R.B. 7/ABR/14 ‘’A batata da Dilma está assando’’


R.B.

"A batata da Dilma está assando"

 

São Paulo, 7 de abril de 2014 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, impulsionada principalmente pelas ações das empresas estatais, como Petrobrás, Banco do Brasil e Eletrobrás, com o mercado ''comemorando a queda'' da presidenta Dilma nas pesquisas de intenção de voto para presidente e (2) o DÓLAR pode seguir em baixa, agora mantendo os R$ 2,25 como resistência, com o BC brasileiro atuando na ponta vendedora e também influenciado pela queda de Dilma nas pesquisas.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,6%, devolvendo durante o pregão os ganhos alcançados na abertura (1,6%), em um movimento de realização de lucros que acompanhou a forte desvalorização das Bolsas nos EUA e (2) o DÓLAR caiu –1,4% à R$ 2,24, pressionado pelos leilões de venda do BC, para fechar o dia abaixo dos R$ 2,25 e no menor patamar desde 4/NOV/13, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Também na sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1% e China 0,7%, embaladas pelos ganhos de bancos e imobiliárias, diante das esperanças de que a economia chinesa irá se estabilizar, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,7%, França 0,8% e Alemanha 0,7%, impulsionadas por notícias sobre fusões e aquisições no setor de construção, por especulações sobre mais estímulos do BC Europeu e por dados positivos da indústria alemã e (3) dos EUA, S&P –1,2%, DJ –1,0% e NASDAQ –2,6%, realizando lucros recentes, e mesmo assim acumulando altas na semana, com destaques de queda para as ações de tecnologia e biotecnologia, como Netflix (-4,9%), Facebook (-4,6%), Priceline (-4,8%) e LinkedIn.

 

Apesar de dizer para os eleitores que a inflação está sob controle, a equipe da presidenta Dilma considera que o quadro, neste ano eleitoral, é "complicado" e "delicado" e busca uma ''formula mágica'' para desconstruir o discurso da oposição de que o governo segura artificialmente os preços administrados, empurrando para 2015 reajustes da gasolina e da energia.

 

Os últimos anos foram difíceis para os investidores em mercados emergentes, que passaram de ''queridinhos dos investidores mundiais e entraram para o grupo dos excluídos'', porem, mostrando que ''a maré está virando'', segundo um indicador compilado pelo Instituto de Finanças Internacionais sobre novas entradas para carteiras de mercados emergentes o saldo positivo enviado a estes países foi de US$ 5bi em JAN/14, US$ 25bi em FEV/14 e US$ 39bi em MAR/14.

 

Prejudicando milhares de trabalhadores, o patrimônio líquido das aplicações em recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço em ações da Petrobrás e da Vale diminuiu R$ -662 milhões apenas este ano e o principal culpado é o governo Dilma, que na Petrobrás segura os preços dos combustíveis para conter a inflação e na Vale atuou na troca de comando da empresa.

 

Mesmo diante dos os sinais de desaceleração da economia brasileira, pressionando a inflação, (1) em JAN/14 o consumo de combustíveis foi 10,4% maior que em JAN/13 e (2) nos 2 primeiros meses deste ano o consumo de energia elétrica teve um aumento de 10,6% na comparação com o mesmo período de 2013.

 

Com o Brasil mostrando pela ''enésima vez'' sua vocação, na corrida para aumentar sua produtividade, o setor agrícola tupiniquim, diante da adoção de novas tecnologias, fez a produção de grãos no País crescer cerca de 60% nos últimos 10 anos e a expectativa é de que avance mais 40% até 2020, o que representará o dobro da meta mundial para o mesmo período.

 

-    A Petrobrás subiu 0,2% e, durante este final de semana, a petrolífera anunciou que em MAR/14 atingiu um novo recorde mensal de processamento de petróleo nas suas refinarias.


Política:

 

Confirmando, conforme já adiantado pelo R.B., que ''a batata da Dilma está assando'', segundo a última pesquisa divulgada sobre a corrida presidencial deste ano as intenções da voto na presidenta caíram de 44% para 38%, já o tucano Aécio Neves subiu de 19% para 20% e Eduardo Campos, do PSB, subiu de 9% para 10%.

 

Indicando mais uma vez que o PSB deveria colocar Marina Silva no lugar de Eduardo Campos, quando a representante do REDE está na disputa ela tem 27% das intenções de voto, contra 16% de Aécio Neves e 39% da presidenta Dilma.

 

Como fruto da forma no mínimo ''truculenta'' com que a presidenta lida com seus ''companheiros'', diante da queda de Dilma nas pesquisas de intenção de voto, tem crescido de forma descontrolada entre os petistas o sentimento do ''volta Lula''.

 

Para tentar reverter o quadro de queda de Dilma, a ontem do Palácio do Planalto é "virar a agenda'' do governo, pacificar o Congresso, acabar com qualquer tipo de CPI da Petrobras, fazer a presidenta viajar mais e colocar os ministros para defenderem a administração.

 

Mostrando mais uma vez para seus eleitores que ''não sabe pensar ou decidir sozinha'', na sexta-feira passada a presidenta Dilma, que veio à SP para participar da inauguração de 2.508 moradias do Minha Casa Minha Vida no interior do Estado, aproveitou para antes fazer uma ''consulta'' com Lula sobre a crise da Petrobras.


Crítica:

 

Principalmente por conta do excesso de impostos e de burocracia, segundo uma pesquisa feita por analistas do banco BTG Pactual em 22 dos 87 países em que a Zara está presente, o Brasil é o lugar onde os produtos da marca são os mais caros, superando em até 21,5% os preços das lojas norte-americanas da marca.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário