R.B. 22/FEV/11 ''Diga-me com quem andas que lhe direi que és''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Diga-me com quem andas que lhe direi que és"

São Paulo, 22 de fevereiro de 2011 (TERÇA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve seguir em queda, ainda afetada negativamente pelo aumento das turbulências políticas em países como a Líbia, que aliás é o 12º maior exportador de petróleo do mundo, porem deve-se ressaltar que o patamar é interessante para compra e que a queda de um ditador, por mais dolorosa e sangrenta que ela seja, sempre é um passo importante para consolidação da democracia mundial e para o avanço da economia local.
- O DÓLAR pode voltar a subir, ainda influenciado pelo aumento das tensões globais e pressionado pelos leilões de compra do BC, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de queda, principalmente diante do elevado patamar da taxa real de juros do Brasil, que alias deve subir ainda mais na próxima reunião do Copom.

ONTEM
- BOVESPA 1,2%, já abriu em queda e, pressionada pelo aumento das turbulências políticas no Oriente Médio, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, em um dia de poucos negócios diante do feriado nos EUA.
- DÓLAR 0,2% à R$ 1,67, já abriu em alta e, sustentado pelos 2 leilões de compra a termo do BC, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, também seguindo o ''humor negativo'' na Bovespa.
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO 0,1%, revertendo uma abertura negativa, com destaque positivo para ações de petrolíferas, como Inpex (1,7%) e Showa Shell (4,4%), CHINA 1,1%, na maior pontuação em mais de 3 meses, impulsionada por ações de empresas do setor siderúrgico, por conta das expectativas de alta dos preços e CORÉIA -0,4%, pressionada por ações de empresas do setor financeiro, diante da recente decisão da Comissão de Serviços Financeiros de suspender por 6 meses as operações de 6 bancos de poupança.
- Na EUROPA, em meio ao nervosismo dos investidores com o aumento da tensão no norte da África e no Oriente Médio, INGLATERRA -1,1%, FRANÇA -1,4% e ALEMANHA -1,4%, com destaques de queda para as ações de bancos.
- Nos EUA, S&P, DJ e NASDAQ permaneceram fechadas por conta do feriado do dia do presidente.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Com ''uma boa dose de razão'', ontem a Fiesp apelou ao ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para que o Brasil não considere a China como uma economia de mercado, ressaltando que Pequim já adota práticas desleais e ilegais nas transações comerciais.

Pressionando o Copom a subir novamente a Selic na sua próxima reunião, o ''mercado'' elevou pela 11ª semana consecutiva, desta vez de 5,75% para 5,79%, suas ''apostas'' para o IPCA de 2011, se afastando cada vez mais do centro da meta (4,5%).

Provavelmente aliviando um pouco as pressões inflacionárias, segundo uma sondagem da Confederação Nacional da Indústria, em JAN/11 o índice de utilização da capacidade instalada da industria ficou em 45,2pts, ante 48,2pts em DEZ/10.

Como fruto do aumento da renda, principalmente nas classes menos abastadas da sociedade, em 2010 as vendas de computadores pessoais no Brasil cresceram 23,5% sobre o ano anterior, para 13,7 milhões de unidades, colocando o país na quarta posição mundial, atrás de Estados Unidos, China e Japão.

Apresentando um crescimento de 414,6% na comparação com o mesmo período de 2010, nas 3 primeiras semanas de FEV/11 a balança comercial brasileira acumulou um superávit médio diário de US$ 111,2mi por dia útil.

Dando uma vitória ao Brasil, que tem um peso moral tão importante quanto o peso econômico, um painel da Organização Mundial do Comércio que decidiu a favor do país em sua ação contra os EUA pelas tarifas impostas ao suco de laranja brasileiro.

- A Gol caiu -3,6% e a Tam recuou -3,1%, com investidores antecipando o impacto da alta dos combustíveis nos custos operacionais.
--------------------------------------------------------------------------------

Política:

Mostrando, aos poucos, que é bem diferente de Lula, ontem, durante a cerimônia de comemoração dos 90 anos da Folha de SP, Dilma declarou que o governo deve saber conviver com as críticas dos jornais para ter um compromisso real com a democracia, ressaltando que deve haver um convívio civilizado com a multiplicidade de opiniões, crenças e propostas.

Conforme prometido durante sua campanha presidencial, ontem, durante o Fórum dos Governadores do Nordeste, Dilma anunciou a criação de um Ministério das Micro e Pequenas Empresas e de uma Secretaria Nacional de Irrigação.

Se afastando cada dia mais do PSDB, o que aliás pode causar um encolhimento ainda maior do partido, o DEM ''já avisou'' que pretende ter candidato próprio à Presidência em 2014, o que ocorreu pela ultima vez em 1989, com Aureliano Chaves.

Mesmo sem consenso entre eles, ontem os governadores do Nordeste discutiram com Dilma a recriação de um imposto para financiamento da saúde, que seria uma espécie de nova CPMF.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Cerca de 2.000 anos atrás ''o cara'' falou ''diga-me com quem andas que lhe direi que és'', pois atualmente, copiando vários presidentes dos EUA e de quase todos os países democráticos do mundo, Lula, ao longo de seus 8 anos de mandato, teve pelo menos 4 encontros com o ditador líbio Muamar Kadafi, que aliás foi classificado pelo petista, na abertura da Cúpula da União Africana, como "amigo e irmão".
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Um comentário: