R.B. 14/ABR/09 ''Doce cantiga''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Doce cantiga"

São Paulo, 14 de abril de 2009 (TERÇA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve seguir em alta, para fechar no maior patamar do ano pelo terceiro pregão consecutivo, desta vez impulsionada pela provável alta das bolsas de NY, que devem reagir positivamente ao surpreendente anuncio de lucro do Goldman Sachs.
- O DÓLAR pode cair, rumo aos R$ 2,15, também influenciado pela provável nova melhora do ''humor'' nas bolsas mundiais e cada vez mais pressionado pelo ''crescente e constante'' fluxo positivo de recursos externos.

ONTEM
- BOVESPA 1,0%, abriu em queda, para na mínimar recuar -0,7%, ensaiando uma realização de lucros, porem, apesar das perdas das bolsas de NY, passou a subir ainda na parte da manhã, para fechar no maior patamar do ano (45.991pts), diante do aumento das ''apostas'' de novas reduções da Selic.
- DÓLAR 0,1% à R$ 2,17, já abriu ''de lado'' e, com baixo volume de negócios, manteve a trajetória indefinida ao longo de todo pregão, dividido entre a realização de lucros nas bolsas de NY e o bom desempenho da bolsa brasileira.
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO -0,4%, realizando lucros recentes, com fraco volume de negócios e destaques de queda para algumas blue chips como TDK (-5,1%) e Hitachi (-3,9%), CHINA 2,8%, no maior patamar em quase 8 meses, impulsionada pelas esperanças nos números de MAR/09 que mostram uma disparada de novos empréstimos e CORÉIA 0,2%, sustentada pelos papéis de empresas ligadas à cadeia automotiva, como a fabricante de autopeças Hyundai Mobis (4,2%).
- Na EUROPA, INGLATERRA, FRANÇA e ALEMANHA permaneceram fechadas ainda devido ao feriado de Páscoa.
- Nos EUA, sem uma tendência única, porem recuperando boa parte das perdas acumuladas na abertura, S&P 0,2%, DJ -0,3% e NASDAQ 0,1%, divididas entre a pressão para a realização de lucros recentes, que aumentou diante de novas noticias negativas da montadora GM, e a renovação do otimismo com o setor bancário, já que algumas das principais instituições financeiras do país soltam seus balanços trimestrais nesta semana.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Cantando uma ''doce cantiga'' ao setor produtivo da economia brasileira, Meirelles, presidente do BC, afirmou que a estabilização da economia brasileira dá mais margem de manobra para novas reduções da Selic e ressaltou, pela enésima vez, que o Brasil sairá mais fortalecido e com condições de crescer de forma sustentada da atual crise econômica mundial.

''Turbinados'' por incentivos do governo, como redução dos juros e dos impostos, no primeiro trimestre de 2009 a Caixa Econômica Federal já havia emprestado R$ 7bi em financiamentos habitacionais, valor 119% superior na comparação com o mesmo período do ano passado.

Ascendendo uma ''luz amarela'', em MAR/09, diante da redução do nível de atividade econômica e do desemprego localizado em alguns setores, a inadimplência dos consumidores foi 16,6% maior que em MAR/08.

Mostrando o quanto é ''urgente e necessário'' o Copom seguir cortando a Selic, o ''mercado'' reduziu, de -0,19% para -0,30%, suas ''apostas'' para o PIB brasileiro em 2009 e também diminuiu, de 4,26% para 4,25%, suas projeções para o IPCA deste ano.

Beneficiada principalmente pela queda das importações, a balança comercial brasileira, superando as previsões iniciais, já acumulava até o final da semana passada um superávit de US$ 4,3bi em 2009, o que representa um aumento de 10,9% na comparação com o mesmo período de 2008.

- A Vale subiu 2,4%, diante do ressurgimento dos ''rumores'' de aumento da demanda na China, já que o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, ''avisou'' que a economia de seu país mostrou sinais positivos antes que o esperado.
- O Banco do Brasil subiu 0,2%, mesmo após seu novo presidente, Aldemir Bendine, confirmar que, conforme determinou Lula, o banco irá reduzir as suas taxas de juros e o "spread" bancário de forma agressiva, mas dentro dos padrões de qualidade na análise do crédito.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Metendo o bedelho ''no poder mais podre'' do Brasil, que é o judiciário, ontem Lula, após afirmar que o país precisa perder o medo de mudar, assinou o segundo Pacto Republicano, que inclui 5 projetos de lei e uma Proposta de Emenda Constitucional, que por sua vez estabelece a reforma no Judiciário.

Como não quer perder nunca as ''mamatas do poder'', ontem Sarney, presidente do Senado, disse ser favorável a manutenção do foro privilegiado para julgar ''autoridades'' por uma instância superior, ressaltando que a ''Justiça comum'' está mais sensível às disputas regionais.

Ignorando a atual crise que envolve variadas suspeitas de mau uso do dinheiro público, o Congresso Nacional estuda aprovar ainda neste ano a criação de mais 79 cargos eletivos federais, pelo menos: quatro para representar na Câmara dos Deputados os brasileiros que moram no exterior e outros 75 para integrar a bancada nacional no Parlamento do Mercosul, braço do bloco comercial que reúne Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai.

Temendo pela interferência e principalmente pelo fim da independência, ontem a OAB entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal questionando o controle externo pelo Ministério Público das polícias Federal, Rodoviária Federal, Ferroviária Federal, Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Se aproximando cada vez mais, com carinho, solidariedade e boa vontade, de Cuba, ontem Obama, presidente dos EUA, anunciou uma série de mudanças na relação entre a potência e a Ilha de Fidel como a autorização para empresas de telecomunicações e outras empresas norte-americanas a disponibilizar serviços de telefonia celular, televisão e rádio para cubanos.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário