R.B. 30/JAN/14 ''Enormes avanços''


R.B.

"Enormes avanços"

 

São Paulo, 30 de janeiro de 2014 (QUINTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve subir, tentando uma recuperação depois de fechar novamente no menor patamar desde 7/AGO/13 e de acumular uma baixa de –7,7% ano ano, diante da avaliação de que a redução de estímulos monetários nos EUA ocorre por conta da recuperação da maior economia do mundo, o que, juntamente com a desvalorização do real, pode beneficiar as exportações brasileiras.

-    O DÓLAR pode cair, reduzindo uma parte da alta já acumulada no ano (3,4%), influenciado pela provável melhora do ''humor'' na Bovespa, seguindo a realização de lucros internacional da moeda norte-americana e também pressionado pelos leilões de venda do BC.

 

ONTEM

-    BOVESPA –0,6%, já abriu em queda e, diante da já esperada decisão do FED (''Copom'' dos EUA) de dar continuidade à redução gradual dos estímulos monetários à economia norte-americana, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, acompanhando o movimento similar ocorrido nas principais bolsas do mundo e principalmente nos mercados emergentes.

-    DÓLAR 0,4% à R$ 2,44, já abriu em alta e, também influenciado pela expectativa com a reunião de política monetária do Fed (''Copom'' dos EUA), manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, acompanhando o movimento internacional da moeda norte-americana, principalmente frente as moedas dos demais mercados emergentes.

-    Na ÁSIA, diante da decisão do BC da Turquia de elevar seus juros agressivamente, de 7,75% para 12%, para tentar diminuir as preocupações com os mercados emergentes, JAPÃO 2,7%, registrando a maior alta dos últimos 5 meses, em um movimento de recuperação de perdas recentes e CHINA 0,¨%, impulsionada por ações de bancos da região, ainda repercutindo a injeção do BC local de 375 bilhões de yuans no sistema bancário do pais na semana passada.

-    Na EUROPA, revertendo uma abertura positiva, INGLATERRA –0,4%, FRANÇA –0,7% e ALEMANHA –0,7%, com destaques de queda para as ações dos bancos, após o efeito positivo da alta de juros na Turquia rapidamente se dissipar em meio à preocupação de que os problemas dos mercados emergentes podem continuar, pois eles dependem fortemente dos fluxos de investidores estrangeiros para financiarem seus déficits em conta corrente.

-    Nos EUA, ainda sem motivos para subir e com o S&P fechando o dia no menor patamar desde 12/NOV/13, S&P –1,0%, DJ –1,2% e NASDAQ –1,1%, desta vez acompanhando o ''humor negativo'' com os mercados emergentes e também prejudicadas pela divulgação de resultados corporativos piores do que o esperado, como Boeing (-5,3%), AT&T (-1,1%) e Yahoo (-8,7%).


Economia:

 

Ontem, conforme esperado por mais de 90% do ''mercado'', o FED (''Copom'' dos EUA), anunciou um novo corte em seu programa de estímulos econômicos nos EUA, reduzindo de US$ 75bi para US$ 65bi a injeção mensal, via compra de títulos, em uma decisão que foi unânime, algo que não acontecia desde 2011 e que reflete o otimismo do referido colegiado o "progresso cumulativo" da economia norte-americana e com a "melhoria das perspectivas para as condições do mercado de trabalho".

 

Substituindo a iniciativa privada, que foge do país com medo das mudanças na politica econômica e principalmente nas ''regras do jogo'', ontem o BNDES ''garantiu'' condições especiais de financiamento para o vencedor do leilão para a concessão da linha de transmissão da usina de Belo Monte, que será a maior licitação da área de energia elétrica prevista para 2014 no Brasil e que consumirá investimentos de R$ 5bi.

 

Como se ''temia'' diante do aumento dos gastos públicos com bobagens como a Copa do Mundo de Futebol, a dívida pública federal, que é a soma dos endividamentos interno e externo do governo, cresceu 5,7% em 2013, atingindo o valor recorde de R$ 2,12tri.

 

Apresentando dois números ruins da economia brasileira, (1) em JAN/14 a intenção de consumo das famílias de SP caiu –8,7% na comparação com JAN/13 e (2) em 2013 o faturamento das industrias de máquinas e equipamentos no Brasil foi –5,7% menor que em 2012.

 

No ano passado as vendas de defensivos agrícolas no Brasil atingiram novo recorde de vendas, com faturamento próximo de US$ 11bi, o que representa um crescimento de 13% em relação aos US$ 9,7bi de 2012, e segundo especialistas do setor os motivos foram (1) a expansão na área de diversas culturas no país, (2) os maiores preços praticados durante o ano, (3) a valorização do dólar frente ao real e (4) o aumento na frequência de pragas no país.

 

Impactando positivamente nas pretensões brasileiras de ser ''o celeiro do mundo'', ontem a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou uma lei agrícola de quase US$ 1 trilhão que acaba com os custosos subsídios diretos a produtores, ao mesmo tempo em que expande o programa de seguro agrícola com o apoio governamental e autoriza o o governo norte-americano a negociar com o Brasil mudanças em seus programas de subsídios aos produtores de algodão, o que também abre caminho para resolver a disputa entre os dois países, que se arrasta há 11 anos.

 

-    A Vale subiu 3,7%, beneficiada pela valorização do dólar e pela expectativa de aumento da demanda por minério de ferro nas siderúrgicas norte-americanas.


Política:

 

Ontem, no mesmo dia em que foi revelado que uma OGN cujo seu pai é sócio fundador recebeu R$ 199,8mil de seu ministério, Alexandre Padilha, ministro da saúde, foi na TV, ''coincidentemente'' poucos dias antes de deixar o cargo para se candidatar a governador de SP pelo PT, apresentar os ''enormes avanços'' do sistema de saúde brasileiro, o que se configura em uma descarada propaganda em cadeia nacional com dinheiro publico.

 

Com medo de perder o apoio, e principalmente o tempo de propaganda eleitoral na TV, do maior partido do Brasil, a presidenta Dilma já admite a possibilidade de rever sua posição e dar o sexto ministério ao PMDB na última reforma ministerial do seu mandato.

 

Enfraquecendo as pretensões do candidato petista Lindbergh Farias, ontem o PSD do RJ anunciou que decidiu abrir mão da pré-candidatura ao governo do estado e indicou que apoiará o nome do vice-governador Luiz Fernando Pezão, do PMDB, provavelmente em troca da vaga de vice, que deverá ser ocupada por Índio da Costa.

 

Depois do ex-ministro Walfrido Mares Guia, do PSB de MG, Cláudio Mourão, ex-tesoureiro da campanha de do tucano Eduardo Azeredo, será o segundo beneficiado pela morosidade na tramitação do processo do mensalão tucano de MG envolvendo os réus que não possuem foro privilegiado.


Crítica:

 

Indicando que o mundo financeiro ainda continua muito masculino, embora seja responsável por 90% das decisões de consumo das famílias, a mulher tem mais dificuldade que o homem para falar de dinheiro e assim muitas mulheres deixam assuntos relacionados a questões financeiras para ser tratados pelo marido, por algum parente do sexo masculino ou até pelo gerente do banco.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário