R.B. 1/JUL/11 ''No seu tempo, os idiotas chegavam devagar e ficavam quietos''


R.B.

"No seu tempo, os idiotas chegavam devagar e ficavam quietos"

 

São Paulo, 1 de julho de 2011 (SEXTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve subir, dando sequência à recuperação das perdas acumuladas no ano (9,9%), impulsionada pelos sinais de redução dos ''problemas externos'' e de manutenção do bom desempenho da economia interna.

-    O DÓLAR pode seguir em queda, rumo aos R$ 1,55, influenciado pela provável manutenção da melhora do ''humor'' nas bolsas mundiais e principalmente pelo elevado patamar da taxa real de juros da economia brasileira (cerca de 6,8% ano).

 

ONTEM

-    BOVESPA 0,1%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,4%, porem, em um pregão marcado pela volatilidade, na mínima chegou a recuar -0,5% e, acompanhando a valorização das bolsas de NY, voltou a subir no fechamento para, mesmo após 4 sessões consecutivas de valorização, encerrar o semestre acumulando uma desvalorização de -9,9%, comparável à retração de -11,0% verificada no mesmo período de 2010.

-    DÓLAR -0,6% à R$ 1,56, já abriu em queda e, seguindo a melhora do ''humor'' externo o forte recuo do risco-Brasil (-3,9%), manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, para fechar o dia no menor patamar desde AGO/08 e acumular uma desvalorização de -6,2% no primeiro semestre deste ano.

-    Na ÁSIA, JAPÃO 0,2%, em alta pela terceira sessão consecutiva, com as exportadoras beneficiadas pela valorização do euro frente a moeda local (o iene) diante da aprovação do pacote de austeridade pelo Parlamento grego, CHINA 1,2%, com destaques de alta para as empresas de carvão e de metais, diante das expectativas de que Pequim poderá relaxar a política doméstica de aperto monetário e CORÉIA 0,3%, sustentada por ações de Seguradoras, corretoras e empresas de telecomunicações.

-    Na EUROPA, em mais um dia de recuperação, INGLATERRA 1,5% (0,1% no semestre), FRANÇA 1,5% (4,7% no semestre) e ALEMANHA 1,1% (6,7% no semestre), desta vez impulsionados pela divulgação de dados mais fortes que o esperado sobre a economia dos EUA e pela notícia de que o parlamento da Grécia aprovou a legislação referente à implementação do plano de austeridade fiscal.

-    Nos EUA, também recuperando perdas, S&P 1,0%, DJ 1,2% e NASDAQ 1,2%, novamente ''aliviadas'' com a Grécia, que se aproxima de um novo plano de ajuda financeira, e também beneficiadas pela divulgação de indicadores positivos da economia norte-americana.


Economia:
 
Já admitindo que não atingirá o centro da meta de inflação em 2011 e em 2012, ontem o Conselho Monetário Nacional decidiu manter inalterada a atual meta de inflação de 4,5% ao ano em 2013, contrariando as expectativas de que ela poderia ser de 4,0% e assim ajudando a reduzir a necessidade de novas elevações da Selic.
 
Decidido a ''rasgar dinheiro do povo em praça publica'', Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, após defender o uso dos recursos do BNDES para ajudar Abílio Diniz a continuar mandando no Pão de Açúcar, recomendo que o governo brasileiro compre títulos da dívida portuguesa sem se preocupar com ''razões meramente econômicas".
 
Dando novos sinais positivos da economia interna, (1) em MAI/11 as vendas de papelão ondulado cresceram 9,12% na comparação com ABR/11 e (2) nos 5 primeiros meses deste ano o Departamento Nacional de Produção Mineral protocolou 11.257 requerimentos de pesquisa, licença, lavra garimpeira e extração de minérios, o que representa um aumento de 43,7% em relação ao mesmo período do ano passado.
 
Como frutos da elevação da taxa de juros, (1) o Índice Nacional de Expectativas do Consumidor teve uma leitura de 111,8pts em JUN/11, contra 112,1pts em MAI/11 e 117,4 em JUN/10, atingindo a menor pontuação desde JUN/09 e (2) também em JUN/11 o Índice de Confiança da Indústria recuou -2,5% na comparação com MAI/11 e atingiu o menor nível desde OUT/09.
 
Trabalhando para aumentar a qualificação no setor, Pedro Novais, ministro do Turismo, afirmou que o número de pessoas empregadas no Brasil em atividades relacionadas ao turismo saltará dos 7 milhões atuais para 10 milhões até o final da década.
 
-    A Vale subiu 0,5% e, após o fechamento do pregão, anunciou que seu Conselho de Administração aprovou um programa de recompra e posterior cancelamento de 5,9% das suas ações em circulação no mercado.

Política:
 
Finalmente convergindo para o consenso, ontem, durante um encontro em Brasília, os governadores dos Estados produtores e não produtores de petróleo acenaram com um entendimento sobre a questão da divisão dos royalties do setor.
 
Ontem, com ataques ''abaixo da linha da cintura'', o PPS usou seu horário na TV para criticar o governo Dilma, muitas vezes até de forma ofensiva, e se apresentar como o único partido de oposição.
 
Contrariando todos os argumentos usados na véspera pela presidenta Dilma e por Ideli, a ministra de Relações Institucionais, Mantega, ministro da Fazenda, afirmou que a prorrogação por 90 dias do pagamento dos restos a pagar de 2009, no valor de R$ 4,6bi, não afetará o ajuste fiscal.
 
Ontem ao discursar em homenagem à FHC, Nelson Jobim, ministro da Defesa, mostrou toda sua insatisfação com o governo Dilma ao afirmar que nunca o presidente tucano levantou a voz para ninguém, que nunca o tucano criou tensionamento entre aqueles que lhe assessoravam e, para finalizar com ''chave de ouro'', citou Nelson Rodrigues, que dizia que, ''no seu tempo, os idiotas chegavam devagar e ficavam quietos'', ressaltando que hoje os idiotas perderam a modéstia.
 
Reescrevendo cada dia melhor seu nome na história e deixando ''Lula no chinelo'', ontem, no discurso de encerramento da sessão solene no Senado de homenagem aos seus 80 anos, FHC declarou-se "muito feliz" com a carta que lhe foi enviada por Dilma, ressaltando que o gesto da presidenta foi de conciliação e exemplo de democracia.
 
Cansada dos desmandos autoritários de José Luiz Penna, liderou manobra na Executiva Nacional do PV para prorrogar o próprio mandato, Marina Silva marcou para a próxima quinta-feira, dia 7/JUL/11, o ato público que marcará sua saída do PV para provavelmente articular a criação de uma nova sigla para concorrer novamente ao Planalto em 2014.

Crítica:
 
Comprovando que a intenção do governo dos EUA era mesmo derrubar o ''chefão'' do FMI, as acusações contra Dominique Strauss-Kahn por tentativa de estupro estão na "corda bamba", depois que os investigadores encontraram "grandes buracos" de credibilidade no testemunho da camareira que o denunciou, que aliás segundo investigações pode ter vínculo com atividades criminosas como participação em lavagem de dinheiro e tráfico de drogas.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário