R.B. 12/DEZ/19 "Tornando cada dia mais difícil a vida dos investidores conservadores"



"Tornando cada dia mais difícil a vida dos investidores conservadores"

São Paulo, 12 de dezembro de 2019 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, dando sequência ao rali de final de ano, para ampliar os ganhos acumulados em 2019 (26,3%), acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais, impulsionada pela valorização das commodities, beneficiada pelo corte da taxa básica de juros tupiniquim e animada pela elevação da “nota” do Brasil pela S&P e (2) o DÓLAR pode cair, com “boas chances” de fechar o dia abaixo dos R$ 4,10, diante da expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos por conta das notícias que devem animar a bolsa brasileira.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,2%, recuperando as perdas da abertura, acompanhando a melhora do “humor” nas bolsas de NY e influenciada pela expectativa, confirmada após o fechamento do pregão, de corte da taxa básica de juros tupiniquim e (2) o DÓLAR caiu -0,7% à R$ 4,11, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante da sinalização de que os juros dos EUA vão ficar por um bom tempo no nível atual, e também influenciado por declarações de Benchimol, presidente da XP, de que trará para o Brasil os US$ 2,2bi oriundos da abertura de capital da XP na bolsa de NY.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1% e China 0,2%, beneficiadas por “rumores” de adiamento do prazo para a imposição de tarifas pelos norte-americanos a produtos chineses caso não se chegue a um acordo até 15/DEZ/19, (2) da EUROPA, revertendo as perdas da abertura, Inglaterra 0,1%, França 0,2% e Alemanha 0,6%, com destaques de alta para as ações dos bancos e das mineradoras e (3) dos EUA, S&P 0,3%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,4%, após o FED (“BC” local) mostrar que não tem pressa para elevar os juros, mesmo com uma perspectiva otimista para a economia do país.

Ainda no mercado acionário, ganhou destaque o início de negociações das ações da XP na Nasdaq. A empresa encerrou o pregão com valor de mercado de US$ 19 bilhões, ou mais de R$ 80 bilhões. A ação encerrou com alta de 27,63%, a US$ 34,46. O papel foi precificado ontem em US$ 27, acima da faixa indicativa de preço, por conta da elevada demanda.

Confortável com a projeção de crescimento do PIB dos EUA em 2,2% para 2019 e em 2,0% para o próximo ano, satisfeito com a situação de pleno emprego no país e sem preocupações com a inflação, o FED (“BC” dos EUA) decidiu, de forma unanime, contrariando a vontade de Trump e seguindo o que esperava o “mercado”, manter inalterada a taxa básica de juros da economia norte-americana na faixa entre 1,50% e 1,75%.

Excluindo 2012, quando o IPO do Facebook distorceu a comparação, neste ano de 2019, pela primeira vez na história, o volume de recursos captados por meio de ofertas públicas iniciais na Nasdaq (US$ 32,4bi) vai superar os valores captados pela NYSE (US$ 26,2bi).

Mostrando que, após se livrar da organização criminosa petista, o Brasil está no caminho certo, a agência de classificação de risco de crédito S&P elevou, de estável para positiva, sua perspectiva para a “nota” tupiniquim de longo prazo, elogiando a melhora da situação fiscal, a redução da taxa básica de juros, o controle da inflação, a aprovação da reforma da Previdência, os sinais de retomada da economia e a perspectiva de continuidade da agenda de reformas em 2020.

Tornando cada dia mais difícil a vida dos investidores conservadores” e estimulando investimentos no setor produtivo da economia, ontem o BC tupiniquim, mostrando-se confortável com os indicadores de inflação e ressaltando que existe ainda muita capacidade ociosa na indústria, decidiu, conforme esperado pela grande maioria do “mercado”, cortar a taxa básica de juros da economia brasileira de 5,0% para 4,5%.

Dando mais um sinal positivo da economia tupiniquim, em OUT/19, registrando o sexto mês consecutivo de expansão, as vendas do varejo brasileiro cresceram 4,2% na comparação com o mesmo mês de 2018.

Otimista com o futuro da economia brasileira, o mercado de cartões, que passa por um aumento da concorrência, prevê um crescimento de 24% no volume transacionado com cartões em 2020, para R$ 2,3tri.

Coincidentemente agora que a XP tem ações na bolsa de NY, impossibilitando a participação de brasileiros que não tem conta no exterior, a CVM, em linha com o objetivo de aumentar as possibilidades de diversificação do portfólio dos investidores tupiniquins, decidiu propor a eliminação da necessidade de ser investidor qualificado para comprar BRDs no Brasil.

-    A XP disparou 27,6% no seu primeiro dia de negociação na bolsa de NY, atingido o valor de mercado de US$ 19bi e assim se tornando a 11ª empresa brasileira de capital aberto mais valiosa do país.

Política:

Coberto de razão, Bolsonaro defendeu seu decreto que libera a plantação de cana de açúcar na Amazônia, porém, perdendo mais uma oportunidade para ficar calado, voltou a criticar a marionete Greta Thunberg, a quem acusou de fazer um “showzinho” na conferência do clima em Madri.

Atiçado pelos canetinhas de aluguel do PT que trabalham na Folha de SP, Sergio Moro, brilhante ministro da justiça, garantiu que não tem pretensão de seguir a política partidária, que ingressou no governo para consolidar o que vinha fazendo como juiz, principalmente no campo de enfrentamento à corrupção, e que seria absolutamente inconsistente eu não apoiar a reeleição de Bolsonaro em 2022.

Defendendo a prisão após condenação em segundo instancia, o Globo, em editorial de hoje, ressalta que a Lava Jato, em seus mais de cinco anos de existência, puxa agora um fio que pode levar à origem do dinheiro como qual Fernando Bittar, Kalil Bittar e Jonas Suassuna compraram o sítio que ficou em usufruto de Lula.

Após dizer que quem apoia o governo Bolsonaro tem desvio de caráter, ressaltando que o presidente tupiniquim defende ideias racistas, homofóbicas e machistas, Felipe Santa Cruz, nefasto presidente da OAB e pau mandando de Lula, ficou chateado pois Sergio Moro não quer recebe-lo para uma audiência.

Cedendo, de maneira covarde, às pressões da impressa socialista tupiniquim, o governo publicou edição extra do Diário Oficial da União na noite de ontem para suspender a nomeação do jornalista Sérgio Nascimento de Camargo para a presidência da Fundação Cultural Palmares.

Ajudando bandidos de colarinho branco, a Câmara aprovou ontem a medida provisória que transfere o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) do Ministério da Economia para o BC.

Após meses de negociação no Congresso, o plenário do Senado aprovou ontem, em votação simbólica, uma versão desidratada do pacote anticrime inicialmente proposto pelo brilhante ministro Sergio Moro, que agora vai para sanção do presidente Bolsonaro.

Trabalhando em prol dos bandidos, a PGR pediu a Edson Fachin para arquivar inquérito que apura se o nefasto senador Renan Calheiros recebeu propina da Odebrecht, por atuar em favor da construtora na aprovação de medida provisória que renovou contratos de concessão de energia, em 2015.

Ontem à noite, em evento na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, com dezenas de cadeiras vazias, Lula atacou a imprensa e a Lava Jato e, com um discurso aloprado, afirmou que houve um acordo “das elites, de Sergio Moro e da imprensa” para persegui-lo e evitar que o PT continuasse governando o país.

Crítica:

Retardado e populista, como a grande maioria dos socialistas, Francisco Clidenor Ferreira do Nascimento, filiado ao PPS e prefeito da cidade de Lago Verde, no Maranhão, decidiu tabelar o preço da carne bovina.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário