R.B. 10/JUN/09 "Menos pior"

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Menos pior"

São Paulo, 10 de junho de 2009 (QUARTA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve subir, com ''boas chances'' de fechar a semana próxima dos 54.000pts, acompanhando o movimento ascendente das demais bolsas mundiais, beneficiada pela valorização das commodities e ''apostando'' em um corte de ao menos -0,75% da Selic.
- O DÓLAR pode seguir em queda, para fechar abaixo dos R$ 2,00 pelo décimo pregão consecutivo, também influenciado pela provável nova melhora do ''humor'' nas bolsas mundiais e cada vez mais pressionado pelo ''crescente e constante'' fluxo positivo de recursos externos.

ONTEM
- BOVESPA -0,9%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,9%, ''animada'' com o recuo menor que o esperado do PIB brasileiro no primeiro trimestre de 2009 (-0,8%), porem, novamente com baixo volume de negócios (R$ 3,9bi) e em um movimento inverso ao do pregão anterior, perdeu ''forças'' ainda na parte da manhã, seguindo a instabilidade das bolsas de NY.
- DÓLAR -1,5% à R$ 1,94, já abriu em queda e, também ''aliviado'' com o resultado o PIB brasileiro no primeiro trimestre (-0,8%), manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, apesar dos leilões de compra do BC, seguindo o recuo do risco-Brasil (-1,5%).
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO -0,8%, em um movimento de realização de lucros, principalmente entre ações de seguradoras, CHINA 0,7%, sustentada pelo bom desempenho das ações do setor imobiliário, diante das expectativas de rápida recuperação na venda de imóveis e CORÉIA -1,5%, revertendo uma abertura positiva, com destaques de queda para Samsung (-1,7%) e Hynix Semiconductor (-5,5%).
- Na EUROPA, também sem um tendência única, INGLATERRA -0,1%, FRANÇA 0,2% e ALEMANHA -0,1%, divididas entre um movimento de realização de lucros, diante da instabilidade das bolsas de NY, e o bom desempenho dos papéis do setor de tecnologia, como STMicroelectronics (4,7%), Nokia (3,7%) e a Infineon Technologies (2,9%), após a fabricante norte-americana de chips Texas Instruments revisar para cima suas estimativas para a receita e lucro para o primeiro trimestre de 2009.
- Nos EUA, em mais um pregão marcado pela baixa volatilidade e pelo reduzido volume de negócios, S&P 0,3%, DJ -0,1% e NASDAQ 0,9%, diante de poucas notícias macroeconômicas que dessem sinais de qual rumo toma a economia local depois de passar pela parte mais aguda, ao que tudo indica, da crise financeira global.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Confirmando que o Brasil, assim como ''99% do mundo'', está em recessão, no primeiro trimestre de 2009 a economia brasileira teve retração de -0,8% na comparação com o trimestre imediatamente anterior, resultado muito melhor do que a media das ''apostas do mercado'' (-2,0%), e que aliás, conforme já esperado, foi sustentado pelo consumo interno.

Ontem, na véspera da decisão do Copom, que ao que tudo indica cortará a Selic em ''apenas'' -0,75%, para 9,5%, Meirelles, presidente do BC, afirmou que os números do PIB evidenciam a resistência da economia brasileira e que o País continua com fundamentos sólidos, criando espaço para uma retomada do crescimento em bases sustentáveis.

''Comemorando'' o resultado ''menos pior'' do que o esperado do PIB brasileiro, Mantega, ministro da Fazenda, afirmou que a economia brasileira já mostra sinais de recuperação, porem salientou que o governo ainda precisa estimular a atividade econômica com medidas fiscais, principalmente através da isenção de impostos, e monetárias, via redução de juros.

Após afirmar que é "irrelevante" o marco da recessão técnica brasileira, Delfim Netto, Ex-ministro da Fazenda, ''garantiu'' que, com a continuidade da redução dos juros e a maturação dos investimentos do governo, o país sairá com facilidade do atual quadro e crescerá até 4% em 2010.

Corroborando com o otimismo do governo brasileiro, Rubens Sardenberg, economista-chefe da Febraban, afirmou que o resultado do PIB brasileiro no primeiro trimestre mostrou que a economia chegou "ao fundo do poço", ressaltando que, como alguns segmentos já apresentam crescimento, deve ocorrer uma reversão de tendência ainda no resultado do segundo trimestre.

- A Vale subiu 0,2% e, após o fechamento do pregão, anunciou que fechou acordos para o fornecimento de 50 milhões de toneladas de minério de ferro a 38 pequenas siderúrgicas chinesas.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Após criticar o resultado do PIB do primeiro trimestre, ressaltando que o BC atua contra o crescimento do País e a geração de empregos ao não reduzir mais a taxa básica de juros, Serra, governador de SP, ''comemorou'' o resultado da ultima pesquisa de intenção de voto para as eleições presidenciais de 2010, no qual ele aparece com 38% das intenções de voto, seguido por Dilma (18%) e Ciro (12%).

Fazendo até a ''oposição xiita'' mudar seus alvos de ataque, passando a atacar mais o PT do que Lula, segundo a ultima pesquisa divulgada a aprovação do presidente petista voltou a subir e atingiu a ''invejável'' marca de 80%.

''Empurrando com a barriga'' a instalação da CPI da Petrobrás, que estava marcada para hoje, os ''nobres'' senadores da base aliada, aproveitando-se do feriado de Corpus Christi, marcaram vôos de volta aos seus Estados para o início da manhã, com isto provavelmente não haverá quorum suficiente para a sessão.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Atuando para acabar com uma das maiores ''máfias'' do Brasil, ontem o Conselho Nacional de Justiça aprovou, por unanimidade, uma resolução que determina a remoção de cerca de 5.000 titulares de cartórios civis do país que não passaram por concursos públicos para o preenchimento dos cargos após a promulgação da Constituição de 1988.

Dando mais uma prova do péssimo nível do ensino publico brasileiro, em 2007 a proporção de alunos do ensino médio (antigo colegial) que repetiu de ano no país chegou a 12,7%, o dobro do que em 1998.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário