R.B. 20/JAN/09 ''Um ponto final na abominável era Bush''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Um ponto final na abominável era Bush"

São Paulo, 20 de janeiro de 2009 (TERÇA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve subir, recuperando as perdas do pregão anterior, estimulada pelo discurso de posse de Obama que, apesar de ciente das enormes dificuldades a serem enfrentadas, certamente tentará ''injetar animo'' nos consumidores da maior economia do planeta.
- O DÓLAR pode seguir em queda, já que, apesar das ''apostas'' de redução de até -1,0% da taxa básica de juros brasileira e da crise externa, os números confirmam que o Brasil continua atraindo investimentos externos.

ONTEM
- BOVESPA -1,3%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,6%, porem, com baixo volume de negócios (R$ 2,8bi), passou a cair ainda na parte da manhã, acompanhando a piora do ''humor'' nos mercados europeus, após o Royal Bank of Scotland anunciar um prejuízo da ordem de US$ -41bi em 2008.
- DÓLAR -0,5% à R$ 2,33, abriu em alta, influenciado pelo anuncio de um novo déficit na balança comercial brasileira, porem, apesar da piora do ''humor'' nas bolsas mundiais, passou a cair ainda na parte da manhã, influenciado pelos leilões de venda do BC.
- Na ÁSIA, otimistas com a aproximação da posse de Obama, JAPÃO 0,3%, sustentada pelas ações de exportadoras, como Tokyo Electron (4,5%), Honda (4,1%) e Sharp (4,7%), diante da desvalorização da moeda local (o iene) frente ao dólar, CHINA 1,7%, diante das esperanças de nova redução na política de aperto monetário e de mais medidas de apoio à indústria e CORÉIA 1,4%, impulsionada por ganhos no setor de tecnologia, diante das crescentes esperanças de uma recuperação do setor, já que a LG informou que os preços dos monitores de cristal líquido provavelmente chegaram ao piso em DEZ/08.
- Na EUROPA, revertendo uma abertura positiva, após a comissão Européia anunciar que o PIB dos países da zona do euro deve encolher -1,9% neste ano, INGLATERRA -0,9%, FRANÇA -0,9% e ALEMANHA -1,1%, pressionadas principalmente pelo desempenho negativo dos bancos, diante do anúncio do prejuízo bilionário do Royal Bank of Scotland em 2008.
- Nos EUA, S&P, DJ e NASDAQ não funcionaram devido ao feriado de Martin Luther King Jr.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Mostrando que ''a marolinha se transformou em tsunami'', o Ministério do Trabalho revelou que em DEZ/08 foram fechados 654.946 postos de trabalho no Brasil, o que representa o pior resultado para o emprego com carteira assinada dos últimos 10 anos.

Após confirmar que a crise externa está resultando em uma série de indicadores econômicos preocupantes, Meirelles, presidente do BC, voltou a ''garantir'' que o Brasil está mais preparado para enfrentar as dificuldades do que outros países, inclusive porque exerceu um controle regulatório mais severo sobre as instituições financeiras, e que o governo Lula está preparado para tomar todas as medidas necessárias.

Confirmando que, apesar da crise global, o Brasil continua sendo um lugar atraente para se investir, ao longo de todo ano de 2008 o fluxo de investimentos externos diretos cresceu 20,6% na comparação com o mesmo período de 2007, o que contraria a tendência observada na maior parte dos outros países, já que globalmente no ano passado o fluxo de investimentos externos diretos caiu -21% na mesma base de comparação.

Diante dos recentes, e cada vez mais claros, sinais de controle da inflação e desaceleração da economia, a grande maioria dos economistas do setor financeiro já espera uma redução da taxa básica de juros do país de 13,75% para 13% na reunião do Copom nesta semana.

Apresentando uma redução de -21,2% nas exportações, que obviamente é fruto da desaceleração da economia mundial, nas 2 primeiras semanas de JAN/09 a balança comercial brasileira acumulou um déficit de US$ -35,5mi, contra um resultado positivo de US$ 42mi no mesmo período de 2008.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Mostrando que se ''rendeu'' para sobreviver na política, Alckmin, que ficou ''sem moral'' após não passar para o segundo turno nas eleições pela prefeitura de SP, foi nomeado como o novo secretário de Desenvolvimento do Estado de SP e disse que seu ''novo patrão'', o governador Serra, desponta como o candidato do PSDB à eleição presidencial.

Após se reunir com Lula, que ressaltou que a ultima coisa que quer é uma briga entre aliados, Sarney afirmou que o PMDB disputará a presidência do Senado e que seu partido deseja que ele seja o candidato.

Mostrando uma enorme irresponsabilidade partidária, o petista Tião Viana ''garantiu'' que não desistirá de disputar a presidência do Senado nem mesmo a pedido de Lula, o que tornará inevitável que a disputa entre PT e PMDB chegue ao plenário.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Finalmente colocando ''um ponto final na abominável era Bush'', que aliás só deixará saudades entre os donos das industrias de petróleo e de armas, hoje, com o ''simples objetivo'' de mudar a história mundial, Obama assumirá a presidência dos EUA com a ''missão quase impossível'' de tirar o país e o mundo de uma crise econômica que parece não ter fim.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário