R.B. 6/AGO/13 '’Imaturidade democrática’’


R.B.

"Imaturidade democrática"

 

São Paulo, 6 de agosto de 2013 (TERÇA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, tentando ampliar a valorização acumulada no mês (0,5%) e reduzir as perdas registradas no ano (-20,5%), beneficiada (1) pela redução da taxa de juros na Austrália, (2) pelos novos sinais de recuo da inflação no Brasil e (3) pela valorização das commodities.

-    O DÓLAR deve cair, tentando respeitar a ainda ''resistência'' dos R$ 2,30, acompanhando a provável melhora do ''humor'' na Bovespa e também influenciado pelos prováveis leilões de venda do BC, que segue atuando na ponta vendedora para tentar segurar a inflação.

 

ONTEM

-    BOVESPA –0,1%, já abriu em queda e, com baixo volume de negócios (R$ 4,6bi), manteve a trajetória descendente ao longo de ''quase'' todo pregão, influenciada pela realização de lucros nas bolsas de NY e da Europa e também pressionada pela saída de estrangeiros, cada dia mais descontentes com a condução da politica econômica brasileira.

-    DÓLAR 0,9% à R$ 2,30, já abriu em alta e, com a ausência do BC na ponta vendedora, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, influenciada principalmente pela crescente perda de credibilidade da equipe econômica de Dilma e também acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

-    Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO –1,4%, com as exportadoras, como Toyota (-1,1%) e Fanuc (-2,1%), prejudicadas pelo recuo do dólar frente a moeda local (o iene), CORÉIA –0,4%, em um movimento de realização de lucros e CHINA 1,0%, beneficiada pela divulgação do índice oficial dos gerente de compras sobre a atividade do setor de serviços, que ficou acima do esperado.

-    Na EUROPA, também realizando lucros recentes, INGLATERRA –0,4%, FRANÇA –0,1% e ALEMANHA –0,1%, pressionadas principalmente pela queda das ações do setor bancário, após o HSBC, cujas ações recuaram -4,4%, divulgar um resultado abaixo do esperado referente ao primeiro semestre deste ano.

-    Nos EUA, sem uma tendência única, após um pregão com poucos negócios e boa volatilidade, S&P –0,2%, DJ –0,3% e NASDAQ 0,1%, divididas entre a divulgação de um dado positivo sobre a atividade no setor de serviços e os ''temores de o Fed (''Copom'' local) reduzir suas ações de estímulo.


Economia:

 

Representando uma derrota para um país que, ao menos até 2011, era considerado uma ''estrela'' entre os países emergentes, segundo uma pesquisa da consultoria Ernst Young, neste ano de 2013 a economia brasileira terá o 7º pior desempenho entre um grupo de 25 países considerados emergentes.

 

Mais pessimista que na semana passada, o ''mercado'' reduziu, de 2,28% para 2,24%, suas ''apostas'' para o crescimento do PIB brasileiro este ano e manteve em 5,7% suas estimativas para o IPCA e em 9,25% suas projeções para a Selic de 2013.

 

Após ressaltar que, diante da capacidade ociosa dos últimos 2 anos, o empresário brasileiro só investe se for ''débil mental", Octavio de Barros, diretor de Pesquisas Macroeconômicas do Bradesco, afirmou que o Brasil precisa de um ''Plano Real 2'' para dar mais competitividade, principalmente à sua indústria, com redução de custos e aumento da produtividade.

 

Podendo ajudar no controle da inflação, porem também prejudicar o desempenho do PIB e elevar o desemprego, o governo Dilma estuda reduzir o Imposto de Importação para novos insumos que, atualmente, estão na chamada Lista de Exceção à Tarifa Externa Comum e que são usados basicamente como insumo pela indústria nacional.

 

Dando 4 sinais divergentes da economia brasileira, (1) nos 7 primeiros meses deste ano as vendas de material de construção cresceram 3,5% na comparação com o mesmo período de 2012, (2) a arrecadação aduaneira do governo caiu -10,9% no primeiro semestre do ano, ao comparar com igual período de 2012, (3) em JUL/13 o consumo de energia elétrica no Brasil foi 4,5% maior que em JUL/12 e (4) em JUL/13 o índice de confiança do consumidor paulistano ficou –14,8% abaixo do patamar auferido em JUL/12.

 

Como fruto da ''imaturidade democrática'' da região, a mudança no marco regulatório e na legislação são apontadas por empresas da América Latina e do Brasil como o principal risco para os negócios destas companhias, segundo pesquisa da consultoria e corretora de seguros Aon.

 

''Apostando'' no Brasil, a japonesa Honda anunciou que vai investir R$ 1,0bi para construir em Itirapina, que é uma cidade do interior de SP, sua segunda fábrica no País.

 

-    A Vale subiu 1,2%, beneficiada (1) pela divulgação de dados positivos da China e (2) pela expectativa positiva com o balanço da empresa que, ajudada pela valorização do dólar, deve fechar o segundo trimestre com lucro líquido.

-    A CSN subiu 1,7%, diante das perspectivas positivas para seus números do segundo trimestre

-    A BM&F caiu -2,1%, pressionada pela ação de venda de investidores estrangeiros e também pelos dados que mostraram queda no volume de negócios em JUL/13.

-    A HRT recuou -5,3%, depois de ter informado na sexta-feira que não solicitará a renovação do contrato de concessão para o segundo período da fase exploratória dos Blocos SOL-T-219 e SOL-T-22.


Política:

 

Como todo chefe incompetente que, ao cometer um erro, coloca a culpa no funcionário, Alckmin, governador de SP, afirmou que vai punir de maneira exemplar o funcionário do seu governo que cometeu desvio e irregularidades nas licitações para as obras do Metro de SP.

 

Após admitir que o Palácio do Planalto recuou após pressão dos congressistas, Edison Lobão, ministro de Minas e Energia, afirmou ontem que é grande a possibilidade de a presidenta Dilma retirar a urgência na votação do novo marco legal da mineração que tramita no Congresso.

 

Segundo Bernardo Figueiredo, presidente da Estatal ELP, diante do acidente na Espanha e da denúncia de cartel nas licitações públicas do metro de SP, a realização do leilão do trem-bala está passando por uma "avaliação política".

 

Numa tentativa de evitar a votação das chamadas pautas-bomba na Câmara dos Deputados e ganhar tempo, a presidenta Dilma se reuniu ontem com os líderes dos principais partidos aliados e conseguiu adiar, em pelo menos uma semana, a votação do projeto que trata da destinação dos recursos dos royalties do petróleo em Educação e Saúde, que estava prevista para hoje com possibilidade de derrota para o governo.

 

Mesmo com os hábitos e costumes criticados pelas manifestações populares recentes, os ''nobres senadores'' discretamente decidiram retirar da proposta do novo regimento interno da Casa, que é lido como juramento no momento da posse, a sugestão para que eles sejam obrigados a se comprometer a agir ''com ética na atividade política e como cidadãos''.

 

Pressionadas pelas manifestações que acontecem desde JUN/13, as  Assembleias Legislativas de vários estados passaram a trabalhar pelo fim do voto secreto, principalmente nos casos de cassação de mandato dos deputados.


Crítica:

 

Em uma situação bem diferente da verificada na maior parte dos países ricos, no Brasil os impostos que incidem sobre o trabalho são quase o dobro daqueles que recaem sobre o capital, segundo um estudo recente do Banco Interamericano de Desenvolvimento.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário