R.B. 1/ABR/13 ‘’Pressões do mercado’’


R.B.

"Pressões do mercado"

 

São Paulo, 1 de abril de 2013 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve subir, tentando iniciar um movimento de recuperação das perdas acumuladas no primeiro trimestre do ano (-7,5%), que aliás foi o pior resultado para os três primeiros meses de um ano desde 1995, beneficiada pela redução das tensões externas e pela gradativa melhora da economia brasileira.

-    O DÓLAR pode cair, reduzindo a forte valorização acumulada em MAR/13 (2,2%), acompanhando a provável melhora do ''humor'' na Bovespa e também influenciada pelo aumento das ''apostas'' de elevação da taxa básica de juros no Brasil.

 

QUINRA-FEIRA

-    BOVESPA 0,6%, abriu ''de lado'', para na mínima recuar –0,2%, porem passou a subir na parte da tarde e fechou em alta pelo terceiro pregão consecutivo, puxada pela forte alta de das ações da Eletrobrás (16,1%) e acompanhando o desempenho positivo das demais bolsas mundiais.

-    DÓLAR 0,3% à R$ 2,02, devolvendo em MAR/13 parte das perdas acumuladas desde o início do ano, diante do aumento das tensões na zona do euro, da continuidade do fluxo cambial negativo e das incertezas dos investidores em relação às políticas econômica e monetária do governo.

-    Na ÁSIA, devolvendo os ganhos acumulados no pregão anterior, JAPÃO –1,3%, CORÉIA –0,1% e CHINA –2,8%, com destaques de queda para as ações de bancos, desta vez prejudicados por dados fracos da zona do euro e por temores de uma potencial corrida aos bancos no Chipre.

-    Na EUROPA, revertendo uma abertura negativa, INGLATERRA 0,4%, FRANÇA 0,5% e ALEMANHA 0,1%, já que o BC Europeu continuou a diminuir os temores sobre a instabilidade da zona do euro e ocorreu uma reabertura relativamente calma dos bancos no Chipre, após o fechamento deles durante as negociações recentes de resgate do país.

-    Nos EUA, também revertendo uma abertura negativa, para o S&P fechar o pregão em uma nova máxima histórica (aos 1.578pts), S&P 0,4%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,3%, apesar da manutenção de um certo grau de cautela diante dos problemas no Chipre.


Economia:

 

Cedendo as ''pressões do mercado'', Carlos Hamilton Araújo, diretor de Política Econômica do BC, afirmou que o aumento da taxa básica de juros é o melhor remédio para combater a inflação, num momento em que a escalada dos preços levou a autoridade monetária a elevar para 5,7% suas projeções de inflação para este ano.

 

Como sabe que sem os investimentos privados a economia brasileira não vai crescer, o governo Dilma, atendendo a pedidos de empresários, já admite elevar, de 5,5% ao ano para 6,5% ao ano, a taxa interna de retorno dos investimentos nos programas de concessão de rodovias e ferrovias ao setor privado.

 

Dando 3 sinais positivos da economia brasileira, (1) em MAR/13 as vendas de veículos novos no Brasil cresceram 11,7% sobre MAR/12, (2) em FEV/13 a inadimplência das empresas brasileiras recuou -12% na comparação com JAN/13 e (3) em 2012 as vendas do setor de produtos de beleza e higiene tiveram alta de 15,62% na comparação com 2011.

 

Apresentando sinais positivos da economia dos EUA, em FEV/13, além de elevar em 0,7% seus gastos com consumo na comparação com JAN/13, o norte-americano foi capaz de economizar mais, já que a renda pessoal do trabalhador avançou 1,1% no mesmo período.

 

Aproveitando-se da ineficiência e dos enormes custos da Bovespa, que infelizmente não tem concorrentes no Brasil, a Bolsa de Nova York anunciou quer levar empresas brasileiras de menor porte, que têm dificuldades de levantar dinheiro no mercado nacional, a captarem recursos com ações nos EUA.

 

Acreditando, com certa razão, que o brasileiro é um incauto que não é capaz de escolher o melhor investimento para suas necessidades, a partir de hoje passa a ser obrigatório a todas as instituições financeiras a realização do chamado questionário de Análise do Perfil do Investidor para a venda da maioria das aplicações, ficando de fora da lista apenas a poupança e os produtos de previdência complementar.

 

Até o final da semana passada a balança comercial brasileira acumulava um déficit de US$ -5,3bi em 2013 e, diante do caos logístico enfrentado pelos produtores de grãos que tentam escoar o resultado da "supersafra" nos portos do país, é cada vez maior a preocupação do governo, que teme pelo agravamento da situação da balança comercial.

 

-    A Eletrobrás subiu 16,1%, já que apresentou um plano de investimento, que deve reduzir 30% o custo da estatal nos próximos 3 anos.

-    A Marfrig caiu -5,3%, após anunciar que acumulou um prejuízo líquido de R$ -284mi no último trimestre de 2012, ampliando o resultado negativo de R$ -146mi obtido em igual período do ano anterior.

-    A MPX Energia caiu –2,0%, mesmo após o anuncio de que Eike Batista, dono da empresa, fechou acordo com a alemã E.ON para vender 24,5% das suas ações na MPX.


Política:

 

Podendo enfraquecer Aécio Neves em seu reduto politico, o PSB que obrigar o prefeito de BH Marcio Lacerda, que é o líder mais importante do partido em Minas Gerais, a dar palanque para Eduardo Campos na disputa presidencial de 2014.

 

Alvo de protestos contra sua permanência na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o deputado federal e pastor evangélico Marco Feliciano, do PSC de SP, afirmou durante o feriado que o colegiado era "dominado por Satanás" antes de sua chegada ao posto.

 

O prefeito reeleito de São Bernardo de Campo, Luiz Marinho, é o primeiro nome que o ex-presidente Lula escolheria para disputar o governo de São Paulo contra o tucano Geraldo Alckmin no ano que vem, porem como Luiz Marinho declinou do convite, a segunda opção do cacique petista passou a ser o ministro Alexandre Padilha, da Saúde.
 

Diante da falta de acordo entre PT e PMDB para a sucessão do governo do RJ, o peemedebista Sérgio Cabral, que quer eleger seu vice-governador Luiz Fernando Pezão, pode disputar o uma vaga no Senado.


Crítica:

 

Mesmo antes da nova lei, que equipara os diretos dos trabalhadores domésticos com os demais trabalhadores, nos últimos 12 meses, diante do aumento da renda e da redução dos índices de desemprego, os lares brasileiros perderam 133 mil trabalhadores domésticos.

 

Alegando a maior qualidade dos produzidos nos EUA ante os concorrentes chineses e a intenção de manter empregos dentro do país, mais de 80% dos consumidores norte-americanos estão dispostos a pagar mais por produtos fabricados nos EUA do que por mercadorias mais baratas de origem chinesa.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário