R.B. 6/NOV/19 "Testando o apetite dos gringos com o Brasil"



"Testando o apetite dos gringos com o Brasil"

São Paulo, 6 de novembro de 2019 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, para fechar o dia em um novo recorde histórico, reagindo positivamente ao Plano Brasil Mais, lançado hoje pelo governo Federal, e ao resultado do leilão do pré-sal, que ocorrerá esta manhã e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e também a esperada melhora do “humor” da bolsa tupiniquim.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1%, devolvendo os ganhos da abertura, em um movimento (a) de ajuste técnico após fechar o pregão anterior no maior patamar da história e (b) de cautela antes do megaleilão do pré-sal que ocorrerá hoje e (2) o DÓLAR caiu -0,4% à R$ 3,99, devolvendo a valorização registrada no pregão anterior, influenciado pelo fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e principalmente investimentos.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,8% e China 0,5%, ainda sustentadas por sinais de avanços nas negociações comerciais entre Pequim e Whashigton e desta vez também com destaques de alta para ações financeiras e do setor de eletrônicos, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,2%, França 0,4% e Alemanha 0,1%, influenciadas positivamente pela divulgação índice de gerentes de compras do setor de serviços do Reino Unido, que subiu de 49,5pts em SET/19 para 50pts em OUT/19, patamar acima do esperado pelo “mercado” (49,0pts) e com destaques de alta para as mineradoras, diante do anúncio de que as minas no Chile voltaram a operar normalmente, após a onda de manifestações no país e (3) dos EUA, sem direção única e próximas da estabilidade, S&P -0,1%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,1%, após um pregão marcado por mudanças no “humor” dos investidores em relação ao esperado acordo comercial entre as 2 maiores economias do planeta.

Elevando a cautela global, na tarde de ontem Pequim informou que quer compromissos mais "sólidos" de Washington em relação à remoção de tarifas e que, sem isso, uma visita do líder chinês, Xi Jinping, aos EUA seria "politicamente difícil".

O Plano Brasil Mais, apresentado ontem ao Congresso pelo governo Bolsonaro com uma série de propostas para aprimorar questões administrativas e fiscais, é visto por economistas como um novo marco na economia brasileira, já que inclui medidas como (1) a redução da jornada e salário dos servidores públicos em até -25%, (2) a extinção de 248 fundos públicos, com R$ 220bi, para abater dívida pública, (3) a diminuição das despesas obrigatórias, (4) a fusão ou incorporação de Municípios com menos de 5 mil habitantes e (5) o fim do monopólio da Casa da Moeda.

Testando o apetite dos gringos com o Brasil”, hoje, a partir das 10hrs, o governo vai leiloar quatro áreas do pré-sal da Bacia de Santos, que somadas valem R$ 106,5bi, quase o dobro de todos os lances pagos desde a primeira rodada, em 1999.

Citando o ambiente de taxa de juros baixa e inflação sob controle, o Credit Suisse “aposta” cada dia mais na retomada dos investimentos no Brasil, ressaltando que nos 10 primeiros meses deste ano as empresas listadas na bolsa tupiniquim já levantaram, principalmente para projetos de expansão, cerca de R$ 70bi no mercado de capitais.

Cumprindo mais uma promessa de campanha, ontem, em evento de comemoração pelos 300 dias de governo, Bolsonaro assinou o projeto de lei que prevê a privatização da Eletrobrás, que agora para entrar em vigor precisa passar pelo Congresso.

Fugindo do socialismo e do populismo argentino para o liberalismo brasileiro, MWM, fábrica de motores norte-americanos, Honda, gigante de automóveis e a L’Óreal, anunciaram o fechamento de suas fábricas na Argentina e a instalação no Brasil.

Mostrando otimismo, Tereza Cristina, ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que embarca para os EUA no dia 17/NOV/19, afirmou que “aposta” na reabertura do mercado norte-americano para a carne brasileira, vetada por aquele país desde o início da Operação Carne Fraca, em 2017.

Forjada no sangue dos animais e também de muitos pequenos pecuaristas, que morreram de morte morrida ou de morte matada pela organização criminosa que comanda a empresa, ontem a JBS caiu -3,8% na bolsa tupiniquim diante da notícia de que o procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, o fim da imunidade criminal dos irmãos Batista, concedida no acordo de delação premiada de 2017.

O Banco ABC Brasil encerrou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 130,5mi, alta de 12,4% em relação aos R$ 116,1 milhões no terceiro trimestre de 2018.

-    A Telefónica caiu -1,0% na bolsa de Madri, após informar que teve prejuízo líquido de -443 milhões de euros no terceiro trimestre, revertendo lucro de 1,14 bilhão de euros em igual período de 2018.

Política:

Se aproximando cada vez mais dos inimigos de Bolsonaro, seu ex-aliado, o ex-ministro Gustavo Bebianno, que neste mês já se filiou ao PSDB, agora foi convidado pela OAB para ser assessor especial de Felipe Santa Cruz, o bandido que preside a referida entidade.

A Polícia Federal pediu a prisão temporária de Dilma em inquérito que apura as doações ilícitas de ao menos R4 40mi da JBS para o PT nas eleições de 2014, porem a medida foi negada pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, que aliás foi indicado ao cargo pela referida ex-presidenta.

Como já era de se esperar, PSOL, PT e PCdoB entregaram na tarde de ontem um pedido de cassação do mandato do deputado federal Eduardo Bolsonaro alegando que ele defendeu, na semana passada, a volta do AI-5 para combater manifestações de esquerda.

Desrespeitando o plebiscito do desarmamento e a vontade da maioria do eleitorado que elegeu Bolsonaro presidente, na noite de ontem a Câmara, ainda dominada por uma mentalidade intervencionista, desidratou o projeto que trata da posse e porte de armas.

Obstinados em rapinar mais dinheiro público, presidentes de partidos se reuniram ontem, em Brasília, para articular o aumento do fundo eleitoral para 2020 e verificarem se têm votos suficientes nas bancadas para derrubar eventual veto de Bolsonaro.

Crítica:

Outrora crítico feroz do fechamento de fronteiras, Emmanuel Macron, babaca, populista e presidente da França, anunciou que o Parlamento francês começará a definir cotas de imigração para pessoas que queiram trabalhar em seu país a partir do próximo ano.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário