R.B. 12/DEZ/13 "Duas pernas mancas"


R.B.

"Duas pernas mancas"

 

São Paulo, 12 de dezembro de 2013 (QUINTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode seguir em queda, com ''boas chances'' de fechar o dia abaixo dos 50.000pts, ainda refletindo os temores com o desempenho da economia e das contas publicas do Brasil e também afetada negativamente pelos ''temores'' de redução dos estímulos à economia dos EUA ainda neste ano.

-    O DÓLAR deve voltar a subir, ampliando a forte valorização já acumulada no ano de 2013 (14,5%), influenciado pelos mesmos motivos que devem levar a queda da Bovespa, porem deve-se ressaltar que o patamar atual não é interessante para compra, já que o BC brasileiro, mais preocupado com a alta da inflação, deve seguir atuando na ponta vendedora.

 

ONTEM

-    BOVESPA –1,8%, já abriu em leve queda e foi ampliando as perdas ao longo do pregão, seguindo as perdas das demais bolsas mundiais, diante dos ''temores'' de que o BC dos EUA comece a reduzir seus estímulos monetários ainda em DEZ/13, e também influenciada negativamente pelo forte recuo das ações da Petrobrás (-3,0%).

-    DÓLAR 1,5% à R$ 2,34, já abriu em alta e, interrompendo uma sequência de 4 sessões seguidas de perdas ante o real, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, seguindo a piora do ''humor'' na Bovespa e com parte dos investidores embolsando os lucros mais recentes e recompondo posições no mercado futuro.

-    Na ÁSIA, influenciados por um tom de cautela com a próxima reunião de política monetária do Fed (''Copom'' dos EUA), JAPÃO –0,6%, com os investidores preocupados com os atrasos no religamento dos reatores nucleares e com destaques de queda para as exportadoras, diante da valorização da moeda local (o iene) frente ao dólar e CHINA -1,5%, prejudicada pelas preocupações com pressões de curto prazo no setor bancário por conta da liberalização das taxas de juros.

-    Na EUROPA, revertendo uma abertura positiva, INGLATERRA –0,2%, FRANÇA –0,1% e ALEMANHA –0,4%, acompanhando as perdas das bolsas de NY e repercutindo negativamente os discursos de 2 membros do Conselho Executivo do BC Europeu que afirmaram que os baixos índices de inflação não são indícios de uma síndrome deflacionária.

-    Nos EUA, realizando lucros pelo segundo dia consecutivo, após o S&P fechar na segunda-feira no maior patamar da história, S&P –1,1%, DJ –0,8% e NASDAQ –1,4%, diante da avaliação de que o acordo entre líderes dos partidos Democrata e Republicano sobre o Orçamento do governo do país em 2014 pode adiantar o inicio do processo de retirada dos estímulos monetários do FED (''BC'' local).


Economia:

 

Confirmando mais uma vez que não se cansa ser inconveniente e de falar bobagem, ontem Mantega, ministro brasileiro da fazenda, afirmou que a economia brasileira está andando com "duas pernas mancas", ressaltando que a culpa desta fraqueza é a crise internacional e a falta de crédito para bancar o consumo.

 

Mostrando-se menos pessimista que a maioria do ''mercado'', segundo Pedro Bastos, presidente da gestora de recursos do HSBC, quanto antes os EUA anunciarem a retirada dos estímulos à sua economia, melhor para o Brasil, ressaltando que isso encerraria a fase de retração de investimentos para o país e provocaria uma revalorização de ativos brasileiros.

 

Diante de uma maior oferta de apartamentos, causada pela abertura de novos hotéis, e do fraco desempenho da economia brasileira, a taxa de ocupação do setor hoteleiro do país fechará 2013 em 66,5%, o que representa uma ''pífia'' alta de 0,24% ante o resultado auferido em 2012.

 

Em NOV/13 a inadimplência dos consumidores brasileiros caiu –3,22% na comparação com NOV/12, o que representa o maior recuo nesta base de comparação desde JAN/12, e segundo especialistas do ''mercado'' isto foi causado retração do consumo oriunda das 6 altas seguidas da taxa básica de juros em 2013.

 

Também em NOV/13 a caderneta de poupança teve uma captação liquida de R$ 6,4bi, o que representa mais um recorde histórico e confirma que, diante das incertezas com a economia brasileira e da péssima educação financeira da população, os brasileiros continuam com medo de ''apostar'' no setor produtivo da economia.

 

Reforçando mais uma vez a ''vocação agrícola'' do Brasil, segundo a Confederação Nacional da Agricultura, mesmo com a queda de cerca de –10% dos preços internacionais e com as péssimas condições de logística do país, o agronegócio brasileiro apresentará um PIB equivalente a R$ 1tri em 2013, o que representa um recorde histórico e um crescimento de 3,6% em relação ao valor do ano passado.

 

-    A Petrobras caiu –3,0%, diante da notícia de que a empresa terá que aumentar as importações de diesel em razão do incêndio ocorrido há menos de duas semanas na sua refinaria de Araucária, que fica na região metropolitana de Curitiba.


Política:

 

Com o apoio do governo Dilma e beneficiando principalmente a prefeitura petista de SP, ontem duas comissões do Senado aprovaram um projeto de lei que reduz a dívida de Estados e municípios com a União ao trocar o indexador usado para corrigir os pagamentos desses débitos.

 

Para conter um princípio de rebelião em sua base governista, a presidenta Dilma decidiu recuar e não mais vetar os trechos da Lei de Diretrizes Orçamentárias que garantem a execução obrigatória de emendas parlamentares individuais em 2014, o chamado Orçamento impositivo, com isto a base aceitou aprovar já na próxima terça-feira, dia 17/DEZ/13, o Orçamento do ano que vem.

 

Até agora 2 dos 11 ministros do Supremo que irão votar aprovaram a proibição de doações de empresas a partidos políticos e candidatos em campanhas eleitorais, o que mudará radicalmente, já nas eleições de 2014, a forma como os partidos fazem suas campanhas politicas, permitindo que os candidatos sejam financiados apenas por pessoas físicas e pelo Fundo Partidário.

 

Mostrando que fará de tudo para reeleger Dilma, o diretório Nacional do PT aprovou ontem um resolução estabelecendo que as candidaturas e alianças partidárias nas eleições estaduais do ano que vem terão como norte a reeleição da presidenta Dilma e terão que ser avalizadas pela direção nacional do partido.


Crítica:

 

Passando a imagem de que o governo Dilma está mais preocupado em segurar a inflação e garantir a venda de carros do que em salvar vidas e proteger brasileiros da violência do trânsito, ontem Mantega, ministro da Fazenda, anunciou que será adiada a entrada em vigor, em 2014, da nova regra que obriga todos os carros novos no Brasil a conter itens básicos de segurança, como air bag frontal duplo e freios ABS.

 

Podendo fazer muitas ''mascaras caírem'', o Ministério Público Federal do RJ abriu inquérito civil público para apurar se houve irregularidades por parte da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis e da CVM na fiscalização das atividades da OGX.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com 

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário