R.B. 14/AGO/09 ''Resultados auspiciosos''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Resultados auspiciosos"

São Paulo, 14 de agosto de 2009 (SEXTA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA pode voltar a subir, mesmo após 8 altas nos últimos 10 pregões, com ''boas chances'' de fechar o mês acima dos 58.000pts, ainda ''animada'' com os sinais de recuperação das economias mundiais, com destaque positivo para a brasileira.
- O DÓLAR deve voltar a cair, rumo aos R$ 1,80, seguindo a provável melhora do 'humor'' na Bovespa e, apesar da manutenção dos leilões de compra do BC, o cada vez mais forte o fluxo positivo de recursos externos.

ONTEM
- BOVESPA 0,8%, já abriu em alta e, com bom volume de negócios (R$ 5,7bi), manteve a trajetória ascendente ao longo de ''quase'' todo pregão, para fechar no maior patamar em mais de 1 ano (aos 57.047pts), acompanhando o bom desempenho das bolsas de NY e a alta nas commodities.
- DÓLAR -0,1% à R$ 1,83, abriu ''de lado'', para na máxima atingir R$ 1,84 e, com uma trajetória indefinida ao longo de todo pregão, fechou próximo da estabilidade, dividido entre o recuo da cotação da moeda norte-americana ante as principais divisas do mundo e os leilões de compra do BC.
- Na ÁSIA, seguindo o bom desempenho das bolsas de NY no dia anterior, JAPÃO 0,8%, com baixo volume de negócios e destaque de alta para as montadoras Toyota (1,4%) e Honda (1,3%), CHINA 0,9%, iniciando uma recuperação após as fortes quedas registradas na semana, com destaques de alta para empresas de metais não-ferrosos, como Yunnan Aluminum (5,4%) e Jiangxi Copper (8,6%) e CORÉIA 0,1%, também com destaques de alta para as montadoras, como Hyundai (2,8%) e Kia (2,7%).
- Na EUROPA, mais uma vez acompanhando a nova melhora do ''humor'' nas bolsas de NY, INGLATERRA 0,8%, FRANÇA 0,5% e ALEMANHA 0,9%, com destaques de alta para ações do setor de mineração, como Xstrata (6,1%), Rio tinto (4,2%) e Vedanta Resources (3,5%), beneficiadas pela divulgação de um resultado acima do esperado do PIB da França e da Alemanha.
- Nos EUA, o segundo dia consecutivo de alta, ainda diante do aumento das ''apostas'' de que a economia está se recuperando e de que ''o pior já passou'', S&P 0,7%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,5%, também beneficiadas por balanços positivos de empresas, com o Wal-Mart (2,7%), e por ganhos em ações do setor bancário, como o Bank of America (6,7%).
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Aumentando a lista daqueles que ''apostam'' que ''o pior já passou'', BC Europeu divulgou um relatório oficial no qual ressalta que a recessão global chegou ao ''fundo do poço'', que na zona do euro o ritmo de contração claramente se desacelera e que já em 2009, após uma fase de estabilização, é esperada uma recuperação gradual com taxas de crescimento trimestrais positivas na região.

Apresentando ''resultados auspiciosos'', que aliás não combinam nem um pouco com um cenário de recessão, (1) em JUN/09 as do varejo no Brasil cresceram 5,6% na comparação com o mesmo período de 2008 e (2) em JUL/09 o tráfego aéreo de passageiros no País cresceu 25,68% na comparação com JUL/08.

Pressionado pelos exportadores, que reclamam cada dia mais da queda do dólar, o BC ''avisou'' que vai "tonificar'' as intervenções que vem fazendo no mercado de câmbio desde MAI/09 a fim de tentar suavizar o processo de valorização do real e que ainda há espaço para nova queda da taxa básica de juros, a Selic, hoje em 8,75% ao ano.

Incentivando a concorrência no setor bancário brasileiro, que aliás contrariando seus pares pelo mundo apresenta ótimos resultados, Mantega, ministro da Fazenda, afirmou que o Banco do Brasil vai continuar oferecendo mais crédito e com taxas de juros mais baixas para, de forma responsável e sem aumento da inadimplência, ampliar seu espaço no mercado bancário brasileiro.

- O Banco do Brasil subiu 2,4%, após anunciar um lucro líquido 42,8% maior na comparação entre o segundo trimestre de 2009 e o mesmo período de 2008.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Apesar de certamente sabe que Marina Silva pode fazer um grande ''estrago'' na candidatura de Dilma, Lula, acreditando que a ex-ministra tem um ''samba de uma nota só'', já ''avisou'' que não fará nenhum apelo para que ela permaneça no PT e até já engatilhou 2 discursos para rebater eventuais críticas da senadora do Acre (1) o desmatamento caiu depois que ela deixou o Ministério do Meio Ambiente, em MAI/08 e (2) como responsável pela área ambiental por quase cinco anos e meio, ela não teria autoridade para fazer críticas ao governo.

Preocupado com as eleições de 2010, quando tentará se reeleger senador por SP, Mercadante, líder do PT no Senado, promete resistir às pressões de Lula e da cúpula petista para impedir a reabertura de parte das 11 representações contra Sarney no Conselho de Ética e já ''avisou'' que está disposto a deixar a liderança da bancada, caso haja nova intervenção do Planalto.

Se preparando para as eleições de 2010, Kassab cortou em -20% a verba para limpeza e aumentou em 134% os recursos destinados à publicidade no orçamento da prefeitura de SP em 2010.

Tendo mais uma de suas ''idéias brilhantes'', mas que certamente não são viáveis, o senador Suplicy afirmou à colega Marina Silva que está disposto a sugerir ao PT a realização de uma prévia entre ela e Dilma para a escolha do candidato do partido à sucessão de Lula, o que agradaria muitos petistas mas certamente faria Lula ficar raivoso.

Mostrando que os parlamentares brasileiros são ''raposas tomando conta do galinheiro'', segundo um levantamento da ONG Transparência Brasil mais de 40% dos deputados estaduais de SP e do RJ respondem a inquéritos ou ações na Justiça, tiveram prestação de contas rejeitada na Justiça Eleitoral ou foram punidos por tribunais de Contas.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Reclamando de ''barriga cheia'', já que seu banco teve um ''lucrinho'' de apenas R$ 2,5bi no segundo trimestre deste ano, Roberto Setubal, presidente-executivo do Itaú Unibanco, afirmou que algumas taxas de juros que estão sendo cobradas por bancos públicos não são sustentáveis.

Cobrando de Lula a responsabilidade e a representatividade que ele sempre buscou, o editorial da prestigiada revista britânica "The Economist" afirma que chegou o momento de o presidente brasileiro fazer uma opção clara pela defesa da democracia em nível internacional e, citando as ligações do petista com os presidentes de China, Cuba, Venezuela e Irã, decidir quais são seus ''verdadeiros amigos" entre os líderes mundiais.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário