R.B. 03/OUT/11 ‘’Aula de sabedoria’’


R.B.

"Aula de sabedoria"

 

São Paulo, 3 de outubro de 2011 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve subir, tentando iniciar um movimento de recuperação das perdas do ano (-24,5%), que pode ocorrer caso (1) os países da Europa vislumbrem uma saída para a crise fiscal, (2) a economia norte-americana confirme os sinais de retomada e (3) a taxa básica de juros siga caindo no Brasil.

-    O DÓLAR pode cair, tentando retornar à sua ''trajetória natural'' após ''disparar'' 18,0% no mês passado, influenciado pela manutenção do fluxo positivo de recursos externos e também por prováveis ações do BC para impedir que a alta da moeda norte-americana pressione a inflação.

 

SEXTA-FEIRA

-    BOVESPA –2,0%, já abriu em queda e, seguindo instabilidade externa e também influenciada pelos ''temores'' de que ficar comprado durante o final de semana, principalmente em tempos de crise, pode ser arriscado, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, para fechar SET/11 acumulando perdas de -7,4%.

-    DÓLAR 2,2% à R$ 1,88, já abriu em alta, para fechar o mês acumulando uma valorização de 18,0%, (1) influenciado pelos sinais do governo de que a taxa básica de juros seguirá em queda, o que vai reduzir a taxa real de juros da economia brasileira, e (2) também seguindo a instabilidade dos mercados externos.

-    Na ÁSIA, fechando SET/11 com os piores desempenhos mensais desde os dias mais voláteis da crise financeira global de 2008, JAPÃO –1,2%, CORÉIA –0,3% e CHINA –0,5%, diante dos temores sobre o aprofundamento da crise de dívida da Europa e de desaceleração da economia global.

-    Na EUROPA, também fechando SET/11 com as piores performances desde o final de 2008, INGLATERRA –1,3%, FRANÇA –1,5% e ALEMANHA –2,4%, com destaques de queda para mineradoras e montadoras de automóveis, prejudicadas pela divulgação de dados fracos vindos da China e pela indefinição dos formuladores europeus de política monetária para aprovar um plano sustentável para amenizar a situação da crise de dívida da região.

-    Nos EUA, fechando em queda o pior trimestre desde os momentos mais agudos da crise de 2008, S&P –2,5% (-14,3% no trimestre), DJ –2,2% (-12,1% no trimestre) e NASDAQ –2,6% (-12,9% no trimestre), também afetadas pelo desastre da crise da dívida da Europa, pelo rebaixamento da nota do crédito dos Estados Unidos e pela desaceleração da economia global.


Economia:
 
Possivelmente acreditando que está dando uma ''aula de sabedoria'', Mantega, ministro da Fazenda, (1) creditou parte da escalada recente do dólar à também recente queda da Selic promovida pelo BC, que por sua vez também reduz a dívida publica atrelada aos juros e (2) afirmou que é prudente o Brasil tomar medidas preventivas para enfrentar a crise externa.
 
Ajudando no controle da inflação, em SET/11, (1) registrando a nona queda consecutiva e atingindo o menor patamar desde AGO/09, o Índice de Confiança da Indústria caiu -1,6% ante AGO/11 2 (2) o nível de utilização da capacidade instalada da Indústria se manteve em 83,6%, o menor patamar desde NOV/09 (82,9%).
 
Diante da alta do dólar e da redução da taxa básica de juros, o BC rebaixou, de 39% para até 37,5% dos PIB, sua previsão para da dívida liquida do setor público deste ano.
 
Afetadas negativamente à perda do valor dos ativos em que estão aplicadas, em SET/11 as reservas internacionais do Brasil, um dos principais seguros do país contra crises externas, recuaram para US$ 349bi, atingindo com isto o menor patamar desde AGO/11.
 
Com o objetivo de estimular as exportações brasileiras de café, principalmente dos produtos mais elaborados, o governo Dilma alterou a tributação na cadeia de produção e distribuição.

Política:
 
Defendendo com veemência que o RJ não pode ceder mais nas negociações sobre a divisão dos recursos do petróleo, Sergio Cabral, governador do RJ, ''garantiu'' que vai à Justiça se isto ocorrer.
 
Mostrando que já ''domina o pedaço'', a lista de coisas que tiram Dilma do sério é liderada atualmente pelo expediente de recorrer, diante da presidente ou de terceiros, a expressões como "eu falei com o Lula", "o Lula concorda" ou, pior, "o Lula se comprometeu".
 
Confirmando que ela tem força, num evento em Brasília, a procuradora de Justiça do Distrito Federal, Eunice Carvalho, foi tratada como futura ministra do STF pelos ministros José Eduardo Cardozo, da Justiça, Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, e Alexandre Padilha, da Saúde.
 
Indicando quem manda no partido, a Comissão Executiva Nacional do PSDB resolveu interferir diretamente na escolha dos pré-candidatos a Prefeito nas eleições municipais do próximo ano, reservando para si a última palavra nos municípios com mais de 200 mil eleitores.

Crítica:
 
Mesmo sem comprar o Pão da Açúcar, o Carrefour, que recentemente sofreu um rombo fiscal de 500 mi de euros na Europa e por isto derrubou toda sua diretoria, fechou desde AGO/11 14 lojas consideradas "deficitárias" no Brasil e, só em SP, dispensou mais de 1.000 funcionários no mesmo período.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário