R.B. 22/NOV/12 ‘’Luxo não prioritário e totalmente dispensável’’


R.B.

"Luxo não prioritário e totalmente dispensável"

 

São Paulo, 22 de novembro de 2012 (QUINTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve subir, recuperando facilmente as perdas do pregão anterior, com baixo volume de negócios por conta do feriado em NY e ''animada'' com os sinais de que a Europa pode chegar a um acordo para liberar mais dinheiro para a Grécia.

-    O DÓLAR pode cair, devolvendo uma parte da forte alta acumula no mês (3,1%), 1 dia após testar a resistência dos R$ 2,10, também influenciado pelos sinais de melhora do ''humor'' externo e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

ONTEM

-    BOVESPA -0,4%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,6%, porem passou a cair ainda na parte da manhã, novamente pressionada negativamente pelas ações da Eletrobrás (-20,0%), com investidores temendo os impactos negativos da provável renovação antecipada de concessões sobre os resultados destas empresas.

-    DÓLAR 0,4% à R$ 2,09, abriu em queda, para na mínima recuar –0,5%, porem passou a subir ainda na parte da manhã, para na máxima atingir R$ 2,10,  e fechou o dia no maior patamar desde 15/MAI/09, influenciado pelo cenário externo ruim.

-    Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO 0,8%, com destaques de alta para os papéis dos grandes exportadores como a Honda Motor, CORÉIA –0,3%, em meio à ausência de dinâmica no mercado gerada também pelo desfecho desolador da reunião do Eurogrupo e CHINA 1,1%, porem ainda acumulando queda no mês.

-    Na EUROPA, revertendo uma abertura negativa, INGLATERRA 0,1%, FRANÇA 0,4% e ALEMANHA 0,2%, após Angela Merkel, a chanceler da Alemanha, ter afirmado em uma reunião fechada que taxas de juros mais baixas e uma expansão da Linha de Estabilidade Financeira Europeia poderia preencher o rombo de financiamento grego, ressaltando que que existem chances de um acordo ser fechado na segunda-feira.

-    Nos EUA, também revertendo uma abertura negativa e com o volume de negociações entre os mais baixos do ano por se tratar da véspera do feriado de Ação de Graças, S&P 0,2%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,3%, com os investidores recebendo bem a notícia do cessar-fogo declarado entre israelenses e palestinos.


Economia:
 
Ressaltando que ainda existem receios sobre a velocidade em que o crescimento econômico no Brasil será retomado, mesmo com as medidas adotadas recentemente pelas autoridades para impulsionar a atividade, ontem a agência de classificação de risco Moody's manteve sua atual ''nota'' para o Brasil e indicou que existe uma expectativa de elevação da mesma.
 
Após esquivar-se de responder se o governo iria atuar na ponta vendedora do dólar se a moeda superar os R$ 2,10, Mantega, ministro da Fazenda, afirmou que a desvalorização do real está seguindo a tendência global de perda de valor das moedas frente a moeda norte-americana, principalmente por causa do cenário externo ruim, com recessão na Europa e temor de que os EUA não consigam resolver seus desafios fiscais.
 
Dando mais um sinal positivo da economia brasileira, em NOV/12 o Índice de Confiança do Empresário Industrial subiu 2,2 pontos na comparação com OUT/12 e atingiu 58,4pts, o que representa o maior patamar desde ABR/12 e supera em 3,3pts o resultado apresentado em NOV/11 (55,1pts).
 
Obviamente animado com a possibilidade de redução do preço da energia elétrica, que por sua vez é um componente importante e de grande peso na planilha de custos de sua empresa, Jorge Gerdau Johannpeter, um dos maiores acionistas da siderúrgica Gerdau e também presidente da Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade da Presidência da República, defendeu ontem a renovação antecipada das concessões do setor elétrico.
 
Indicando que, apesar de supostamente não ser interessante para as empresas brasileiras, o novo modelo de concessão do setor elétrico brasileiro atrai as empresas do ''primeiro mundo'', Boorja Prado, presidente do conselho de administração do grupo espanhol Endesa, afirmou ontem que sua companhia está estudando participar dos leilões de geração, ressaltando que tem tem interesse principalmente em projetos hidrelétricos e eólicos.
 
Ajudando a financiar o setor produtivo da economia, a Caixa Econômica Federal anunciou que reforçou em R$ 600mi o orçamento de 2012 para concessão de crédito a micro e pequenas empresas nas operações do Programa de Geração de Emprego e Renda Urbano.
 
''Garantindo'' que a Petrobrás não enfrenta problemas de caixa e também que os investimentos da empresa não serão comprometidos devido a defasagem entre os preços nacionais e os preços internacionais dos combustíveis, Mantega afirmou que ''no momento certo'' haverá a atualização.
 
Após ficar positivo em US$ 1,2bi na semana passada, o fluxo cambial agora acumula um saldo positivo de US$ 22,1bi neste ano de 2012, contra US$ 68,8bi de saldo positivo em igual período do ano passado, o que obviamente explica parte da alta (12,0%) acumulada do dólar em 2012.
 
-    A Eletrobrás despencou –20,0%, amargando a pior queda diária de sua história e elevando as perdas acumuladas no ano para –68,1%, com investidores cada dia mais ''assustados'' com os impactos que a provável renovação antecipada de concessões elétricas terá sobre a estatal.

Política:
 
Dando mais um passo na direção do fim definitivo da ''escravidão doméstica'' no Brasil, ontem o plenário da Câmara aprovou em primeiro turno a Proposta de Emenda à Constituição que amplia os direitos trabalhistas dos empregados do lar, que passarão a receber 13º salário, férias e aviso prévio.
 
Criticando o que classificou de "intransigência e radicalismo'' do governo federal, o deputado federal Sérgio Guerra, presidente do PSDB, afirmou que a presidenta Dilma está agindo de forma "autoritária", evitando o debate sobre a renovação das concessões do setor elétrico no País com o Congresso e com especialistas.
 
Com o objetivo de reorganizar os espaços distribuídos no governo entre os partidos da base, ontem a presidenta Dilma esteve reunida por mais de duas horas, no Palácio do Planalto, com 12 senadores do chamado bloco parlamentar "União e Força", formado por PTB, PR e PSC.
 
Enquanto não vai para a cadeia e nas vésperas da posse do ministro Joaquim Barbosa na presidência do Supremo Tribunal Federal, Dirceu, principal réu do mensalão, foi ontem para Brasília almoçar com 15 deputados petistas na casa de Jilmar Tatto, o líder do PT na Câmara, para pedir a mobilização dentro e fora do PT para esclarecer o que considera "pontos nebulosos" do processo de julgamento do Mensalão.
 
Agora apontando suas ''armas'' para o PSDB, o ministro Joaquim Barbosa determinou que testemunhas de defesa do deputado tucano Eduardo Azeredo, réu do processo do mensalão mineiro, sejam interrogadas em até 40 dias a partir da notificação da decisão.

Crítica:
 
Com o governo Dilma insistindo em um ''luxo não prioritário e totalmente dispensável'', foi novamente elevado, desta vez de R$ 33,2bi para R$ 35,6bi, o custo total do trem de alta velocidade que vai ligar RJ, SP e Campinas e o primeiro leilão da licitação deve ser realizado no segundo semestre do ano que vem.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com
Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho

Nenhum comentário:

Postar um comentário