R.B. 7/MAI/12 ''Aproximando seu discurso''


R.B.

"Aproximando seu discurso"

 

São Paulo, 7 de maio de 2012 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve cair, para fechar em território negativo pelo segundo pregão consecutivo, acompanhando o ''humor negativo'' das demais bolsas mundiais diante do resultado das eleições na França.

-    O DÓLAR pode subir, ampliando a valorização acumulada no ano (3,0%), seguindo a piora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e também influenciado pelas ''apostas'' de que a taxa de juros da economia brasileira seguirá em queda.

 

SEXTA-FEIRA

-    BOVESPA -2,1% (aos 60.820pts), abriu ''de lado'', para na máxima avançar 0,1%, porem, com ótimo volume de negócios (R$ 9,9bi), logo passou a cair, pressionada pelas perdas da Petrobras (-4,3%) e da Vale (-2,7%) e influenciada negativamente por dados fracos do mercado de trabalho nos EUA e pela expectativa de vitória da oposição nas eleições da França.

-    DÓLAR 0,7% à R$ 1,93, já abriu em alta e, não escapando da piora do ''humor'' externo, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, para fechar o dia no maior patamar desde JUL/09.

-    Na ÁSIA, em queda pelo segundo pregão consecutivo, JAPÃO -0,3%, CORÉIA -0,4% e CHINA -0,5%, já que dados fracos dos EUA alimentavam novas preocupações de que a recuperação da maior economia mundial pode estar cambaleando.

-    Na EUROPA, à espera do resultado das eleições na Grécia e na França, INGLATERRA -1,9%, FRANÇA -1,9% e ALEMANHA -2,0%, prejudicadas pela divulgação de sinais de uma desaceleração profunda na atividade empresarial da zona do euro e com destaques de queda para as ações do setor petrolífero, como BP (-3,1%), BG Group (-4,2%) e Royal Dutch Shell (-1,9%).

-    Nos EUA, fechando a pior semana do ano, S&P -1,6%, DJ -1,3% e NASDAQ -2,2%, prejudicadas principalmente pela divulgação de dados indicando desaceleração na criação de empregos no país e com destaques de queda para ações de empresas do setor de energia, em meio a temores de que a demanda poderia ser minada com a piora da economia.


Economia:
 
Após as mudanças feitas na remuneração da poupança, a equipe da presidenta Dilma, que acredita que a atividade econômica brasileira só vai acelerar no segundo semestre, já avalia que é possível que a taxa básica de juros fique abaixo de 8% até o fim do ano.
 
''Batendo'' mais uma vez nos bancos privados, na sexta-feira Mantega, ministro da Fazenda, afirmou, com toda razão, que os spreads bancários brasileiros são uma "anomalia" que precisa e que vai ser corrigida, ressaltando que ainda tem banco cobrando juros de 300% ao ano no cheque especial.
 
Dando um importante sinal positivo da economia brasileira, nos 3 primeiros meses deste ano os shopping centers brasileiros registraram vendas 11,6% maiores do que no mesmo período de 2011.
 
O governo Dilma criou as condições para reduzir a rentabilidade da poupança nos próximos meses e com as novas regras os fundos do tipo DI com taxas de administração acima de 1%, CDBs que dão menos do que 90% do CDI e mesmo o Tesouro Direto aplicado em título pós-fixado (as LFTs) com custo acima de 0,5% vão perder para a poupança em caso de resgate antes de seis meses, após descontado o Imposto de Renda de 22,5%.
 
Podendo ajudar a Embraer a ganhar a concorrência de US$ 355mi para fornecer aviões para a Força Aérea dos EUA, a fabricante norte-americana de aviões Hawker Beechcraft, concorrente da empresa brasileira, pediu concordata em NY.
 
-    A Gol subiu 5,2%, ''animada'' com a divulgação dos resultados do primeiro trimestre e por declarações de que não planeja uma nova redução na malha de vôos.

Política:
 
Minando a candidatura de Serra à Prefeitura de SP, intelectuais historicamente ligados ao PSDB, como Luiz Carlos Bresser-Pereira, José Márcio Rego, Claudia Costin, Maria Alice Setúbal e Maria Hermínia Tavares de Almeida, decidiram nas últimas semanas embarcar na campanha de Haddad, citando respeito à produção intelectual do candidato petista e manifestando descontentamento com os rumos do PSDB desde a ultima campanha à Presidência da República.
 
Provavelmente para reduzir a crise no relacionamento com os partidos aliados e as ''supressas'' na CPI do Cachoeira, nas duas ultimas semanas o governo Dilma multiplicou a liberação de verbas de interesse de deputados, senadores, prefeitos e governadores.
 
Segundo Marcio Thomas Bastos, ex-ministro da justiça e advogado de Carlinhos Cachoeira, o bicheiro não vai falar em seu depoimento na CPI que leva seu nome.
 
Do ponto de vista administrativo, a operação de venda da Delta, capitaneada pelo ex-presidente Lula, pode resolver a continuidade das obras do PAC, mas não poupará o governo dos danos colaterais decorrentes das relações ilegais da empresa com agentes públicos.

Crítica:
 
A vitória do candidato socialista François Hollande nas eleições presidenciais na França e as incertezas na definição do pleito parlamentar na Grécia fizeram as principais bolsas européias e a asiáticas abrirem em baixa na manhã desta segunda-feira, já que é cada vez mais indefinido o rumo da economia européia.
 
''Aproximando seu discurso'' do que fala o socialista François Hollande, o novo presidente da França, ontem Olli Rehn, o comissário europeu de Assuntos Econômicos, afirmou hoje pela manha que a disciplina orçamentária na Europa deve ser aplicada em função da situação econômica de cada país de maneira a não inibir o crescimento.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com
Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho

Nenhum comentário:

Postar um comentário