R.B. 3/JAN/12 ''Mulher fala muito''


R.B.

"Mulher fala muito"

 

São Paulo, 3 de janeiro de 2012 (TERÇA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve seguir em alta, acompanhando a valorização das commodities, a melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e as ''apostas'' cada vez mais otimistas no desempenho e no crescimento da economia brasileira nos próximos anos.

-    O DÓLAR pode voltar a cair, influenciado pelos mesmos motivos que devem levara à valorização da Bovespa somados ao anuncio do governo Dilma de que irá divulgar um novo pacote de estímulo às exportações.

 

ONTEM

-    BOVESPA 1,9%, já abriu em alta e, ainda com baixo volume de negócios (R$ 3,7bi), intensificou o movimento ascendente nas ultimas 2 horas do pregão, com destaques de alta para Petrobrás (1,1%) e Vale (2,9%).

-    DÓLAR -0,1% à R$ 1,86, já abriu ''de lado'' e, com poucos negócios e pouca volatilidade, manteve a trajetória indefinida ao longo de todo pregão, diante da ausência de referência das praças financeiras norte-americanas, fechadas por feriado.

-    Na ÁSIA, ainda em clima de festa de final de ano, JAPÃO e CHINA não operaram devido a feriado local, já CORÉIA 0,1%, com a maioria das perdas do início do pregão, devido às vendas de investidores estrangeiros, sendo absorvidas pelo forte apetite das instituições locais por ações de empresas de tecnologia, como Samsung (2,1%) e Hynix (6,8%).

-    Na EUROPA, também com baixos volumes de negócios, INGLATERRA não funcionou devido a feriado local, já FRANÇA 2,0% e ALEMANHA 3,0%, impulsionados por dados positivos sobre a atividade industrial da China e dos países europeus.

-    Nos EUA, S&P, DJ e NASDAQ permaneceram fechados devido ao feriado de ano novo.


Economia:
 
Começando o ano um pouco mais pessimista, o ''mercado'' reduziu, pela quinta semana seguida, sua estimativa para a alta do IPCA em 2012, desta vez de 5,33% para 5,32%, e também diminuiu, desta vez de 3,40% para 3,30%, suas ''apostas'' para o PIB brasileiro deste novo ano.
 
Elevando ainda mais a segurança da economia brasileira, as reservas internacionais do País cresceram 22% em 2011 em relação a 2010 e, em alta pelo 11º ano consecutivo, fecharam o ano em US$ 352,0bi.
 
Beneficiadas por inúmeros incentivos do governo Dilma, em 2011 as vendas de automóveis e comerciais leves somaram 3,426 milhões de unidades, o que representa um nov recorde histórico e um crescimento de 2,89% sobre o recorde alcançado em 2010.
 
Dando mais um sinal do bom desempenho da economia brasileira no ano passado, em 2011 o Impostômetro, que mede a quantidade de impostos pagos pelos brasileiros, fechou com R$ 1,51tri, patamar 17,2% maior que os R$ 1,29tri auferidos em 2010.
 
''Nadando do braçadas'', mesmo em tempo de crise, o setor bancário brasileiro, segundo um levantamento da Economatica, foi o que mais remunerou seus acionistas em 2011 entre instituições financeiras nas Américas, com destaque positivo para a ação do Banco do Brasil, que deu aos seus acionistas um retorno de 6% ao ano em dividendos em 2011.
 
Com o objetivo de viabilizar o crescimento do comercio exterior brasileiro, o Porto de Santos, que já é o maior da América Latina, planeja investimentos bilionários para dobrar de tamanho até o ano de 2013.
 
Para impulsionar ainda mais as exportações do Brasil, que aliás já bateram recorde histórico em 2011, o governo Dilma prepara medidas de incentivo à venda para outros países neste primeiro trimestre de 2012, como o maior acesso a financiamentos.
 
Superando, de longe, as previsões do ''mercado'', no ano passado a balança comercial brasileira acumulou um superávit de US$ 29,8bi, o que representa o melhor patamar desde 2007 e um crescimento de 47,8% na comparação com o resultado de 2010 (US$ 20,1bi).
 
Pressionado principalmente pelo grupo alimentação, o IPC-S de DEZ/11 ficou em 0,79% e assim fechou o ano acumulando uma alta de 6,36%, patamar acima da taxa de 6,24% registrada em 2010, porem abaixo do teto da meta do BC (6,5%).
 
-    A Petrobrás subiu 1,1% e, após o fechamento do pregão, anunciou a descoberta de uma nova acumulação de petróleo leve e gás na concessão de Golfinho, na bacia de Espírito Santo.

Política:
 
Tentando mostrar humildade, o peemedebista Sérgio Cabral, governador do RJ, ''garantiu'' que cumprirá o mandato até DEZ/14 e, negando qualquer atrito com Dilma, prometeu trabalhar pela reeleição da presidenta petista.
 
Com 90% da verba, Pernambuco, ''coincidentemente'' o Estado do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, foi o principal destino de verbas do ministério comandado por ele em prevenção e preparação de desastres naturais, como enchentes e desmoronamentos.
 
Contrariando o mito machista de que ''mulher fala muito'', em 2011, no seu primeiro ano de governo, a presidenta Dilma pronunciou-se 25% menos do que Lula e 13% menos do que FHC nos seus primeiros anos de mandato.

Crítica:
 
Apresentando mais uma boa explicação para os astronômicos lucros dos grandes bancos comerciais do Brasil, segundo um estudo da Pro Teste o consumidor brasileiro paga em média juros de 237,9% ao ano no cartão de credito, contra 29% na Venezuela e 50% Argentina.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário