R.B. 19/JUL/10 "Vale tudo"

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Vale tudo"

São Paulo, 19 de julho de 2010 (SEGUNDA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA pode subir, tentando recuperar as perdas acumuladas na semana passada (1,8%), acompanhando de perto a recuperação das demais bolsas mundiais, porem sem muito otimismo diante da cautela antes da reunião do Copom.
- O DÓLAR deve cair, seguindo a melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e principalmente ''apostando'' na elevação da Selic em 0,75%, o que se realmente ocorrer tornará a taxa real de juros da economia brasileira (atualmente em cerda de 5,2%) ainda mais atraente.

SEXTA-FEIRA
- BOVESPA -1,8%, já abriu em queda e, seguindo a piora do ''humor'' nas bolsas de NY, foi intensificando a trajetória descendente ao longo do pregão, diante da divulgação de novos indicadores reforçando a percepção de que a economia dos EUA está em processo de desaceleração.
- DÓLAR 0,6% à R$ 1,78, abriu em queda, para na mínima atingir R$ 1,76, porem logo passou a subir, seguindo a piora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e pressionado pelos leilões do compra do BC.
- Na ÁSIA, JAPÃO -2,9%, nos seus piores níveis em mais de 1 mês, pressionada principalmente pelas exportadoras, já que a moeda local (o iene) atingiu a maior cotação diante do dólar em 2 semanas, CHINA 0,6%, sustentadas pelo bom desempenho das siderúrgicas, Bengang Steel Plates (4,0%) e Angang Steel (2,3%) e CORÉIA -0,7%, com destaque negativo para as ações da montadora Hyundai (-4,3%).
- Na EUROPA, revertendo uma abertura positiva, diante da divulgação de indicadores negativos da economia norte-americana, INGLATERRA -1,0%, FRANÇA -2,3% e ALEMANHA -1,8%, com destaques de queda para as ações dos bancos Barclays (-5,2%), HSBC (-2,5%), Deutsche Bank (-3,1%), Commerzbank (-2,4%) e Société Générale (-4,1%).
- Nos EUA, em mais um dia de ''humor negativos'', S&P -2,9%, DJ -2,5% e NASDAQ -3,1%, desta vez com os investidores muito inquietos diante (1) da queda da confiança dos consumidores locais para 66,5pts em JUL/10, o que representa o pior nível desde AGO/09, e (2) dos resultados decepcionantes de empresas como Google, Mattel e USA Today.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Esta semana tem reunião do Copom e, apesar dos recentes sinais de controle da inflação e de desaceleração do ritmo de crescimento da economia, mais de 70% do ''mercado aposta'' que a Selic subirá dos atuais 10,25% ao ano para 11%.

Mais uma vez ''ajustando-se a realidade'', o FMI elevou. de 4,8% para 5%, suas ''apostas'' para o crescimento da economia da América Latina neste ano, destacando, assim como fez o Banco Mundial em MAI/10, que este avanço será liderado respectivamente por Brasil, Peru e México.

''Se esbaldando'' na diferença de juros entre o Brasil e o resto do mundo, os ''investidores'' estrangeiros, também seguros com a solidez com que o Brasil é visto hoje no exterior, aplicaram, apenas nos 5 primeiros meses de 2010, US$ 12,1bi em títulos de renda fixa brasileiros, o que representa o segundo maior valor da década para o período.

Com o Brasil finalmente desenvolvendo o mais eficiente sistema de transporte, segundo Vicente Abate, presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária, a implantação do projeto do trem-bala poderá levar a um incremento de ao menos 30% ao ano no faturamento da indústria ferroviária do país.

Dando novos sinais de controle da inflação, (1) o Índice de Preços no Varejo, que reflete a oscilações do preços no comércio paulista, apontou uma deflação de -0,06% em JUN/10, ante uma variação positiva de 0,22% em MAI/10 e (2) abaixo do esperado (0,15%), o IPC da segunda quadrissemana de JUL/10 ficou em 0,12%.

- A Petrobrás caiu -1,0%, porem, após o fechamento do pregão, seu Conselho de Administração aprovou o pagamento antecipado aos seus acionistas de R$ 0,20 por ação sob a forma de juros sobre o capital próprio.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Mostrando que ''vale tudo'' nestas eleições presidenciais, o democrata Índio da Costa, vice de Serra que se esforça para ficar parecido com Sarah Palin, a vice do republicado Mc Cain, acusou o PT de ligação com o tráfico de drogas e com os guerrilheiros das Farc e, para fechar com ''chave de ouro'', alertou que Dilma é ateia e que, no dia seguinte à eleição, pode dar ''um chute no Lula'' para governar sozinha, com as ''garras do PT'' por trás dela.

Mantendo-se longe do ''vale tudo'', Marina, candidata do PV à Presidência, afirmou que seus adversários Dilma e Serra promovem o "plebiscito da baixaria", garantindo que não vai entrar no jogo "rasteiro" dos ataques pessoais e que as críticas que faz são em cima de projetos.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

É explicável e compreensível o final de um menor delinqüente, que se envolve com o mundo do crime e acaba morto em uma guerra de gangues, mas é inexplicável e incompreensível uma criança 11 anos morrer atingida por uma bala perdida de um tiro de fuzil enquanto assiste a uma aula de matemática em uma escola Estadual do RJ.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário