R.B. 26/MAR/14 ’'Pensando apenas em se reeleger’’


R.B.

"Pensando apenas em se reeleger"

 

São Paulo, 26 de março de 2014 (QUARTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, para fechar em território positivo pelo oitavo pregão consecutivo, acompanhando a trajetória ascendente das demais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, com ''boas chances'' de testar o ''suporte'' dos R$ 2,30 até o final deste mês.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,4%, revertendo uma abertura negativa e recuperando o patamar dos 48.000pts (aos 48.180pts), o que mostrou que o rebaixamento da ''nota'' do brasil já estava ''no preço'', diante do desempenho positivo das bolsas de NY e (2) o DÓLAR caiu –0,7% a 2,31, no menor patamar em 4 meses, influenciado pelos leilões de venda do BC.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –0,4% e China –0,2, diante das preocupações de que a economia japonesa pode ser prejudicada pelo anuncio de aumento do imposto sobre vendas e do anuncio de uma nova queda na atividade das indústrias chinesas, (2) da EUROPA, revertendo uma abertura negativa, Inglaterra 1,3%, França 1,6% e Alemanha 1,6%, com destaques de alta para as mineradoras, impulsionadas por expectativas de medidas de estímulo do BC Europeu para ajudar suas economias a enfrentar qualquer desaceleração e (3) dos EUA, S&P 0,4%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,2%, recuperando-se de 2 dias de declínio, depois que a leitura forte da confiança do consumidor do país aumentou o otimismo sobre a economia.

 

Apesar de indicar que não vê novo rebaixamento para o Brasil, o que significaria a perda do grau de investimento, ontem a agência de classificação de risco Standard & Poor's anunciou o corte na sua ''nota'' de classificação para mais 13 companhias tupiniquins, todas elas ligadas ao setor financeiro, ressaltando que decisão ocorreu pois os portfólios de crédito e investimento destas empresas estão "altamente expostos" ao títulos do governo brasileiro.

 

Indicando que, ao menos em alguns setores, ainda é muito atraente investir no Brasil, ontem foi anunciado que a Intermédica, uma das maiores operadoras de planos de saúde do país e que tem seu foco em planos coletivos voltado às classes mais baixas, foi vendida por R$ 2,0bi ao Bain Capital, que é um grupo de investimentos dos EUA.

 

Mostrando que não é por falta de arrecadação que as contas publicas estão cada dia piores, em FEV/14 o valor total de impostos e demais tributos recebidos pelo governo federal atingiu R$ 83,1bi, o que representa um recorde histórico para o mês e uma expansão real (que desconta a inflação) de 3,4% ante FEV/13.

 

Ligeiramente acima da média das ''apostas do mercado'' (0,73%) e também acima da segunda leitura do mês (0,68%), o IPC, que mede a inflação da cidade de SP, registrou uma alta de 0,76% na terceira quadrissemana de MAR/14, pressionado principalmente pela alta nos preços dos alimentos.

 

-    A Petrobrás subiu 0,5%, após revelar, em uma reunião com bancos, que conta com um aumento de preços de combustíveis no mercado interno antes do final do ano, com o objetivo de obter uma paridade em relação aos valores internacionais até 2015.


Política:

 

Ontem, depois de dois anos e sete meses de embates, negociações e intensos lobbys, a Câmara dos Deputados aprovou o texto principal do Marco Civil da Internet, que é uma espécie de Constituição, estabelecendo princípios, garantias, direitos e deveres na rede e que agora segue para aprovação do Senado.

 

''Pensando apenas em se reeleger'', principalmente agora que faltam cerca de 6 meses para o primeiro turno, a presidenta Dilma intensificou o ritmo de viagens pelo Brasil, principalmente para inaugurar obras, e em MAR/14 tem uma média de 1 cidade visitada a cada 2 dias, o que representa o maior patamar desde que ela assumiu o cargo.

 

Por ''ordem'' de Lula, a presidenta Dilma deflagrou as negociações para mudança no Ministério das Relações Institucionais e, segundo deputados do PT, o cenário mais provável é o de que a atual ministra Ideli Salvatti, do PT, seja substituída pelo deputado Ricardo Berzoini, também do PT, que supostamente teria um trânsito melhor com a base aliada.

 

''110% alinhado'' com o governo Dilma, ontem o empresário Abílio Diniz, presidente do conselho de administração da BRF, afirmou que a economia brasileira está sólida e que o rebaixamento do rating do Brasil pela S&P "não quer dizer nada".

 

Apesar de ressaltar que as agencias de classificação de risco não são infalíveis, ontem o ex-presidente FHC, do PSDB, afirmou que o rebaixamento da ''nota'' do Brasil pela S&P é um sinal "óbvio" de desconfiança em relação à economia, ressaltando que o endividamento público cresceu e existe um artificialismo no manejo do Orçamento.


Crítica:

 

Consolidando cada dia mais a imagem de fraqueza de Obama, que aliás está com sua popularidade no menor patamar da história, segundo Donald Rumsfeld, ex-secretário da Defesa dos EUA, até um "macaco treinado" lidaria melhor com o presidente afegão.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário