R.B. 23/NOV/09 "Anêmica"

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Anêmica"

São Paulo, 23 de novembro de 2009 (SEGUNDA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve cair, acompanhando as prováveis perdas nas demais bolsas mundiais e pressionada pelo recuo das commodities no mercado internacional, podendo se manter instável no curto prazo caso se confirmem as perspectivas de recuperação ''anêmica'' da economia norte-americana.
- O DÓLAR pode subir, acompanhando a piora do ''humor'' na Bovespa e ainda pressionado pelos leilões de compra do BC, porem deve-se ressaltar que, diante dos sinais de ''anemia'' da economia dos EUA, a trajetória internacional da moeda norte-americana continua sendo de queda.

QUINTA-FEIRA
- BOVESPA -0,3%, já abriu em baixa, para na mínima recuar -1,5% e, acompanhando a trajetória negativa das bolsas de NY, manteve-se em queda ao longo de ''quase'' todo pregão, apesar da divulgação de projeções melhores para o crescimento da economia brasileira.
- DÓLAR 1,0% à R$ 1,74, já abriu em alta e, acompanhando a piora do ''humor'' na Bovespa e nas demais bolsas mundiais, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, também pressionado pelos leilões de compra do BC e pela elevação do risco-Brasil (1,9%).

SEXTA-FEIRA
- Na ÁSIA, acompanhando as perdas das bolsas de NY no dia anterior, JAPÃO -0,5%, CORÉIA -0,4% e CHINA -0,1%, com destaques de queda para ações de empresas do setor de tecnologia, após o anúncio de uma queda de -54% no lucro da fabricante de computadores Dell no terceiro trimestre.
- Na EUROPA, seguindo a abertura negativa das bolsas de NY, INGLATERRA -0,3%, FRANÇA -0,4% e ALEMANHA -0,7%, com destaques de queda para ações de bancos, diante de preocupações acerca da exposição de alguns deles à dívida da Ucrânia.
- Nos EUA, em queda pelo terceiro pregão consecutivo, S&P -0,3%, DJ -0,1% e NASDAQ -0,5%, diante da divulgação de resultados mais fracos que o esperado da fabricante de computadores Dell e da construtora D.R. Horton, que deram sinais de que a recuperação será ''anêmica''.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Aumentando seu ''fã clube'', o Brasil foi exaltado em uma reportagem especial da edição deste domingo do jornal espanhol "El País'', que ressaltou que, com o petróleo da camada do pré-sal como munição, o gigante brasileiro despertou e pode alcançar sua ambições de curto prazo que são (1) acabar com a pobreza, (2) transformar-se na 6ª potência do mundo, (3) ser o porta-voz dos países emergentes e líder da América Latina, (4) integrar o Conselho de Segurança da ONU, (5) financiar a saúde e a pesquisa e (6) cimentar uma industria nacional poderosa.

Em mais uma de suas ''invenções paliativas'' para tentar conter a valorização do real, o governo Lula agora estuda autorizar fundos multimercados a aumentar suas aplicações no exterior, retirando o atual limite de 20% do patrimônio para as aplicações desses fundos fora do país, o que não deve trazer alívio imediato, já que com uma das maiores taxas de juros do mundo, o Brasil ainda é muito atrativo para o investidor.

Começando a mudar o mercado de capitais brasileiro, o avanço dos investidores individuais, cujo movimento foi iniciado em 2002 e ganhou novo fôlego com a queda de juros no País, fez com que em OUT/09 o número de contas de pessoas físicas na Bovespa chegasse ao recorde histórico de 555 mil, patamar ainda distante da ambiciosa meta da Bolsa de chegar a 5 milhões de investidores individuais nos próximos 5 anos.

Impulsionada principalmente pela recuperação econômica da China, em OUT/09 a produção mundial de aço cresceu 13,1% na comparação com OUT/08 e atingiu o maior patamar em 1 ano.

Enquanto fecham fabricas de desistem de projetos na Europa e nos EUA, ''apostando no Brasil'', (1) a fabricante francesa de pneus Michelin anunciou que vai construir uma nova unidade de produção em Resende, no Estado do RJ, que multiplicará por 3 sua capacidade nacional de produção e (2) a Ford Motor, segunda maior montadora norte-americana, investirá R$ 4bi no Brasil para aumentar sua produção principalmente em 2 fábricas, no Ceará e na Bahia.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Fazendo o que pode, e até o que não pode, para não atrapalhar a campanha de Dilma à presidência em 2010, o governo Lula desistiu do projeto de taxar a caderneta de poupança, ignorando assim o risco de uma fuga em massa dos fundos de investimentos, cujos rendimentos foram afetados pela queda dos juros.

Comprando mais uma ''briga inútil'', Lula está decidido a manter no Brasil o ativista italiano Cesare Battisti, cuja extradição foi decidida semana passada pelo Supremo Tribunal Federal, por cinco votos a quatro.

Mostrando que, apesar de Serra liderar com folga, os tucanos terão que se esforçar para tirar os petistas do poder, em 2006 os adversários de Lula comandavam 16 Estados e agora estão no poder só em 8, contra 19 sob comando da base governista.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

1 semana após receber Mahmoud Abbas, presidente da Palestina, e Shimon Peres, presidente de Israel, Lula, se tornando um dos principais mediadores do conflito no oriente médio, receberá hoje o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, com a missão de convence-lo a concordar com os termos do acordo de Viena e, com isso, pôr fim à atual controvérsia na área nuclear.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário