R.B. 4/ABR/12 ''Unidos''


R.B.

"Unidos"

 

São Paulo, 4 de abril de 2012 (QUARTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode seguir em queda, ''testando o suporte'' dos 64.000pts, ainda acompanhando o ''humor negativo'' nas demais bolsas mundiais e com o mercado interno decepcionado com as mediadas de estimulo econômico anunciadas ontem pelo governo Dilma.

-    O DÓLAR deve seguir em queda, mesmo com a piora do ''humor'' na Bovespa, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e a manutenção do fluxo positivo de recursos externos.

 

ONTEM

-    BOVESPA 1,4%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,4%, porem passou a cair ainda na parte da manhã, em meio a preocupações com a economia da Espanha e com os investidores decepcionados com as aguardadas medidas de estimulo econômico anunciadas por Mantega, ministro brasileiro da Fazenda.

-    DÓLAR -0,3% à R$ 1,82, já abriu em queda e, mesmo com a piora do ''humor'' na Bovespa e com um leilão de compra do BC, manteve a trajetória descendente ao longo de ''quase'' todo pregão, diante dos sinais de que da taxa de juros dos EUA continuará baixa por um longo período.

-    Na ÁSIA, seguindo o bom desempenho das bolsas dos EUA no dia anterior, JAPÃO 0,5%, CORÉIA 1,0% e CHINA 0,8%, com destaques de alta para as exportadoras e também beneficiadas pelo anuncio de que a China pode afrouxar as regras de investimento no exterior para investidores privados.

-    Na EUROPA, devolvendo boa parte dos fortes ganhos da sessão anterior, INGLATERRA -0,6%, FRANÇA -1,6% e ALEMANHA -1,0%, com destaques de queda para as ações de bancos, como Santander (-4,5%), BBVA (-4,8%) e UniCredit (-5,3%), prejudicados pelo anunciou que os níveis da dívida da Espanha estão prestes a saltar para o maior patamar desde 1990.

-    Nos EUA, realizando lucros após atingirem as máximas em 4 anos, S&P -0,4%, DJ -0,5% e NASDAQ -0,2%, acompanhando a piora do ''humor'' nas bolsas da Europa e com destaques de queda para as ações de empresas dos setores atrelados às perspectivas de crescimento, como energético e de matérias-primas.


Economia:
 
Com o objetivo de fortalecer a economia brasileira e ajudar o setor a enfrentar as consequências da crise mundial, que vem reduzindo o consumo no mundo e consequentemente afetando as exportações brasileiras, ontem Mantega anunciou que o governo Dilma vai (1) desonerar a folha de pagamento de 15 setores, (2) manter as ações para conter a desvalorização do dólar, (3) seguir reduzindo a Selic, (4) ampliar o número de empresas exportadoras que serão isentas do pagamento de IPI, PIS e Cofins na aquisição de insumos, (5) reduzir o custo do financiamento do comércio exterior e (6) estimular a obras de infraestrutura portuária e ferroviária.
 
Segundo um levantamento recente feito pela Thomson Reuters, o apetite de grandes investidores globais, como fundos soberanos e gestores de "private equity", deve acelerar o mercado de fusões envolvendo empresas brasileiras ao longo de 2012.
 
Para dar suporte à quarta etapa do Programa de Sustentação do Investimento, cuja vigência foi estendida até o fim de 2013, o governo Dilma fará um aporte adicional de R$ 45bi no BNDES este ano, o que segundo Mantega fará a instituição ter condições de emprestar até R$ 150bi em 2012.
 
Acreditando que atualmente o Brasil tem um potencial de crescimento de 4% ao ano, ontem a agência de classificação de risco Fitch divulgou relatório em que chama de "cíclico" o período de moderação da economia brasileira, ressaltando que as fontes de crescimento do país não se deterioraram e continuam em um nível sustentável.
 
Mesmo com o aumento dos preços do petróleo e com os temores de desaceleração da economia mundial, em FEV/12 o tráfego aéreo internacional de passageiros subiu 9,3% na comparação com FEV/11.
 
-    Confirmando que os preços seguem ''comportados'', o IPC de MAR/12 registrou inflação de 0,15%, patamar abaixo da média das ''apostas do mercado'' (0,17%).
 
-    A CPFL Energia caiu -2,1%, mesmo após a Agência Nacional de Energia Elétrica autorizar a empresa a aplicar reajuste médio de 2,89% em suas tarifas a partir do dia 8/ABR/12.

Política:
 
''Unidos'', porem por motivos opostos, ontem PT e DEM resolveram elevar a pressão pela abertura de uma CPI na Câmara para investigar as relações do bicheiro Carlos Cachoeira com parlamentares.
 
Como não quer perder os cargos que tem no segundo escalão do governo Dilma, ontem a bancada do PR no Senado decidiu formar um bloco partidário com o PTB, o que na prática representa a volta dos senadores do partido à base de apoio da presidenta Dilma.
 
Já em campanha, ontem Serra, pré-candidato do PSDB a prefeito de SP, usou a maquina publica ao participar de um evento oficial com o governador tucano Alckmin com o prefeito Gilberto Kassab, do PSD, que são seus principais aliados na corrida eleitoral.
 
Ontem, antes de ser oficialmente expulso, o senador Demóstenes Torres mandou uma carta ao comando do DEM para pedir sua desfiliação do partido, ressaltando na mesma que sofreu um pré-julgamento público sobre o seu envolvimento com o empresário Carlos Cachoeira, acusado de comandar esquema de jogos ilegais no país.

Crítica:
 
Isolando cada vez mais o ditador venezuelano Hugo Chavez, ontem a  União Européia proibiu a companhia aérea estatal venezuelana Conviasa de voar em seu espaço aéreo, alegando "graves problemas de segurança".

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com
Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho

Nenhum comentário:

Postar um comentário