva nos debates políticos" e insinuou desconfiança sobre a disposição que a presidenta Dilma  de dialogar com seus adversários.


Crítica:
 
Certamente a baixa competitividade da economia brasileira é causada pela má qualidade da educação em todos os níveis, porem, em um mundo conectado e fortemente digital, temos de considerar também outra grande carência nacional, que é a baixíssima velocidade média de acesso à Internet tupiniquim, que deveria ser fiscalizada e regulada pela aparelhada, despreparada e incompetente Anatel.
 
Mostrando que o Brasil escolheu o carro, somente no ano passado a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados para automóveis e o subsídio da gasolina, uma espécie de "bolsa carro", somaram R$ 19,4bi, valor que é quase o dobro do montante destinado a melhorar o transporte público nas cidades (R$ 10,2bi) em 2013.


PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário