R.B. 11/MAI/18 "Quase ninguém quer o Chuchu"



"Quase ninguém quer o Chuchu"

São Paulo, 11 de maio de 2018 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir cair, realizando lucros após 3 pregões seguidos de alta, pressionada pelo recuo das commodities, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e prejudicada pelos sinais de que Alckmin, o “queridinho do mercado”, não terá apoio do PMDB na disputa presidencial e (2) o DÓLAR pode subir, retornando à sua trajetória de alta após o “ajuste técnico” de ontem, influenciado pela esperada piora do “humor” na bolsa tupiniquim e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,9%, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais, impulsionada pela divulgação de bons resultados corporativos de empresas brasileiras e com os investidores “aliviados” com mais uma negativa de soltura de Lula e (2) o DÓLAR caiu -1,3% à R$ 3,55, realizando lucros após 4 pregões seguidos de alta, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante do recuo da inflação nos EUA, e também influenciado pela melhora do “humor” na bolsa tupiniquim e pelos leilões de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,4% e China 0,5%, seguindo o tom positivo dos mercados acionários de NY no dia anterior e beneficiadas pela divulgação de bons resultados corporativos, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,5%, França 0,2% e Alemanha 0,6%, novamente com destaques de alta para as petrolíferas, beneficiadas pela valorização do petróleo diante da decisão de Trump de retirar os EUA do acordo nuclear com o Irã e (3) dos EUA, S&P 0,9%, DJ 0,8% e NASDAQ 0,9%, beneficiadas pelo aumento das “apostas” de que o FED (“BC” local) deve continuar elevando a taxa de juros do país de forma gradual, diante da divulgação de indicadores de inflação abaixo do esperado.

Reduzindo os temores inflacionários na maior economia do mundo, o índice de preços ao consumidor norte-americano subiu 0,2% na passagem de MAR/18 para ABR/18, patamar ligeiramente abaixo das “apostas do mercado” (0,3%).

Crítica do país do Pelé, a nova edição da revista Economist, questionando se as aflições da Argentina vão se espalhar pelos demais países emergentes, ressalta que no Brasil o déficit fiscal projetado está em 8% do PIB, contra 5,5% na terra do Maradona.

Trazendo um pouco de alivio à Argentina, ontem (1) Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI, afirmou que a instituição está “preparada para seguir respaldando” o governo Macri e (2) o governo dos EUA anunciou que apoia o programa de reformas econômicas argentino.

Abaixo das “apostas do mercado” (0,28%) e reforçando as “apostas” de que o Copom vai cortar a taxa básica de juros tupiniquim na sua próxima reunião, que ocorrerá nos dias 14 e 15/MAI/18, o IPCA de ABR/18 ficou em 0,22%, acumulando com isto uma alta de 2,76% nos últimos 12 meses.

Estimulados pela alta do preço do petróleo, que impulsiona a gasolina e o diesel, no mês de ABR/18 as Usinas brasileiras atingiram o maior patamar de produção de etanol desde de AGO/15, o que ajuda no controle da inflação tupiniquim.

Com o país consolidando cada dia mais sua posição de “celeiro do mundo”, segundo projeções do Departamento de Agricultura dos EUA o Brasil, já na próxima safra, passará a liderar a produção mundial de Soja, colhendo 117 milhões de toneladas.

Após 4 dias de forte valorização, o valor de mercado das ações da Petrobrás atingiu R$ 358,9bi, fazendo a estatal tupiniquim voltar a ser, pela primeira vez desde OUT/14, a empresa mais valiosa da América Latina, desbancando a Ambev, que agora ocupa a segunda posição com R$ 342,6bi.

-    A Apple subiu 1,4% na bolsa de NY, após a o Wall Street Journal dizer que a empresa e o Goldman Sachs devem lançar um novo cartão de crédito.
-    A BRF caiu -1,5% e, após o fechamento do pregão, a empresa anunciou que teve um prejuízo líquido de R$ -114mi de reais no primeiro trimestre, queda ante o resultado negativo de R$ -286mi registrado um ano antes, apesar do aumento no preço do milho no período, impactos de operação Trapaça, da Polícia Federal, em MAR/18, e redução dos preços de produtos no Brasil.

Política:

Indicando que, na organização criminosa peemedebista, “quase ninguém quer o Chuchu”, segundo um levantamento feito pelo Palácio do Planalto, (1) um acordo eleitoral com Alckmin é rejeitado por 20 dos 27 diretórios estaduais do PMDB e (2) o eventual apoio peemedebista à candidatura do referido tucano é rejeitado por 508 votos dos 629 delegados da cúpula peemedebista.

Dizendo o que o “mercado” quer escutar, porém contrariando quase tudo que seu candidato diz no palanque, Persio Arida, coordenador econômico da campanha de Alckmin à presidência, “garantiu” que um eventual governo tucano não terá “intervenções populistas”.

Colocando suas “garrinhas populistas de fora”, Márcio França, governador de SP e candidato à reeleição, publicou 2 decretos nos últimos dias de ABR/18 encurtando o caminho para a transferência de recursos do estado a municípios.

Complicando a vida de mais um “queridinho de Lula”, o Ministério Público Eleitoral denunciou o petista Haddad, ex-prefeito de SP, à Justiça Eleitoral sob a acusação da prática de caixa dois na campanha de 2012, em razão do recebimento “por fora” de recursos da empreiteira UTC, investigada na Operação Lava Jato.

Reunidos na casa de Eunício Oliveira, presidente do senado, cardeais do PMDB, que assim como PT e PSDB é uma organização criminosa travestida de partido, concluíram que (1) a eventual vitória de Ciro Gomes, do PDT, pode ser um golpe para a sigla, (2) Temer deveria oficializar logo que não é candidato à reeleição (3) Meirelles precisa mostrar viabilidade até JUL/18, o que é improvável e (4) o ideal seria o partido não se aliar a ninguém na eleição presidencial.

Com uma meta de chegar a 7% das intenções de voto para presidente até JUL/18, Meirelles, que atualmente tem 1%, reforçou o time de comunicação, abriu um QG em SP e deve iniciar na próxima semana nova ofensiva nas redes sociais, tudo isto com grana do próprio bolso.

Trabalhando em benefício de um bandido, Jorge Mussi, ministro do Superior Tribunal de Justiça, concedeu liminar para suspender a decisão do Tribunal Regional Eleitoral do RJ que tornou inelegível o ex-prefeito Eduardo Paes, atualmente na organização criminosa do DEM, por 8 anos.

Apesar de seguir dizendo que, mesmo enjaulado, será candidato à presidente, Lula tem Jaques Wagner como seu “plano B”, porem caso o ex-governador da Bahia tenha problemas com a Lava Jato, o “plano C” seria Haddad, que agora também tem “bronca com a justiça”.

Começando a revelar a podridão da mais alta corte tupiniquim, segundo uma reportagem especial da regista Crusoé o IDP, o “nobre” ministro Gilmar Mendes, do STF, recebeu R$ 3,5 mi de patrocinadores ocultos.

Mais rapidamente do que o esperado, Edson Fachin negou o novo recurso da defesa de Lula, que questionava a decisão do STJ de negar habeas corpus preventivo ao condenado.

Crítica:

Tirando dos pobres para dar aos ricos, apenas neste ano de 2018 o governo tucano de SP premiou empresas “amigas” com desonerações fiscais que causaram perdas de R$ -20,5bi em arrecadação aos cofres públicos.

Diante da contratação de novos servidores e da criação de um bônus por produtividade, o número de patentes concedidas no Brasil nos 4 primeiros meses deste ano subiu 87,3% na comparação com o mesmo período de 2017.

Deflagrada no início do mês, a Operação Câmbio, Desligo, que prendeu mais de 50 doleiros, pode ajudar a expor de vez as vísceras de uma parcela corrupta do empresariado brasileiro, que, se de um lado sempre sofreu extorsão de políticos que colocavam dificuldades para vender facilidades, por outro aproveitou o esquema para ganhar muito, mas muito dinheiro.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário