R.B. 13/NOV/13 ‘’Parece que se esforça’’


R.B.

"Parece que se esforça"

 

São Paulo, 13 de novembro de 2013 (QUARTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode voltar a cair, ampliando a baixa acumulando mês (-4,5%) e também no ano (-15,0%), acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e a desvalorização das commodities, porem este pode ser uma boa oportunidade para compras, principalmente diante baixo patamar dos preços das ações das empresas brasileiras.

-    O DÓLAR deve subir, acompanhando o provável ''humor'' negativo na Bovespa e também a trajetória internacional da moeda norte-americana, porem este pode ser um bom patamar para vendas diante da expectativas de novas elevações da taxa básica de juros da economia brasileira.

 

ONTEM

-    BOVESPA –1,6% (aos 51.804pts), abriu ''de lado'', para na máxima avança 0,3%, porem passou a cair já na parte da manhã, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, diante do aumento das ''apostas'' de que o Fed (''BC'' dos EUA) pode começar a reduzir seus estímulos à economia norte-americana no máximo até JAN/14 e pressionada principalmente pelo recuo das ações d Banco do Brasil (-5,3%), Petrobras (-2,7%) e Vale (-2,5%).

-    DÓLAR –0,1% à R$ 2,34,  abriu em alta, para na máxima atingir R$ 2,35, porem perdeu ''forças'' na parte da tarde, mesmo diante da priora do ''humor'' na Bovespa, diante do anuncio do BC de início da rolagem dos swaps que vencem em 2/DEZ/13.

-    Na ÁSIA, JAPÃO 1,7%, com destaques de alta para as exportadoras, beneficiadas pela valorização do dólar frente a moeda local (o iene), CHINA 0,8%, apesar dos investidores continuarem a esperar novidades sobre a plenária do Partido Comunista, que comanda o governo do País e CORÉIA 0,9%.

-    Na EUROPA, revertendo uma abertura positiva, INGLATERRA –0,1%, FRANÇA –0,6% e ALEMANHA –0,3%, diante da avaliação de que a divulgação de índices de inflação abaixo do esperado na Alemanha e no Reino Unido indicam a recuperação da economia da região está mais lenta do que se esperava.

-    Nos EUA, realizando lucros após o DJ fechar no maior patamar da história por 2 pregões consecutivos, S&P %, DJ % e NASDAQ %, já que novamente cresceu a preocupação de que o Fed (''BC'' local) possa reduzir antes do esperado seu programa de estímulos, principalmente depois dos dados positivos de emprego e do PIB divulgados na semana passada e de declarações feitas por dois dirigentes de distritos regionais do Fed.


Economia:

 

Implementando mais uma medida que vai desestimular os investimentos no setor produtivo da economia, principalmente por não respeitar os acordos internacionais assinados pelo Brasil para evitar a bitributação, ontem o governo Dilma anunciou uma alteração na tributação de lucros de filiais de empresas brasileiras no exterior, que tem condições piores para as empresas em relação ao que se esperava, como a diminuição do prazo de parcelamento de impostos e elevação do valor a ser pago no primeiro ano.

 

Na ''contra-mão'' do governo Dilma, que as vezes ''parece que se esforça'' para contrariar os desejos e não atender as necessidades do ''mercado'', o Partido Comunista da China divulgou ontem reformas econômicas e sociais profundas que darão papel decisivo na atração de investimentos da iniciativa privada, como a transformação do papel do governo, um sistema de mercado moderno, a unificação do desenvolvimento rural e urbano, a abertura econômica, a criação de uma "cultura da inovação" e o "respeito à lei".

 

Segundo Ryuzo Miyao, conselheiro do BC do Japão, a decisão do Fed de não reduzir imediatamente o programa de estímulos pode causar um aumento não intencional da taxa de juros e as economias emergentes, com exceção da China, estão enfrentando alguns riscos de deterioração, com alguns desses países enfrentando problemas estruturais, como déficit em conta corrente.

 

Diante de um cenário de produção ainda fraca e oscilante, o emprego na indústria brasileira encolhe e registrou, em SET/13, sua quinta taxa mensal negativa, desta vez recuando -0,4% frente a AGO/13 e com isto perdendo –1,7% de vagas no referido período.

 

Confirmando pela ''enésima'' vez a real vocação do Brasil, as exportações do agronegócio brasileiro atingiram US$ 104bi no acumulado de OUT/12 até SET/13, o que representa o maior patamar da história para o período de 1 ano e supera em 7,7% o resultado de igual período anterior.

 

-    A Petrobrás caiu –2,7%, após Mantega, ministro da Fazenda e presidente do conselho da empresa, ter dito que na reunião do Conselho de Administração não seria discutido o gatilho para reajuste dos combustíveis.

-    O Banco do Brasil caiu 5,3%, apesar de ter divulgado um balanço em linha com as previsões do ''mercado'' ao registrar um lucro líquido de R$ 2,7bi no terceiro trimestre deste ano, montante -0,9% menor que o registrado em igual intervalo de 2012.

-    A Eztec caiu –1,6% e, após o fechamento do pregão a empresa anunciou que acumulou um lucro líquido de R$ 139,4mi no terceiro trimestre de 2013, o que representa uma alta de 48,6% em relação ao mesmo período de 2012.


Política:

 

Na reforma ministerial que Dilma fará até o começo de 2014, Aloizio Mercadante, atualmente ministro da Educação, deve ir para o comando da Casa Civil no lugar de Gleisi Hoffmann, que será candidata pelo PT ao governo do Paraná, já o empresário peemedebista Josué Gomes da Silva, filho do vice-presidente José Alencar, deve substituir Fernando Pimentel no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, dando mais poder ao PMDB do vice-presidente Temer.

 

Em meio a uma polêmica jurídica, a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal aprovou ontem o projeto de lei que cria fundos de compensação e desenvolvimento regional para Estados que visam reverter as perdas esperadas caso seja aprovada a reforma que modifica as alíquotas do ICMS.

 

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ontem ao Supremo Tribunal Federal um parecer recomendando a imediata execução da pena dos condenados no processo do mensalão que não tenham a chance de serem absolvidos no julgamento de recursos.

 

Com uma manobra governista para esvaziar o plenário do Senado, o governo derrotou na noite de ontem a emenda do PSDB à PEC do Orçamento Impositivo, que duplicava os gastos da União com a Saúde, mantendo os 15% da receita corrente líquida da União.

 

Criticando o jogo de "empurra-empurra" em torno do assunto, o deputado peemedebista Henrique Alves, que também é o presidente da Câmara, ''garantiu'', em um discurso no Plenário da Casa, que não colocará em votação processos de cassação enquanto o voto aberto não for aprovado, ressaltando que o Senado deveria votar a PEC sobre o tema o quanto antes.

 

Dois meses antes de assumir o Ministério do Esporte, o então deputado federal Aldo Rebelo, do PC do B, direcionou R$ 1,2mi de suas emendas ao Orçamento para obras em 4 municípios de SP que foram executadas por empresas da chamada Máfia do Asfalto, grupo acusado de fraudar licitações de asfaltamento em cidades do interior.

 

Na mesma semana em que o PT dá mais uma demonstração de unidade, reelegendo com larga margem o deputado Rui Falcão, candidato de Lula e Dilma, para sua presidência nacional, o PSDB repete comportamento autodestrutivo, exibindo suas divergências aos eleitores a menos de um ano da eleição presidencial que pode ser a mais difícil para os petistas, mas que os tucanos teimam em facilitar para o adversário.


Crítica:

 

Como se o Brasil tivesse que parar de fazer tudo para ver a Copa do Mundo de futebol e como se ninguém dormisse nas regiões afetadas, as companhias aéreas querem que os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont funcionem 24 horas durante a Copa.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário