R.B. 31/MAR/14 "Ficar atento com a gestão"


R.B.

"Ficar atento com a gestão"

 

São Paulo, 31 de março de 2014 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, para finalmente fechar o dia acima da ''resistência'' dos 50.000pts, acompanhando o movimento ascendente das demais bolsas mundiais para recuperar mais uma parte das perdas acumuladas no ano (-3,4%) e nos últimos 12 meses (-11,2%) e (2) o DÓLAR pode cair, tentando agora romper o ''suporte'' dos R$ 2,25, com o BC seguindo na ponta vendedora para tentar segurar a inflação.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,2%, revertendo uma abertura negativa, acompanhando o movimento ascendente das bolsas de NY e da Europa e fechando a semana com valorização de 5,0% e (2) o DÓLAR caiu –0,4% à R$ 2,26, fechando o dia no menor patamar desde 4/NOV/13, após o anuncio de que a poupança que o governo faz para pagar a dívida pública ficou acima do esperado em FEV/14.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,5% e China 0,2%, recuperando perdas recentes e beneficiadas por noticias positivas da economia japonesa, que divulgou que a taxa de desemprego do país caiu para 3,6% em FEV/14, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,4%, França 0,7% e Alemanha 1,4%, impulsionadas por ''rumores'' de que o BC europeu vai afrouxar a política monetária na próxima semana para estimular a frágil  recuperação econômica da região e (3) dos EUA, S&P 0,5%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,1%, beneficiadas pela divulgação de dados positivos de renda pessoal e gastos com consumo do país em FEV/14.

 

Ressaltando que o Brasil deve "ficar atento com a gestão" e "administrar de forma mais eficiente", o que foi uma critica direta à presidenta Dilma, o colombiano Luis Alberto Moreno, que é presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, afirmou que ainda existe ''esperança" para a retomada do crescimento econômico do Brasil, porem é necessário que o País "faça esforços" para promover reformas estruturais na economia e melhorias na capacidade produtiva, em especial nas áreas de infraestrutura e educação.

 

Podendo seguir os passos da S&P, a agencia de classificação de risco Fitch Ratings ''avisou'' que vai concluir a sua revisão sobre a ''nota'' do Brasil somente em JUL/14, porem já adiantou que há risco de que a reavaliação do país possa levar a um rebaixamento da classificação.

 

Superando até as expectativas mais pessimistas do ''mercado'' (1,63%), bem acima da média das ''apostas'' (1,52%) e atingindo o maior patamar desde JUL/08, o IGP-M de MAR/14, puxado por uma forte alta nos preços agropecuários no atacado e consequentemente por alimentos mais caros no varejo, ficou em 1,67%, acumulando com isto uma alta de 7,30% nos últimos 12 meses.

 

Barateando a operação, que não necessitaria mais de proteção cambial, o BID anunciou que estuda fazer captações em reais para emprestar em moeda local para empresas no Brasil, ampliando assim o acesso ao crédito para pequenas e médias empresas.

 

Dando 3 sinais positivos da economia brasileira, em FEV/14 (1) surpreendendo os pessimistas, que esperavam déficit no período, o setor público brasileiro, impulsionado pelo resultado dos estados e municípios, registrou um superávit primário de R$ 2,13bi, (2) as companhias aéreas brasileiras transportaram 14,4% mais passageiros que em FEV/13 e (3) o volume movimentado no porto de Santos atingiu o recorde histórico de 7,8 milhões toneladas, patamar 4% maior que o registrado em FEV/13.

 

Como o mês passado teve menos dias úteis, em FEV/14 o índice de inadimplência das empresas registrou um recuo de –14,8% na comparação com JAN/14, porem, diante do baixo dinamismo da economia e da elevação dos custos financeiros, este indicador subiu 7,6% na comparação com FEV/13.

 

Ainda sem cogitar a eliminação, ou ao menos a redução, da taxa de custódia, que no ano representa 8,2% dos investimentos de uma pessoa que compra R$ 1.000,00 em ações, e também sem fazer nada para reduzir a enorme e complicada carga tributária para aqueles que se tornam sócios minoritários das empresas, Edemir Pinto, diretor-presidente da BM&FBovespa, afirmou que o principal motivo para a Bovespa não ter atingido a meta de terminar 2014 com 5 milhões de pessoas físicas (atualmente são cerca de 600mil) foi a queda das ações da Petrobras.

 

Sem concorrentes, principalmente diante da enorme insegurança de se investir devido às constantes mudanças de regras pelo governo Dilma no setor elétrico, o consórcio formado por Furnas e pelo fundo de investimento Constantinopla ganhou na sexta-feira a concessão da usina hidrelétrica Três Irmãos, atualmente operada pela Cesp.


Política:

 

Mostrando mais uma vez que 'tudo que está ruim pode piorar'', segundo a ultima pesquisa divulgada com intenções de voto para o governo do RJ, Garotinho lidera com 19%, Marcelo Crivela tem 18%, Lindbergh tem 13%, Luiz Pezão tem 6% e Alfredo Sirkis tem 2%.

 

Acreditando que a melhor defesa é o ataque, com a iminência da criação de uma CPI para investigar a Petrobras, o PT vai insistir nesta semana em duas estratégias para minimizar danos ao governo, (1) tentar viabilizar uma comissão mista, com senadores e deputados, e (2) pressionar pela inclusão no objeto das apurações de denúncias que atingem diretamente a oposição.

 

Confirmando mais uma vez e falta de capacidade gerencial do governo Dilma, o plano do Palácio do Planalto de construir 10 mil quilômetros de ferrovias em cinco anos, lançado em AGO/12 com a ousada meta de fazer 12 novas ligações ferroviárias integrando praticamente todo o país, ao custo estimado de R$ 91bi, não terá nem sequer uma obra de ferrovia iniciada até o fim deste ano.

 

Com o ''filme queimado'' entre a população, a Câmara dos Deputados vai retomar a contratação de uma agência de publicidade para fazer propaganda institucional da Casa e, segundo o edital da concorrência, o orçamento previsto é de R$ 10mi.

 

Podendo atrapalhar as intenções e pretensões petistas e tucanas para o governo de SP, segundo Kassab, ex-prefeito de SP e presidente do PSD, Meirelles, ex-presidente do BC, será o candidato do seu partido ao governo da maior cidade do Brasil nas eleições deste ano.


Crítica:

 

Na época que o Brasil ganhou o direito de sediar a Copa do mundo de futebol eu confesso que comemorei!
 
Sinceramente, como jogador amador de futebol e brasileiro que sou, acredito que para que ocorra uma boa partida de futebol precisamos de 11 de cada lado e uma bola!
 
As pessoas veem a copa pela TV, poucos cabem nos estádios!!!
Cabem 40mil em cada jogo?
Sendo: 15mil gringos, 15mil brasileiros,
10mil autoridades e convidados de empresas! 

Já tínhamos mais estádios do que precisamos, o certo era apenas dar um "tapa" em 7 ou 8 estádios e, com investimentos em educação e infraestrutura, preparar-se para receber os gringos com alegria e custo baixo.
 
Se cada um dos 32 países que tem time na Copa mandar 15mil turistas, o que é uma média alta, teremos apenas 480mil turistas no país durante a copa.
 
Certamente quem não gosta de futebol, o que no mundo é muita gente, não virá durante a copa para o Brasil. 

Porém os políticos e burocratas do Brasil se uniram com da FIFA e fizeram estádios desnecessários e faraônicos.

No fim a população, além de ser obrigada a pagar a conta, ficará sem nenhum legado prometido, quiçá nem com a taça da Copa!

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário