R.B. 29/JAN/13 ‘’Novamente virar a casaca’’


R.B.

"Novamente virar a casaca"

 

São Paulo, 29 de janeiro de 2013 (TERÇA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, tentando sustentar o ''suporte'' dos 60.000pts, sustentada pela gradativa melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais, que aliás se aproximam e até em alguns casos superam os maiores patamares desde 2008, e pelo baixo patamar da taxa básica de juros da economia brasileira (7,25%).

-    O DÓLAR pode seguir em queda, tentando romper o ''suporte'' dos R$ 2,00, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e como os investidores acreditando cada dia mais que a única ferramenta do BC para controlar as expectativas de inflação no curto prazo é o câmbio.

 

ONTEM

-    BOVESPA –1,9% (aos 60.027pts), abriu ''de lado'', para na máxima avançar 0,2%, porem definiu a trajetória descendente ainda na parte da manhã, pressionada pelo desempenho negativo das ações do setor financeiro, como Bradesco (-3,1%), Itaú (-2,6%) e Banco do Brasil (-2,7%).

-    DÓLAR –1,3% à R$ 2,00, já abriu em queda e, mesmo com o ''humor negativo'' na Bovespa, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, influenciado pela decisão do BC de realizar um leilão para rolar US$ 1,85bi em contratos de swap cambial tradicional, que equivalem a uma venda de dólares no mercado futuro.

-    Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO –0,9% e CORÉIA –0,4%, realizando lucros em ações de empresas do setor de tecnologia, como a Samsung (-3,2%), porem CHINA 2,4%, ''animada'' pela divulgação dos resultados das indústrias do país, cujos lucros avançaram 5,3% em 2012, em comparação com o ano anterior.

-    Na EUROPA, devolvendo parte dos lucros na parte da tarde, após atingirem novas máximas de vários meses na parte da manhã, INGLATERRA 0,1%, FRANÇA 0,1% e ALEMANHA –0,3%, em um dia sem grandes dados macroeconômicos no continente e com indicadores divergentes sobre a economia dos EUA.

-    Nos EUA, realizando lucros após acumular sua maior série de ganhos em 8 anos, S&P –0,2%, DJ –0,1% e NASDAQ 0,1%, sem uma tendência única e devolvendo quase todos os ganhos da abertura, causados pela divulgação de dados melhores do que o esperado sobre encomendas de bens duráveis no país.


Economia:

 

Cada dia mais ''pessimista'', o ''mercado'' reduziu, pela quarta semana consecutiva, suas ''apostas'' para o crescimento da economia brasileira em 2013, desta vez de 3,19% para 3,10%, e elevou, também pela quarta semana consecutiva, sua previsão para o a inflação para este ano, desta vez de 5,65% para 5,67%.

 

Segundo Luciano Coutinho, presidente do BNDES, apesar de comentários sobre o fraco resultado da economia brasileira em 2012, durante o Fórum Econômico Mundial em Davos o interesse por informações sobre investimentos no país foi o mesmo observado em 2012, ou até um pouco maior do que na reunião do ano passado.

 

Dando sinais positivos da economia brasileira, (1) em DEZ/12 a inadimplência dos consumidores que efetuaram pagamentos com cheques na região Sudeste teve queda de -9,2% em relação ao mês anterior, (2) segundo projeções da Anac, em 2013 a demanda aérea doméstica deve crescer cerca de 10% na comparação com 2012, (3) em 2012 o número de assinantes da TV paga cresceu 27% na comparação com 2011 e (4) o consumo de energia elétrica cresceu 3,5% em 2012, em relação ao ano anterior.

 

Ressaltando que existem ao menos 5 grandes projetos em análise, Eduardo Chagas, gerente do departamento de energia elétrica da área de infraestrutura do BNDES, ''avisou'' que as debêntures de infraestruturas devem "deslanchar" em 2013.

 

Indicando que, para seguir crescendo, o Brasil optou por piorar a sustentabilidade de sua matriz energética, o Plano Decenal de Energia 2013-2022 do país terá mais usinas térmicas do que o atual, o que gera mais poluição, porem aumenta a confiabilidade do sistema e compensa a geração hidrelétrica em períodos de reservatórios em níveis baixos.

 

-    O Bradesco caiu –3,1%, mesmo após divulgar que o seu lucro 2012 ficou em R$ 11,4bi, patamar acima do esperado pelo mercado e 3% superior ao registrado em 2011.

-    A Petrobrás caiu –1,2%, prejudicada (1) por dúvidas sobre quando e de quanto será o reajuste dos combustíveis e (2) pelos crescentes ''temores'' de que a ''nota'' da empresa será rebaixada, principalmente diante da sua enorme alavancagem.


Política:

 

Mostrando que ficará ''muito feliz'' se for convidado para ser vide de Dilma em 2014, Eduardo Campos, governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, questionou a aliança PT-PMDB, ressaltando que há um grande risco para quem monta coalização para governar quando a aliança política não corresponde à aliança social feita para ganhar a eleição.

 

Enquanto o PSDB ameaça ir na justiça por reclamar que Dilma faz campanha pela sua reeleição antes da hora, ontem, diante de milhares de prefeitos, a presidenta prometeu um pacote de bondades de R$ 66,8bi para investimentos em diferentes áreas e ressaltou que não admite discriminação com base em opção "política, religiosa ou esportiva".

 

Indicando que não está 100% garantida a eleição de Renan Calheiros para a presidência do Senado, ontem o senador tucano Aécio Neves afirmou que o peemedebista Renan Calheiros deve ser o maior interessado na indicação, pelo PMDB, de um candidato à presidência do Senado que possa ser tranquilamente aceito pelo Congresso.

 

Em fase de "descanso e arrumação", segundo suas próprias palavras, Serra, o ex-governador de SP e candidato do PSDB derrotado na disputa pela Prefeitura da capital paulista, defendeu que os tucanos façam do voto distrital uma bandeira partidária na discussão sobre a reforma do sistema eleitoral brasileiro.

 

Herdeiro de uma seguradora, o paulistano Guilherme Afif Domingos começou sua vida pública como aliado de Maluf, primeiro na Associação Comercial de SP e depois na Secretaria da Agricultura, em 1985 trocou o PDS pelo PL, foi eleito deputado federal com 508.931 e disputou, e perdeu, o Planalto em 1989 e o Senado em 1990, já em 2006 foi eleito virou secretário do Emprego de Serra e em 2010 foi eleito vice-governador de Alckmin pelo DEM, depois seguiu Gilberto Kassab na criação do PSD e agora se prepara para ''novamente virar a casaca'' e ser ministro de Dilma na pasta da Pequena e Média Empresa.


Crítica:

 

No dia 13 de maio de 1888 a princesa Isabel Assinou a Lei Aurea, que acabou com a escravidão no Brasil, porem apenas ontem o governo do Estado de SP sancionou uma lei que obriga o fechamento das empresas envolvidas direta ou indiretamente na exploração de trabalho escravo.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário