R.B. 16/JAN/11 ''Criticando ao invés de fazer propostas''


R.B.

"Criticando ao invés de fazer propostas"

 

São Paulo, 16 de janeiro de 2012 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, recuperando as perdas do pregão anterior beneficiada pela valorização das commodities e pelas ''apostas'' de que o Copom seguirá cortando a Selic na reunião desta semana.

-    O DÓLAR deve cair, retornando à sua ''trajetória natural'' após o ''ajuste técnico'' de sexta-feira para acompanhar o ''crescente e constante'' fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e ''investimentos''.

 

SEXTA-FEIRA

-    BOVESPA -1,3%, abriu em leve queda e, com bom volume de negócios (R$ 6,6bi), foi aprofundando as perdas ao longo do dia, seguindo a piora do ''humor'' nos mercados externos diante do rebaixamento da ''nota'' de diversos países da Europa, inclusive a França, pela agência de classificação de riscos Standard & Poor's.

-    DÓLAR 0,3% à R$ 1,79, abriu em queda, para na mínima atingir R$ 1,78, porem passou a subir ainda na parte da manhã, também influenciado pelo rebaixamento das ''notas'' de diversos países da Europa.

-    Na ÁSIA, nos maiores patamares dos últimos 30 dias, JAPÃO 1,4%, CORÉIA 0,6% e CHINA 1,3%, ''animadas'' com a forte demanda recebida em leilões de dívida na Espanha e na Itália no dia anterior, o que reduziu a aversão a risco.

-    Na EUROPA, revertendo uma abertura positiva, INGLATERRA -0,5%, FRANÇA -0,1% e ALEMANHA -0,6%, diante de ''rumores'', confirmados após o fechamento do pregão de que a agência de classificação de risco Standard & Poor's iria efetuar uma série de rebaixamento de suas ''notas'' para países da zona do euro, algo há muito sugerido no mercado.

-    Nos EUA, também revertendo uma abertura positiva, S&P -0,5%, DJ -0,9% e NASDAQ -0,5%, também diante da expectativa de confirmação do rebaixamento da nota de risco de crédito de diversos países da zona do euro e do resultado do JP Morgan, que foi afetado pela crise européia.


Economia:
 
Após rebaixar sua ''nota'' para 9 dos 17 países da zona do euro, inclusive a França, a agencia de classificação de risco Standard & Poors ''alertou'' que o bloco econômico tem 40% de chance de entrar em recessão neste ano, com uma contração de até -1,5% de sua economia, ressaltando que atualmente as políticas dos governos da região estão focadas demais em redução de dívida.
 
Segundo Angela Merkel, a chanceler da Alemanha, os rebaixamentos das ''notas'' dos países da zona do euro confirmam que a Europa precisa selar um acordo para apertar as regras fiscais e estabelecer um fundo de resgate permanente o mais rápido possível.
 
''Apostando'' no bom desempenho da bolsa brasileira neste ano, até a ultima quarta-feira os investidores estrangeiros já haviam injetado, em termos líquidos, R$ 1,8bi na Bovespa em 2012, o que ajuda a explicar a valorização de 5,7% acumulada pelo Ibovespa no referido intervalo e já supera a saída de R$ -1,3bi do estrangeiro vista em todo ano de 2011.
 
Com fruto do aumento da renda e do bom momento da economia brasileira, nos 11 primeiros meses de 2011 a arrecadação dos planos de previdência complementar aberta chegou a R$ 46,4bi, registrando assim um crescimento de 18,21% na comparação com o mesmo período de 2010.
 
Mesmo diante das incertezas do cenário externo, principalmente nos países do ''primeiro mundo'', em 2011 a demanda empresarial por financiamentos fechou o ano com alta de 2,3% em relação ao ano anterior.
 
Com o objetivo de estimular o setor de construção civil, que aliás é o que mais emprega no Brasil, o conselho curador do FGTS publicou no "Diário Oficial da União" de sexta-feira a medida que aprova a criação de uma linha de crédito para compra de material de construção de até R$ 20 mil por pessoa.

Política:
 
''Criticando ao invés de fazer propostas'', o petista Fernando Haddad, atualmente ministro da educação e futuro candidato à prefeito de SP, classificou como "desastrada" a operação da Polícia Militar na cracolândia e afirmou que a repressão violenta a usuários de crack contradiz o discurso do governador tucano Alckmin.
 
Apesar de o partido ainda pressionar Serra para disputar a prefeitura de SP, os 4 pré-candidatos tucanos ao referido cargo, que são  Andrea Matarazzo, Bruno Covas, José Aníbal e Ricardo Trípoli, farão hoje um novo debate no campus da Unisa, em São Amaro.
 
O PT intensificou nos últimos meses seus contatos com os movimentos sociais na tentativa de aglutinar forças além do campo institucional para levar adiante projetos estratégicos e, sobretudo, confrontar o PMDB, o seu sócio de maior peso no condomínio do governo da presidenta Dilma.

Crítica:
 
Integrantes do Conselho Nacional de Justiça temem que a barreira imposta dentro do próprio Judiciário, via liminares do Supremo Tribunal Federal, para a continuidade de investigações nos tribunais impeça a comprovação de indícios de venda de sentenças e enriquecimento ilícito de magistrados e servidores.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário