R.B. 1/NOV/11 ''Arregalando os olhos''


R.B.

"Arregalando os olhos"

 

São Paulo, 1 de novembro de 2011 (TERÇA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve cair, ainda repercutindo negativamente o pedido de recuperação judicial da MF Global Holdings, uma das mais importantes corretoras dos EUA, porem deve-se ressaltar que a bolsa brasileira ainda pode recuperar as perdas acumuladas no ano (-15,8%) caso (1) seja colocado em prática o plano da Europa para por fim a sua crise fiscal, (2) a economia norte-americana de novos sinais de retomada e (3) a taxa básica de juros siga caindo no Brasil.

-    O DÓLAR pode subir, influenciado pelo mesmo motivo que deve levar a queda da Bovespa, porem deve-se ressaltar que a moeda norte-americana deve cair no mês, ainda influenciada pela manutenção do fluxo positivo de recursos externos.

 

ONTEM

-    BOVESPA -2,0%, já abriu em queda e, realizando parte dos lucros acumulados no mês (11,5%), manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, acompanhando o mesmo movimento das demais bolsas mundiais.

-    DÓLAR % à R$, já abriu em alta e, seguindo a piora do ''humor'' na Bovespa, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, devolvendo uma parte da forte desvalorização acumulada no mês de OUT/11 (-9,5%), que aliás foi a maior desvalorização mensal dos últimos 8 anos.

-    Na ÁSIA, realizando lucros depois de 2 sessões de ganhos robustos que se seguiram ao acordo fechado na semana passada na Europa em torno de um plano para conter a crise da dívida da região, JAPÃO -0,7%, CHINA -0,2% e CORÉIA -1,1%, com destaques de queda para as ações de bancos.

-    Na EUROPA, também realizando uma pequena parte dos lucros acumulados no mês de OUT/11, INGLATERRA -2,8%, FRANÇA -3,2% e ALEMANHA -3,2%, pressionadas por ações de bancos e usando como ''desculpa'' a falta de detalhes do plano para enfrentar a crise da dívida soberana dos países da região.

-    Nos EUA, encerrando, apenas da queda no dia, o melhor mês desde 1991, S&P -2,5% (10,8% no mês), DJ -2,3% (9,5% no mês) e NASDAQ -1,9% (11,1% no mês), já que o setor financeiro foi golpeado com o pedido de proteção contra falência da MF Global e com os novos temores que surgiram sobre a crise na Europa.


Economia:
 

Ressaltando que continuará vigilante aos desdobramentos do cenário internacional, adotando, sempre que necessário, medidas para assegurar a solidez do nosso sistema financeiro e a funcionalidade dos nossos mercados, Tombini, presidente do BC do Brasil, afirmou que apesar de serem positivas as recentes notícias vindas da Europa de busca de soluções para os problemas econômicos da região, o mundo hoje passa por um cenário complexo, que deverá repercutir em baixo crescimento das economias avançadas nos próximos anos.

 

Mesmo com as recentes reduções da Selic, que teoricamente prejudicam o controle da inflação, o ''mercado'' reduziu, pela segunda semana consecutiva, suas ''apostas'' para o IPCA de 2012, desta vez de 5,60% para 5,59%.

 

O principal objetivo da primeira reunião de trabalho de Dilma na França, que será com os representantes do Brics, é unificar o discurso sobre as medidas que devem ser adotadas para combater os impactos da crise econômica internacional.

 

Dando novos sinais positivos da economia brasileira, (1) em SET/11 o uso da internet em domicílios e locais de trabalho dos brasileiros cresceu 14% em relação ao mesmo período do ano passado e (2) a confiança do consumidor brasileiro foi a que mais cresceu no último trimestre entre 56 países pesquisados pela empresa global de análises Nielsen.

 

''Arregalando os olhos'' para as oportunidades de crescimento no Brasil, as gigantes chinesas do setor tecnologia fecharam ontem 5 planos de cooperação com parceiros tupiniquins e planejam investimentos de até US$ 540mi no país nos próximos 3 anos.

 

Como no ano passado a capitalização da Petrobras concentrou as atenções do mercado e neste ano a Bovespa enfrentou uma enorme volatilidade provocada pelo agravamento da crise da dívida européia, segundo Edemir Pinto, diretor-presidente da BM&FBovespa, pelo menos 40 ofertas públicas iniciais de ações ficaram "represadas" e deixaram de ser realizadas no mercado brasileiro nos últimos 2 anos.

 

Confirmando mais uma vez que o governo Dilma tem controlado muito bem as contas publicas, após registrar um superávit primário de R$ 8,1bi em SET/11, a economia do setor público antes do pagamento de juros da dívida nos últimos 12 meses equivale a 3,25% do PIB.

 

-    A TIM caiu -1,3% e, após o fechamento do pregão, anunciou que seu lucro líquido no terceiro trimestre de 2011 foi 116,1% maior que no mesmo período de 2010.


Política:
 
O principal obstáculo para se cumprir a determinação expressa de Dilma de se fazer uma devassa nos convênios com as ONGs é a ''raquítica estrutura'' de fiscalização dos ministérios para análise das prestações de contas, o que gera  pilhas de casos acumulados.
 
Apesar de morar e governar em uma das cidades mais lindas do mundo, ontem, pela sexta vez este ano, o governador Sérgio Cabral, do RJ, se ausentou do cargo para fazer uma viagem turística de 4 dias na Europa.

Crítica:
 
Também contrariando o presidente de ANAC, David Neeleman, fundador da Azul Linhas Aéreas, afirmou que SP precisa de um terceiro aeroporto e que a melhor localização seria no litoral do estado, preferencialmente em Santos.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário