R.B. 19/SET/16 "Vagabundos por natureza"



"Vagabundos por natureza"

São Paulo, 19 de setembro de 2016 (SEGUNA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e com “boas chances” de fechar a semana acima dos 60.000pts, diante da recuperação das commodities e das “apostas” de que o FED (“BC” dos EUA) não vai subir a taxa de juros na reunião desta semana e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, para fechar esta semana abaixo dos R$ 3,25, seguindo a esperada melhora do “humor” na bolsa brasileira e influenciado pelo fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e “investimentos”.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,4%, com razoável volume de negócios (7,5bi), revertendo uma abertura positiva para acompanhar as perdas das bolsas de NY e o recuo das commodities, principalmente o petróleo (-1,5%), por conta da expectativa de que Líbia e Nigéria elevem a produção e (2) o DÓLAR caiu -1,0% à R$ 3,27, influenciado pela entrevista de Ilan Goldfajn, presidente do BC brasileiro, ressaltando que acredita que tem menos espaço para reduzir o estoque de swap cambial tradicional, que correspondem à venda futura de dólares, diante da de aumento dos juros nos EUA.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,7%, tentando uma recuperação após 2 pregões seguidos de queda, desta vez impulsionada por ações do setor de tecnologia, que seguem rali da Apple na bolsa de NY e China esteve fechada por conta de feriado no país, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,3%, França -0,9% e Alemanha -1,5%, pressionadas por ações dos bancos, como RBS (-4,4%), Barclays (-2,8%), Commerzbank (-1,9%) e Société Générale (-2,7%), após o Departamento de Justiça dos EUA propôs que o Deutsche Bank, cujas ações recuaram -8,5%, pague um multa de US$ 14bi para acertar processos que envolvem hipotecas com problemas vendidas antes da crise de 2008 e (3) dos EUA, S&P -0,4%, DJ -0,5% e NASDAQ -0,1%, com a divulgação de um dado de inflação do país acima do esperado elevando as “apostas” de alta dos juros pelo FED (“BC” local) na reunião desta semana e também pressionadas pelo recuo das ações dos setores financeiro e de energia.

Segundo Antonio Quintella, sócio fundador da gestora de recursos de terceiros Canvas Capital e ex-presidente do renomado banco Credit Suisse no Brasil e nos EUA, apesar da premência de o governo se concentrar no ajuste fiscal, é preciso que a equipe do presidente Temer se dedique também a uma agenda de reformas microeconômicas para melhorar o ambiente de negócios e atrair investimentos para o país.

Já causando uma reação positiva nos mercados da commoditie, segundo Mohammed Barkindo, secretário-geral da Opep, os membros da referida Organização dos Países Exportadores de Petróleo devem convocar uma reunião extraordinária para discutir os preços do petróleo se chegarem a um consenso durante um encontro informal em Algiers neste mês.

Conforme já verificado inúmeras vezes por qualquer pessoa que usa um telefone celular no país, segundo uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) é extremamente “frouxa” na maneira como a fiscaliza os serviços prestados pelas operadoras de celular, beneficiando as empresas com a substituição de penalidades e sanções por novas metas de investimento que também não foram cumpridas.

“Como um Robin Hood às avessas”, que tira dos pobres para dar aos ricos, já está provado que a política de direcionar recursos dos trabalhadores para investimentos em empresas escolhidas pelo governo nas gestões petistas provocou prejuízos bilionários em fundos de pensão e para piorar colocou em risco também o FI-FGTS, pois apenas na Sete Brasil as perdas chegaram a R$ -2bi em 2015.

-    Dando mais um sinal do estouro da bolha imobiliária tupiniquim, em JUL/16 as vendas de imóveis residenciais novos na capital paulista chegaram a 828 unidades, queda de -60,5% ante JUN/16 e baixa de -20,5% em relação a JUL/15.

Assim como a caderneta de poupança, que é simples e fácil de entender, os brasileiros têm “paixão” pelo investimento em imóveis, induzidos por sensação de segurança e atraídos por rentabilidade, em tese, atraente, porem na maioria das vezes ambos os investimentos perdem para a inflação.

Assim como as ações das empresas na bolsa reagem antes da recuperação da economia, os fundos imobiliários com cotas negociadas em bolsa também sobem antes da recuperação do setor imobiliário, e uma prova disto é que, após 3 anos ruins por causa da recessão econômica, o índice Ifix, que reflete o desempenho médio dos fundos imobiliários mais negociados na Bovespa, já subiu mais de 25% neste ano de 2016.

Mesmo após a Copa do Mundo de futebol e as Olimpíadas, a receita gerada pelo turismo no Brasil ainda representa apenas 0,3% do PIB, portanto é proporcionalmente menor que na Rússia (1,0% do PIB), na Índia (0,6% do PIB), na França (1,9% do PIB) e até em Ruanda (3,8% do PIB).

-    Com a população tupiniquim finalmente “caindo na real”, o percentual de brasileiros que pretendem comprar um presente no Dia das Crianças é a menor desde 2013, diz pesquisa da Fecomércio RJ/Ipsos.

-    Por dar passos maiores do que as pernas, a construtora e incorporadora Viver informou que pediu recuperação judicial na sexta-feira passada, num processo que envolve dívidas de cerca de R$ 1bi.

-    A Intel subiu 3,0% na bolsa de NY, depois que a fabricante de chips aumentou sua perspectiva para as receitas do terceiro trimestre.
-    A Oracle recuou -4,7% na bolsa de NY, depois que afirmar que o aumento das vendas dos negócios de cloud-computing foi ofuscado por uma queda na sua divisão de licenciamento de software no último trimestre.

Política:

Dando mostras de sua habilidade e influência política, Temer, após vetar o reajuste integral aos defensores públicos, recebeu uma declaração formal de apoio dos deputados do bloco chamado de "centrão", o que aumenta as chances de aprovação das importantes reformas fiscais necessárias para colocar o país de volta na rota do crescimento.

Caindo na real, o Planalto não só concorda com a previsão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de que a reforma da Previdência só será aprovada em 2017 como internamente já trabalha com um calendário bem mais largo de tramitação, reconhecendo nos bastidores que só deve conseguir promulgar as mudanças nas regras da aposentadoria no segundo semestre do ano que vem.

Mostrando o absurdo que é a população pagar com seus impostos o funcionamento dos partidos políticos, segundo dados oficiais do Tribunal Superior Eleitoral, o PMDB usou recursos do Fundo Partidário para bancar um congresso que custou mais de R$ 277 mil, almoços de até R$ 9.000 e uma "confraternização" de fim de ano ao custo de R$ 30 mil.

Revelando para o mundo que atualmente o Brasil tem um presidente com cultura e habilidade política, o que já é um grande avanço na comparação com o governo Dilma, amanha Temer fará seu primeiro discurso na ONU, no qual irá tratar dos princípios defendidos pelo governo, "centrados na paz, nos direitos humanos e no desenvolvimento sustentável".

Desunidos, como sempre, dirigentes e militantes de diretórios zonais do PSDB de SP lançaram um movimento de apoio à candidatura de Marta Suplicy, do PMDB, rival de João Dória, o nome escolhido oficialmente pelos tucanos para a prefeitura paulistana.

Ocupando a cadeira que no governo Dilma pertenceu a José Eduardo Cardozo, Grace Mendonça, nova ministra da Advocacia-Geral da União, “garantiu” que não terá constrangimento em mover ações contra políticos da base de Temer em caso de envolvimento com irregularidades e ressaltou que "não existe possibilidade" de a instituição "abafar a Lava Jato".

Indicando que ainda deve ter muito dinheiro sujo para bancar mortadela para os petistas e para seus “amigos”, uma equipe de cineastas tem acompanhado há 2 meses Haddad, que deve perder de lavada a disputa pela reeleição, em todas as suas atividades na Prefeitura de SP e em agendas de campanha para retrata-lo como um dos principais representantes da nova esquerda brasileira.

Crítica:

“Vagabundos por natureza”, além de produzirem 1/4 do que produz um trabalhador norte-americano, os trabalhadores brasileiros, na média, se aposentam com 57,5 anos no ano passado, muito mais cedo do que cidadãos de países de renda parecida, como mexicanos (65,2 anos) e chilenos (65 anos), ou desenvolvidos, como norte-americanos (66 anos), noruegueses (67 anos) e alemães (65,3 anos), o que eleva os gastos previdenciários e consequentemente enfraquece a capacidade do país de crescer.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário