R.B. 11/ABR/11 ''Aclamado pelo mercado''


R.B.

"Aclamado pelo mercado"

 

São Paulo, 11 de abril de 2011 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, tentando recuperar o patamar dos 69.000pts e as perdas acumuladas na semana passada (-0,8%), acompanhando a melhora do ''humor'' e a redução das tensões externas e também beneficiada pelos sinais positivos da economia brasileira.

-    O DÓLAR deve seguir em queda, agora rumo aos R$ 1,55, mostrando para Mantega que é uma "luta inglória" tentar evitar o derretimento da moeda norte-americana diante do diferencial entre os juros domésticos e externos que, aliado à estabilidade da economia brasileira, estimula a entrada de capital estrangeiro.

 

SEXTA-FEIRA

-    BOVESPA -0,7%, já abriu em queda e, seguindo cenário ainda turbulento da economia mundial, manteve a trajetória negativa ao longo de  todo pregão, com destaques de queda para as ações de bancos, como Bradesco (-2,4%), Itaú (-2,2%) e Banco do Brasil (-1,2%), diante do aumento do IOF sobre os empréstimos.

-    DÓLAR -0,6% à R$ 1,57, já abriu em queda e, com o ''mercado testando a paciência e a força do BC'', manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, para fechar o dia no menor patamar desde 5/AGO/08.

-    Na ÁSIA, seguindo o fechamento positivos das bolsas de NY na quinta-feira, JAPÃO 1,9%, com os investidores aliviados com a percepção de que o forte terremoto que atingiu o nordeste do país no dia anterior não causou fortes danos, especialmente nas áreas das usinas nucleares, CHINA 0,7%, na melhor pontuação em quase 5 meses, novamente lideradas pelas siderúrgicas, com expectativas de aumento da demanda, e pelas mineradoras de carvão, que podem se beneficiar da alta nos preços do petróleo e CORÉIA 0,3%, liderada pelos ganhos nos estaleiros, com esperanças de mais pedidos de compra.

-    Na EUROPA, passando a acumular ganhos na semana, INGLATERRA 0,8%, FRANÇA 0,8% e ALEMANHA 0,5%, impulsionadas principalmente pelo avanço nos papéis de mineradoras, como Rio Tinto (3,2%), Kazakhmys (1,9%) e BHP Billiton (2,7%), que por sua vez acompanharam a valorização dos metais.

-    Nos EUA, revertendo uma abertura positiva, S&P -0,4%, DJ -0,2% e NASDAQ -0,6%, já que a alta nos preços do petróleo reacenderam os temores de que a inflação atrapalhe a recuperação econômica e ''force'' um aumento antecipado das taxas de juros.


Economia:
 
Falando cada dia mais e por conseqüência sendo cada dia mais criticado, Mantega, ministro da Fazenda, defendeu o que chamou de ''ajustes na economia'' para evitar excessos no câmbio e na inflação e ''avisou'' que pode usar outras medidas para evitar a entrada excessiva de moeda estrangeira no país.
 
Dando novos sinais positivos da economia interna, (1) em FEV/11, apresentando o 13º mês consecutivo de crescimento, o nível de emprego do setor industrial brasileiro registrou um aumento de 2,9% na comparação com JAN/11, (2) em MAR/11 o fluxo de veículos leves e pesados nas rodovias brasileiras cresceu 10% na comparação com o mesmo mês de 2010 e (3) importação de carros de marcas que não têm fábrica no Brasil cresceu 87,3% no primeiro trimestre ante igual intervalo no ano passado.
 
Com a economia brasileira ''sofrendo'' com a falta de mão de obra qualificada, o governo Dilma vai (1) incentivar financeiramente a repatriação de talentos que estão no exterior e (2) lançar um programa nacional de qualificação que incentivará o ensino universitário e o técnico.
 
Como forma de cumprir metas da União Européia de substituição progressiva do petróleo, o governo da Grécia anunciou, após um encontro com Dilma, que quer comprar biocombustível brasileiro da Petrobras.
 
Acreditando que, depois do carro e da casa própria, o próximo desejo do brasileiro é o entretenimento, Bob Newman, proprietário das arenas esportivas mais lucrativas do planeta, prepara seu desembarque no Brasil a convite da Odebrecht, construtora do estádio pernambucano e de outras três arenas do Mundial.
 
-    A Vale subiu 0,1%, após anunciar que fez uma oferta de US$ 1,1bi pela produtora africana de cobre e cobalto Metorex.

Política:
 
Como a mala totalmente lotada de ''boas intenções econômicas'', esta semana Dilma vai à China tentar abrir o referido mercado a para empresas brasileiras através do fechamento de vários acordos bilaterais.
 
Economista e tecnocrata experiente, que mantém a imagem de gerente durona, mas que está mais feminina e mais afável, Dilma, nos seus 100 primeiros dias de governo, manteve a popularidade em alta e mostrou-se também uma ótima operadora política, já que iniciou seu governo com redução bem-sucedida dos conflitos com a base aliada e também com a oposição, que aliás está perdida e sem discurso.
 
Cotado, a até ''aclamado pelo mercado'', para substituir Mantega no ministério da Fazenda, Luciano Coutinho, presidente do BNDES, criticou numa reunião fechada com empresários a estratégia usada pelo governo para lidar com a valorização do real em relação ao dólar, ressaltando que a indústria nacional está sendo destruída com a taxa de câmbio atual.

Crítica:
 
Em 2005, durante o referendo sobre a proibição da comercialização de armas de fogo e munições, a oposição, para mostrar que derrotaria Lula, que nesta época estava fragilizado pelo mensalão, entrou de cabeça na campanha votando pela manutenção do comercio de armas de fogo e agora, patrocinada pelas industrias de armas, também é contra a revisão do estatuto do desarmamento.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário