R.B. 2/DEZ/13 "Narrativa econômica"


R.B.

"Narrativa econômica"

 

São Paulo, 2 de dezembro de 2013 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, ainda tentando um rally de final de ano para reduzir as perdas acumuladas em 2013 (-13,9%), acompanhando o bom desempenho das demais bolsas mundiais e também ''animada'' com a divulgação de crescimento do setor industrial da China, que em NOV/13 registrou uma demanda maior que o esperado.

-    O DÓLAR deve cair, em um ''ajuste técnico'' após a forte alta acumulada no mês passado (4,4%), porem deve-se ressaltar que a pressão compradora pode continuar diante (1) da deterioração da política fiscal do Brasil, (2) da contínua preocupação em relação aos estímulos dos EUA e (3) da maior cautela dos investidores em relação a um possível corte na ''nota'' brasileira por agências de risco em 2014.

 

SEXTA-FEIRA

-    BOVESPA 1,2%, já abriu em alta e, impulsionada principalmente pela recuperação das ações da Petrobrás (2,5%), manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, também acompanhando o ''humor positivo'' nas principais bolsas do mundo.

-    DÓLAR 0,3% à R$ 2,33, já abriu em alta e, mesmo com a melhora do ''humor'' na Bovespa e com os leilões de venda do BC, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, para encerrar NOV/13 acumulando uma valorização de 4,4%, o que mostra que os comprados ganharam a ''briga'' para a formação da cotação de fechamento do mês.

-    Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO -0,4%, com os investidores se aproveitando de um dólar volátil para embolsar lucros, já que no mês de NOV/13 o índice acumulou valorização de 9,3%, CHINA 0,9%, com os investidores otimistas com os dados oficiais do índice dos gerentes de compras industrial do país, que foi divulgado no domingo e CORÉIA 0,1%.

-    Na EUROPA, com poucos negócios, INGLATERRA –0,1%, FRANÇA –0,2% e ALEMANHA –0,1%, revertendo no final do pregão a tendência positiva que se manteve em boa parte da sessão, mesmo diante da divulgação de dados favoráveis para a atividade econômica da zona do euro, que diminuíram os riscos de um cenário de deflação e a expectativa de novas medidas de estímulo à economia pelo BC Europeu.

-    Nos EUA, também com poucos negócios, já que a maioria dos investidores ainda estavam digerindo o peru do feriado de Ação de Graças, S&P –0,1%, DJ –0,2% e NASDAQ 0,4%, em direções divergentes, já que o dia teve a agenda econômica vazia e o mercado corporativo foi o destaque, com as ações das redes varejistas, que foram impulsionadas pelo Black Friday.


Economia:

 

Com o estado participando cada vez mais da economia brasileira, o que confirma que o país está rumando para o caminho errado, segundo projeções oficiais este ano o governo Dilma vai gastar R$ 948,9bi com pessoal, programas sociais, custeio e investimentos, o que equivale a 19,9% do PIB, já no final dos 2 governos de Lula estes gastos fecharam em 17,4% do PIB.

 

Construindo a "narrativa econômica" de seu governo a ser usada na eleição presidencial e preocupada com o risco de turbulências na economia em 2014, a presidenta Dilma fez uma reunião secreta no Palácio da Alvorada, na qual pediu à sua equipe simulações para analisar a viabilidade de fixar uma meta de superávit primário de 2% do PIB para o próximo ano.

 

Contribuindo para reduzir a credibilidade do país e para pressionar a inflação, segundo uma pesquisa recente do Credit Suisse, o Brasil é o único país entre os 26 que perseguem metas de inflação em que o BC não possui autonomia formal, que é o regime no qual os diretores têm mandato fixo, durante o qual não podem perder o cargo.

 

Robert Shiller, que é um dos norte-americanos que venceu o Prêmio Nobel de Economia de 2013, ''avisou'' que acredita que as fortes altas nos preços do mercado de ações dos EUA e do setor imobiliário em algumas cidades do Brasil podem provocar uma perigosa bolha financeira.

 

Segundo Luiz Alberto Figueiredo, ministro brasileiro das Relações Exteriores, o governo brasileiro não tem interesse em apoiar um acordo parcial na Conferência de Bali, que ocorrerá de terça a sexta-feira desta semana e irá marcar mais uma tentativa da Organização Mundial de Comércio de destravar as negociações para reduzir as barreiras do comércio global.

 

-    A Petrobrás subiu 2,5%, em meio a especulações sobre um reajuste dos combustíveis, que se confirmaram após o fechamento do pregão com o anuncio do conselho de administração da companhia de que a gasolina subiu 4%, o diesel aumentou 8% e além disto foi aprovado um novo mecanismo para reajuste dos preços.


Política:

 

Segundo a ultima pesquisa de intenção de votos para presidente, disputando com os ''reservas'' Dilma subiu 42% para 47%, Aécio caiu de 21% para 19% e Eduardo Campos caiu de 15% para 11%, já no cenário com os ''titulares'', Dilma tem 41%, Marina Silva tem 24% e Serra tem 19%.

 

Após a reunião de sexta-feira com a Dilma, o ex-presidente Lula e o comandante do PT, Rui Falcão, vão se reunir hoje com presidentes de diretórios petistas que enfrentam problemas após as eleições internas, todas elas por causa de impasses com o PMDB.

 

Ciro Gomes, agora no novo partido PROS, diz que não há definição da chapa que integrará base de Dilma no seu Estado, o Ceará, porem Givaldo Carimbão, líder do PROS na Câmara, garante que o partido terá um ministério na Esplanada em JAN/13 e que o nome é Ciro Gomes.

 

Instalando faixas de ônibus em todas as avenidas da cidade, Haddad, prefeito de SP que está prestes a completar o primeiro ano no cargo, tem 39% de reprovação, patamar similar ao registrado no mesmo período por Kassab (42%) e por Pitta (42%).

 

Principal alvo das manifestações de rua no RJ, o governador peemedebista Sérgio Cabral bateu um novo recorde de impopularidade e agora amarga a pior avaliação desde que chegou ao poder, há quase 7 anos, já que segundo a ultima pesquisa divulgada de cada 5 eleitores do Estado, só 1 considera seu governo bom ou ótimo e 38% consideram seu governo ruim ou péssimo.

 

O governador petista da Bahia, Jaques Wagner, ligou para a presidenta Dilma no Alvorada e avisou que lança hoje o chefe da Casa Civil, Rui Costa, para disputar sua sucessão no Estado.


Crítica:

 

Com as cidades brasileiras cada dia mais violentas e o estado cada dia com menos capacidade de proteger as pessoas, o ano de 2013 deverá ser o melhor da história do segmento de blindagem no país, registrando um crescimento de 16% na comparação com o resultado de 2012.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário