R.B. "Apostas para 2014 e avaliação de 2013"


R.B.

 

"Apostas para 2014 e avaliação de 2013"

 

São Paulo, 1 de janeiro de 2014 (QUARTA-FEIRA).


"Apostas do R.B. para o final de 2014"

 

A retirada gradual e cuidadosa de estímulos monetários nos EUA ocorre por conta da recuperação de sua economia, o que já levou as bolsas norte-americanas e europeias aos maiores patamares da história e em 2014 pode causar um ''ajuste técnico'' na bolsa brasileira, que caiu -15,5% em 2013 está -42,8% abaixo do seu recorde histórico (73.516pts atingido em 20/MAI/2008).

 

As previsões para a economia brasileira em 2014 são ''modestas'', para o setor produtivo atrair mais investimentos é necessária a recuperação da credibilidade externa e também interna, o que aconteceria com mais facilidade através de uma simples, porem improvável, troca do ministro da Fazenda.

 

A ''esperança'' é que Dilma sabe que, para garantir sua vitória nas eleições presidenciais de 2014, é necessário se reaproximar do ''mercado'', segurar a inflação e manter baixos os índices de desemprego, isto tudo sem ''relaxar'' ainda mais do controle das contas publicas.

 

indicador

''aposta'' para 2014

Ibovespa

82.000pts

Dólar

R$ 2,30

Juros

9,50%

PIB

3,0%

Inflação

5,5%

Exportações

US$ 250bi

Desemprego

4,5%

 


"Avaliação das apostas de 2013"

 

2011 foi o ano em que os ''esqueletos saíram do armário'', em 2012 os países do ''primeiro mundo'' chegaram ao ''fundo do poço'' e em 2013, mesmo com a recuperação das principais economias do mundo, no Brasil a inflação apertou, os juros subiram e a condução da politica econômica perdeu credibilidade, o que afugentou investimentos e causou a alta do dólar (15,2% no ano) e queda da bolsa (-15,5% no ano).

 

A derrocada das ações do grupo X, principalmente a OGX (-94,5% em 2013) foi responsável por uma parcela substancial da queda do Ibovespa, que também foi afetado pelo desempenho ruim da Petrobras (-9,0% em 2013), novamente usada pelo governo para segurar a inflação e impulsionar o PIB, e pelo forte recuo das ações da Vale (-15,2% em 2013) que, em um ano de aumento da produção e redução da demanda mundial por minério de ferro, foi prejudicada por decisões jurídicas desfavoráveis.

 

O aumento das importações e o leve recuo das exportações fez a balança comercial brasileira fechar o ano próxima do equilíbrio, o que é muito negativo após anos consecutivos de elevados superávits.

 

Por fim o desemprego fecha o ano no menor patamar da história, muito mais por conta da redução do número de pessoas que querem trabalhar, já que vivem de programas assistencialistas do governo, do que por conta do aumento do número de postos de trabalho.

 

Indicador

''aposta'' de 2013

Realizado em 2013*

Ibovespa

85.000pts

51.507pts

Dólar

R$ 1,90

R$ 2,36

Juros

7,50%

10,00%

PIB

4,5%

2,3%*

Inflação

5,5%

5,8%*

Exportações

US$ 250bi

US$ 240bi*

Desemprego

4,8%

4,6%*

(*) valores aproximados, já que falta a divulgação oficial.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br 


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário