R.B. 26/JUN/14 ''Acefalia crônica do governo Dilma''


R.B.

"Acefalia crônica do governo Dilma"

 

São Paulo, 26 de junho de 2014 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando uma recuperação após fechar o pregão registando a maior baixa percentual desde 30/MAI/14, acompanhando o movimento ascendente das demais bolsas mundiais e influenciada pelas ''apostas'' de nova queda de Dilma nas pesquisas de intenção d voto e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, ainda influenciado pelo fluxo positivo de recursos externos diante da elevada taxa real de juros da economia brasileira.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,6%, prejudicada pela forte queda nas ações dos bancos, como Itaú (-3,2%) e Banco do Brasil (1,3%), influenciadas pelo anuncio de aumento na inadimplência, e da Petrobras (-2,0%), diante das avaliações negativas em relação à decisão, anunciada ontem pelo governo, de contratar a estatal, sem licitação, para explorar o óleo excedente em quatro áreas da chamada cessão onerosa e (2) o DÓLAR caiu –0,7% à R$ 2,21, devolvendo parte da forte alta registrada no pregão anterior, influenciado pelos leilões do BC e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –0,7% e China –0,4%, prejudicadas pelo o aumento da violência no Oriente Médio, que por elevar os custos do petróleo e assim afetar o crescimento da economia global, (2) da EUROPA, Inglaterra –0,8%, França –1,3% e Alemanha –0,7%, com os investidores desanimados com a queda maior do que a esperada do PIB dos EUA e com destaque de queda para as ações da GDF Suez (-2,3%), depois que o governo francês vendeu sua participação  na referida empresa de energia e (3) dos EUA, revertendo uma abertura negativa, S&P 0,5%, DJ 0,3% e NASDAQ 0,7%, já que os dados piores do que o esperado do PIB do país reduziram os temores de retirada mais acentuada do pacote de estímulos econômicos do FED (''BC'' local).

 

Após ressaltar que o próximo governo terá o desafio de elaborar uma agenda de política econômica que incorpore mudanças significativas para lidar com as preocupações de investidores, indicando que também torce contra a presidenta Dilma a a agência de classificação de risco Moody's afirmou ontem que perspectiva do rating do Brasil pode ser revisada negativamente se o país continuar enfrentando declínio dos gastos com investimento, desaceleração do consumo e deterioração da confiança do investidor.

 

Se aliando ao que tem de pior no mundo e, para piorar, sem tirar nenhum proveito disto e apenas se prejudicando mais, ontem o governo brasileiro fez uma dura defesa da Argentina na ONU, ressaltando que a decisão do Judiciário norte-americano, que obriga o vizinho a pagar seus credores, foi "irresponsável, especulativa e moralmente questionável".

 

Como o governo Dilma, ao invés e apenas querer ''ser feliz', insiste em manter suas ideologias e principalmente suas más companhias, foi anunciado ontem que estão esgotadas as possibilidades de se fechar ainda este ano um acordo entre Mercosul e União Europeia para uma área de livre-comércio entre os blocos.

 

Apresentando dos números ruim da economia brasileira, que são fruto da irresponsabilidade do governo Dilma de estimular o consumo desnecessário e sem planejamento, (1) atingindo o maior patamar dos últimos 6 meses, em MAI/14 a inadimplência nas operações de crédito ficou em 3,1%, ante 3,0% em ABR/14 e (2) o BC reduziu, de 13% para 12%, sua previsão para o crescimento do mercado brasileiro de crédito neste ano.

 

Sendo ''turbinando'' para emprestar dinheiro para empresas ''amigas'', o que é bem positivo para o governo neste ano de eleições, ontem o Tesouro Nacional autorizou a concessão de R$ 30 bilhões de crédito ao BNDES, em uma captação que foi feita por meio da emissão de títulos públicos.

 

-    A MMX caiu –3,7%, após a mineradora de Eike Batista apresentar um prejuízo líquido maior que o registrado um ano antes e uma geração de caixa negativa.

-    A Oi subiu 1,0%, após a empresa anunciar que fechou acordo para transferir 1.641 torres de telecomunicações à SBA Torres Brasil por R$ 1,2bi.


Política:

 

Cada dia mais descrentes na política, o que é fruto da péssima qualidade da educação brasileira e também ajuda os políticos corruptos, segundo uma pesquisa recentemente divulgada 55% dos eleitores tupiniquins não está interessado ou está pouco interessado nas eleições de OUT/14.

 

Após Joaquim Barbosa, que vai se aposentar em breve, sair da relatoria do processo do mensalão, ontem, por 9 votos a 1, o Supremo Tribunal Federal autorizou, às vésperas do recesso do Judiciário, que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu trabalhe fora do Complexo Penitenciário da Papuda, onde cumpre pena.

 

Em busca dos preciosos minutos na propaganda eleitoral de rádio e TV, apenas um dia depois do PR pedir a cabeça de César Borges, ministro dos Transportes, sob a alegação de que ele não mantém uma boa relação com deputados do partido, Dilma decidiu trocar o referido ministro por Paulo Sérgio Passos, do também do PR.

 

''Esquecendo'' de que tinha prometido a vaga ao ''companheiro'' Serra, ontem, em uma jogada para tentar trazer o apoio do PSD à sua reeleição, Alckmin, o governador tucano de SP, convidou publicamente o ex-prefeito Gilberto Kassab para ser o candidato de sua chapa concorrendo ao Senado.


Crítica:

 

Comprovando mais uma vez a ''acefalia crônica do governo Dilma'', segundo fontes do Palácio do Planalto, a decisão de repassar à Petrobras, sem licitação, mais quatro áreas de petróleo ainda neste ano, foi feita para Dilma colher dividendos políticos nas eleições presidenciais, porem desde que foi toma as ações da referida estatal já apresentaram queda de quase –10% em relação a máxima já atingida este ano.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil 



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário