R.B. 18/OUT/18 "Cada dia mais longe do poder e mais perto da cadeia"



"Cada dia mais longe do poder e mais perto da cadeia"

São Paulo, 18 de outubro de 2018 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, realizando lucros recentes, acompanhando o recuo das commodities e em um movimento de cautela diante do aumento dos ataques da imprensa socialista tupiniquim contra a candidatura de Bolsonaro e (2) o DÓLAR pode subir, usando a esperada piora do “humor” na bolsa tupiniquim como “desculpa” para um “ajuste técnico” diante da forte retração de -11,1% acumulada pela moeda norte-americana nos 17 primeiros dias de OUT/18.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,1%, mesmo com o recuo das commodities, com as perdas das principais bolsas mundiais e com a valorização de 8,0% acumulada nos 17 primeiros dias de OUT/18, diante das expectativas positivas para a derrota da organização criminosa petista nas eleições presidenciais tupiniquins e (2) o DÓLAR caiu -1,01% à R$ 3,68, para fechar o dia no menor patamar desde 25/MAI/18, influenciado pela trajetória internacional da moeda norte-americana e pela expectativa de crescimento do fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e principalmente investimentos.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, acompanhando o excelente desempenho das bolsas de NY no dia anterior, Japão 1,3% e China 0,6%, com destaques de alta para as ações de fabricantes de eletrônicos e de corretoras, (2) da EUROPA, seguindo a realização de lucros das bolsas de NY, Inglaterra -0,1%, França -0,5% e Alemanha -0,5%, em um movimento de cautela diante do início da cúpula do Conselho Europeu, que vai discutir o orçamento da Itália, tentar destravar o acordo do Brexit e tratar da questão da fronteira irlandesa e (3) dos EUA, em uma saudável realização de lucros, S&P -0,1%, DJ -0,4% e NASDAQ -0,1%, prejudicadas pela divulgação da ata da reunião do FED (“Copom” local), que indicou que a economia do país cresce de maneira consistente e que a taxa de juros norte-americana seguirá subindo.

Colocando suas “novas asinhas liberais de fora”, Bolsonaro anunciou que seu plano de governo para infraestrutura baseia-se em expandir ferrovias, rodovias e aeroportos quase que exclusivamente com recursos privados, ressaltando também que os chineses serão bem-vindos.

Ao que tudo indica saindo do fundo do poço, em AGO/18 a economia tupiniquim superou as expectativas do “mercado” (0,25%) e cresceu 0,47% na comparação com JUL/18, sustentada principalmente pelos setores de varejo e serviços, com avanços respectivamente de 1,3% e 1,2% na mesma base de comparação.

Mostrando que “ainda está ruim, mas que já esteve pior”, segundo a 22ª pesquisa da Confederação Nacional do Transporte, que avaliou 107.161 quilômetros de estradas, a qualidade das rodovias tupiniquins apresentou melhora em 2018, mas 57% delas ainda têm deficiências, patamar inferior ao levantamento feito em 2017 (61,8%).

Como o país foi agraciado pelo início antecipado do período chuvoso, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico reafirmou ontem a decisão de não ligar as usinas termelétricas mais caras, o que ajudará a segurar o preço da energia elétrica e consequentemente a inflação.

Comprovando a enorme falta de educação financeira do brasileiro, que piorou muito nos governos do PT por conta do estimulo irresponsável ao consumo, segundo um Levantamento realizado pelo SPC Brasil 1 em cada 3 consumidores tupiniquins que usam cartão de crédito desconhecem o valor da fatura e cerca de 25% dos usuários dessa modalidade pagaram parcialmente suas faturas, arcando com juros que muitas vezes superam os 500% ao ano.

Política:

Colocando os petistas “cada dia mais longe do poder e mais perto da cadeia”, a pesquisa divulgada ontem pela revista Crusoé, que foi a que mais acertou no primeiro turno, indicou que Bolsonaro tem 60,9% dos votos válidos (59,2% entre as mulheres) e rejeição de 38,0%, já Haddad tem 39,1% dos votos (31,6% entre as mulheres) e 55,2% de rejeição.

Como nunca teve nenhum peso político, está sendo abandonado pelo PT, tem apoio de apenas 3 dos 28 candidatos à governador que disputam o segundo turno, foi escorraçado por Cid Gomes e já é ignorado pela maioria dos seus aliados, Haddad ontem recebeu a “triste notícia” de que FHC definitivamente não vai declarar apoio à sua candidatura.

Com o objetivo de ter uma base aliada ampla para facilitar a aprovação de reformas, Gustavo Bebianno, presidente do PSL, defendeu que o comando da Câmara dos Deputados seja negociado com outros partidos, inclusive com os do Centrão, porem ressaltou que o PT “que será isolado” se Bolsonaro ganhar a eleição.

Finalmente mostrando um lapso de lucidez política, ontem FHC afirmou, mostrando-se deveras surpreso, que atualmente a população vota “à vontade” e que o peso que os partidos têm hoje é relativo, pois as pessoas estão tomando hoje posição independentemente de apoio.

Segundo a primeira pesquisa divulgada com intenções de voto para governador de SP no segundo turno, Dória, destinado à dominar o PSDB, tem 52,3% e Marcio França, que esconde a todo custo que é socialista e ex-aliado de Lula, tem 47,7%.

Cada dia mais esquecido na sua cela em Curitiba, que quiçá ficará bem fria no inverno, Lula recebeu a notícia de que foi novamente condenado, desta vez a pagar multa por litigância de má-fé, acusado de tentar enganar a Justiça em um processo pela construção de uma chácara em São Bernardo do Campo.

Contrariando as previsões iniciais, segundo um levantamento feito pelos cientistas políticos Carlos Pereira e Frederico Bertholini, com “a proximidade ideológica dos partidos de centro-direita e seus respectivos tamanhos, é razoável supor que um eventual governo Bolsonaro não teria dificuldade para construir uma coalizão majoritária.

Na eleição para o governo do RJ, se apoiando na força de Bolsonaro para se livrar da corja que rapinou o referido Estado, o ex-juiz Wilson Witzel, do PSC, tem 60% dos votos válidos segundo uma pesquisa divulgada ontem, contra 40% do ex-prefeito Eduardo Paes, que era do PMDB, disputa esta eleição pelo DEM e deve ir para cadeia caso não seja eleito.

Crítica:

Revelando “o que qualquer rato da praia de Santos sabe faz décadas”, a Polícia Federal afirmou, na conclusão do inquérito dos portos, que o esquema de corrupção era liderado pelo presidente Temer há mais de 20 anos, desde a época em que ele era deputado federal por SP, ressaltando que há elementos concretos e relevantes no sentido de que a edição do decreto buscou atender interesses de empresas portuárias.

Além de deixar bem claro quem não defende a democracia, já que votar em um candidato de uma organização criminosa travestida de partido que apoia e financia as ditaduras de Cuba e Venezuela é uma prova disto, os ridículos manifestos à favor de Haddad, o candidato porte de presidiário, são um sinal de desespero de um bando de vagabundos imprestáveis que vivem mamando nas tetas do governo e estão apenas preocupados com o iminente fim da mortadela grátis.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário