R.B. 24/ABR/13 ‘’Não negocia e nem fleta com a inflação’’


R.B.

"Não negocia e nem fleta com a inflação"

 

Florianópolis, 24 de abril de 2013 (QUARTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve cair, realizando lucros após 4 pregões consecutivos de alta, acompanhando o provável movimento similar nas bolsas dos EUA, porem deve-se ressaltar que o patamar é bom para compras, principalmente às destinadas à investimentos de médio e longo prazos.

-    O DÓLAR pode subir, acompanhando a provável realização de lucros na Bovespa, porem deve-se ressaltar que o patamar atual não é interessante para compras, principalmente diante da expectativa de que o BC deve atuar na ponta vendedora caso a moeda norte-americana supere os R$ 2,03.

 

ONTEM

-    BOVESPA 1,1%, abriu em queda, para na mínima recuar –0,2%, prejudicada pela divulgação de dados negativos na China, porem passou a subir na parte da tarde, em meio à percepção de que talvez as economias tenham que adotar medidas para estimular a atividade, entre elas, uma possível redução de juros pelo BC.

-    DÓLAR 0,1% à R$ 2,02, abriu em alta, para na máxima avançar 0,4%, porem perdeu ''forças'' na parte da tarde, divido entre a melhora do ''humor'' na Bovespa e a trajetória internacional de valorização da moeda norte-americana.

-    Na ÁSIA, realizando lucros recentes, já que a bolsa de Tóquio fechou o pregão anterior no maior patamar em quase 5 anos, JAPÃO –0,3%, CORÉIA –0,4% e CHINA –2,5%, prejudicadas pela divulgação da preliminar do Índice de Gerentes de Compras, que mostrou que o crescimento industrial na China desacelerou em ABR/13.

-    Na EUROPA, em mais um dia de ganhos, INGLATERRA 2,0%, FRANÇA 3,5% e ALEMANHA 2,4%, desta vez impulsionadas (1) por um leilão bem-sucedido de títulos da dívida da Espanha, (2) por balanços positivos de empresas e (3) pelas expectativas de que as autoridades da região deixarão de lado a austeridade e se aproximarão mais de políticas que estimulam o crescimento econômico.

-    Nos EUA, apesar do susto com uma noticia falsa sobre uma explosão na Casa Branca, S&P 1,0%, DJ 1,0% e NASDAQ 1,1%, impulsionadas por indicadores positivos do setor imobiliário, já que as vendas de moradias novas subiram mais que o esperado em MAR/13, e por boas noticias corporativas, como da Bank of America, que subiu 3,0%, e da Netflix, que disparou 24,4%.


Economia:

 
Ressaltando que o Brasil tem uma relação Dívida/PIB das mais baixas do mundo, Dilma afirmou que o país conseguiu atingir um patamar de estabilidade macroeconômica, inclusive do ponto de vista das contas publicas, principalmente quando comparado com a situação internacional, inclusive dos países do ''primeiro mundo''.
 
Dando sinais positivos da economia brasileira, (1) nos 3 primeiros meses deste ano as vendas de papelão ondulado cresceram 3,89% na comparação com o mesmo período do ano passado, (2) em FEV/13 a atividade econômica no Brasil cresceu 1,8% na comparação com FEV/12, (3) em JAN/13 o número de novos contratos de aluguel em SP cresceu 16,41% na comparação DEZ/12 e (4) segundo projeções do setor, em MAI/13 as

vendas do comércio varejista devem crescer 9,2% na comparação com MAI/12.

´

Implementando mais uma medida com o objetivo de reduzir os custos, incentivar os investimentos no setor produtivo da economia e tentar segurar os preços, ontem Mantega, Ministro da Fazenda, anunciou uma redução de tributos para a indústria química brasileira, diminuindo a alíquota do PIS/Cofins que incide sobre o valor das matérias primas, de 5,6% para 1%.
 
Mesmo após Dilma ''garantir'' que ''não negocia e nem fleta com a inflação'', ressaltando que em hipótese alguma, dará base para qualquer especulação que se faça sobre o assunto, os juros futuros negociados na BM&F tiveram mais um pregão de queda, com a taxa para JAN/14 fechando em 7,81%, o que indica que a fala da presidenta não muda a percepção do ''mercado'' de que o BC será gradual no aperto monetário.
 
Como fruto do aumento da renda, da redução do desemprego e da bancarização dos brasileiros, segundo estimativas da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços o mercado de cartões deve crescer 16,9% em 2013 na comparação com 2012.

 

Ontem, apenas um dia após o ministério de minas e energia ''garantir'' que não vai faltar energia elétrica e que o atual nível dos reservatórios das hidroelétricas é satisfatório, a presidenta Dilma ''avisou'' que as usinas termelétricas devem aumentar sua participação na geração de energia no país, ressaltando que elas terão que fazer o papel de reservatórios que antes eram desempenhados pelas represas das usinas hidrelétricas.

 

-    A OGX caiu –4,3%, após a confirmação de falta de interesse da russa Lukoil por seus ativos.

-    A Braskem subiu 8,3%, diante da expectativa positiva com relação as medidas de estímulo anunciadas pelo governo para o setor químico.


Política:

 

Segundo o senador peemedebista Eduardo Braga, relator da MP dos Portos, mesmo após intensas negociações entre governo, parlamentares, empresários e trabalhadores, não há acordo para que a matéria seja votada sem obstruções.

 

Acreditando que, com Serra na disputa, o desempenho nacional de Aécio Neves pode ser comprometido, os tucanos ligados ao presidenciável mineiro atuam para evitar a saída do ex-governador de SP do PSDB e sua eventual candidatura à presidência em 2014.

 

Para não ''comprar briga'' com Serra, Alckmin, governador de SP, ''avisou'' que não irá à convenção estadual de seu partido, o PSDB, caso o atual presidente da sigla no Estado, deputado Pedro Tobias, mantenha a disposição de ampliar o colégio eleitoral que escolherá a nova direção da legenda, numa manobra que favorece sua reeleição.

 

Com o slogan ''é possível fazer mais no Brasil'', o PSB usará seu programa de TV de amanhã para apresentar Eduardo Campos e criticar, indiretamente, o governo Dilma, ao ressaltar que é preciso "enfrentar" a inflação e ao apontar falta de planejamento em setores como o de energia e de infraestrutura.


Crítica:

 

Provavelmente fazendo FHC mais uma vez ''rolar de inveja'', o ex-presidente Lula anunciou ontem que fechou contrato para escrever uma coluna mensal à agência de notícias do jornal "The New York Times", uma das principais publicações dos EUA.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário