R.B. 14/ABR/11 ''Já desistiu do povão''


R.B.

"Já desistiu do povão"

 

São Paulo, 14 de abril de 2011 (QUINTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve subir, finalmente em um movimento de recuperação após 4 pregões consecutivos de queda, nos quais recuou -3,9%, acompanhando a melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e os sinais positivos da economia brasileira.

-    O DÓLAR pode voltar a cair, mantendo-se abaixo dos R$ 1,60, influenciado pela provável melhora do ''humor'' na Bovespa e pressionado pelo aumento das ''apostas'' de novas elevações da taxa básica de juros.

 

ONTEM

-    BOVESPA -0,6%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,7%, porem, mesmo com a leve recuperação das bolsas de NY e da Europa, passou a cair ainda na parte da manhã, com forte volume de negócios (R$ 8,4bi), seguindo o recuo das commodities e ''temendo'' a divulgação de uma ''bateria" de indicadores pelo governo chinês.

-    DÓLAR -0,1% à R$ 1,59, abriu em leve alta, para na máxima se aproximar dos R$ 1,60, porem logo perdeu ''forças'' e passou a cair, para fechar pelo quinto dia consecutivo abaixo do patamar de R$ 1,60.

-    Na ÁSIA, em mais um dia de recuperação, JAPÃO 0,9%, CORÉIA 1,6% e CHINA 1,0%, com destaques de alta para as ações do setor de tecnologia, beneficiadas pela valorização o dólar frente as moedas locais, e com os investidores buscando oportunidades para apostar em ativos de maior risco diante da leve recuperação dos preços do petróleo.

-    Na EUROPA, também recuperando perdas recentes, INGLATERRA 0,8%, FRANÇA 0,7% e ALEMANHA 1,1%, desta vez com destaques de alta para ações de bancos, como Deutsche Bank (1,0%), Barclays (1,3%) e HSBC (1,6%), após o norte-americano JPMorgan divulgar resultados que superaram as expectativas.

-    Nos EUA, revertendo uma abertura negativa, S&P 0,1%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,6%, beneficiadas pela divulgação de que em todas as 12 regiões pesquisadas pelo Fed (''BC" local) houve aumentos na produção, no consumo e nas contratações por parte das empresas.


Economia:
 
Mais uma vez ''revelando'' aquilo que até o Tiririca já sabe, o FMI ''alertou'' que a aceleração do crescimento do crédito no Brasil aumenta a vulnerabilidade e o risco de superaquecimento na economia, causando inflação.
 
Com o objetivo de ampliar sua gama de ''produtos na prateleira'', a BM&FBovespa está se preparando para oferecer, a partir do terceiro trimestre deste ano, a negociação de contratos futuros do índice Standard & Poor's 500, que é um dos principais índices de ações dos EUA.
 
Na contra-mão de FHC, que ''já desistiu do povão'', os supermercados brasileiros ''apostam'' que nos próximos anos o crescimento do setor será impulsionado pela população das classes menos abastadas da sociedade, que são as classes De E.
 
Mesmo com os recentes aumentos da taxa básica de juros e com as tais medidas macropudenciais, (1) a MRV Engenharia divulgou que no primeiro trimestre destes ano suas vendas contratadas foram 13,4% maiores que no mesmo período de 2010, (2) segundo o BC o nível de atividade da economia brasileira cresceu 4,17% no primeiro bimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, (3) a construtora e incorporadora Rossi Residencial anunciou que teve um aumento de 20% nas vendas contratadas neste primeiro trimestre na comparação com o mesmo período de 2010 e (4) no primeiro trimestre deste ano a demanda das empresas por crédito cresceu 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado.
 
Confirmando mais uma vez qual a real vocação do Brasil, nos últimos 12 meses fechados no dia 31/MAR/11 as vendas de produtos agrícolas brasileiros para o exterior bateram novo recorde histórico ao alcançarem a marca de US$ 79,8bi, patamar 10,7% maior que na comparação com o período anterior (de ABR/09 até MAR/10).
 
Tentando ficar cada vez mais unidos, os países do grupo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) enviaram seus líderes para Sanya, no sul da China, para o terceiro encontro de cúpula do grupo em que irá discutir, entre outros assuntos, a reforma do sistema monetário internacional.

Política:
 
Apoiando seu ''guru FHC'', Paulo Renato, ex-ministro da Educação do ex-presidente tucano, afirmou que a oposição precisa se repensar e tentar falar, por meio de redes sociais e sem intermédio de sindicatos, diretamente com um segmento da população que chegou ao consumo.
 
Com 32 deputados federais, 1 governador, 2 senadores e dezenas de prefeitos, ontem Kassab, prefeito de SP, assinou a ata de fundação do PSD, ressaltando que torce pelo sucesso do governo Dilma e que ''seu partido'' nasce como um partido independente.
 
Finalmente fazendo algo útil e justo, ontem  o Senado aprovou um projeto de Lei que suspende a aposentadoria, paga pelo Congresso, aos parlamentares que tenham seus mandatos cassados ou renunciem para evitar a cassação.
 
Contrariando o ''chefe'' FHC, que não quer saber do ''povão'', Alckmin, governador de SP, prepara o lançamento de um pacote de programas sociais, no qual pretende investir cerca de R$ 3bi até o fim do mandato.

Crítica:
 
Frustrando, assim como fez os EUA recentemente, as pretensões brasileiras, a China não deu respaldo ao pleito do Brasil de ter uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU, já que na prática trabalha contra as candidaturas de Japão e Índia, países com quem mantém disputas históricas e que são aliados do Brasil no G4, que é o grupo que inclui a Alemanha e busca ascender no CS.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário